segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Como se prevenir das doenças da primavera/verão

O tempo está mais bonito, ensolarado, os finais de semana pedem mais ar livre, banho de praia, de piscina, diversão, mas todo esse clima favorece também a ocorrência de algumas doenças mais “típicas” da primavera/verão. Quem tem filho pequeno já percebeu o aumento dos casos de catapora, conjuntivite e algumas viroses nas últimas semanas, não é mesmo. É assim todos os anos!

Segundo a pediatra Kércia Alcântara Silva, os vírus podem causar diversas doenças, como sarampo, catapora, dengue, resfriados, conjuntivites, gripes, problemas intestinais, lesões de pele e até meningites. “Quando não é possível identificar o vírus específico, costuma-se chamar de ‘virose’. As crianças são mais susceptíveis a estas infecções por não terem um sistema imunológico totalmente desenvolvido”, explicou.

Algumas viroses são mais comuns em determinada estação do ano. A catapora (ou varicela) é uma virose muito comum na infância, surge principalmente entre o final do inverno e o início da primavera, é transmitida por secreções respiratórias e pelo contato direto com as lesões de pele. Já no verão, disse a pediatra, as mais comuns são dengue, conjuntivite, hepatite A, meningites virais e doenças diarreicas.

A catapora tem como sintomas mal estar, dor de cabeça, febre baixa, perda de apetite e as bolhas que começam a aparecer, normalmente, no rosto e se espalham por todo corpo. Até mesmo em algumas partes incômodas. Essas bolhas causam coceira, um dos principais inconvenientes da catapora. No caso da conjuntivite, os mais comuns são dor nos olhos, vermelhidão no olho e na pálpebra, coceira, inchado, secreção ou secura nos olhos.

Para evitar essas doenças, os pais precisam redobrar a atenção à higiene dos filhos. Cuidados simples como muita hidratação ajudam nessa época. Além disso, a higiene das mãos também é uma das maneiras mais eficazes de evitar contaminação. Deve-se lavar bem frutas e verduras, evitar lugares abafados e com grande quantidade de pessoas. Ao entrar na piscina, deve observar se a água está limpa para evitar conjuntivite.

Tratamento
De acordo com a médica Kércia, as medicações usadas nas viroses ainda são pouco resolutivas. A maioria destas doenças desaparece espontaneamente. “Cada caso deve ser tratado de uma forma diferente. Após o diagnóstico de virose, o melhor mesmo é dar condições para o corpo se recuperar, como mantê-lo hidratado, para que o próprio organismo consiga combatê-la”, disse.

Alguns cuidados são válidos para todos os casos: repouso, hidratação e alimentação adequada, controle da temperatura e prevenção de infecções bacterianas. O pediatra deve sempre ser consultado para orientar o melhor tratamento.


Devido ao alto contágio das viroses, certas providências preventivas são aconselhadas, como não usar os mesmos utensílios, lavar as mãos antes das refeições e depois de ir ao banheiro, evitar ambientes fechados, dentre outras. “O acompanhamento médico correto poderá prevenir ou reconhecer rapidamente as principais complicações destas doenças, assim iniciar o tratamento correto e evitar pioras clínicas e riscos de morte”, alertou a pediatra.

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae

Nenhum comentário:

Postar um comentário