segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Pilates: benefícios também na infância

 A rotina de crianças e adolescentes nos dias de hoje é bem diferente das de tempos atrás, das que, como eu, já passaram dos 30 anos. Para assistir televisão, a gente precisava se levantar várias vezes para mudar o canal, sem contar as vezes que tinha que levantar para ajeitar a antena e ter uma imagem melhor. Bem diferente de hoje! As brincadeiras na rua, em que, sem querer e nem perceber, gastávamos muitas calorias e exercitávamos o corpo, deram lugar agora a momentos de lazer bem mais estáticos. Essa mudança de comportamento, aliada à rotina mais recheada de atividades, acaba fazendo com que, cada vez mais cedo, crianças e adolescentes apresentem problemas posturais, causados por maus hábitos.

A fisioterapeuta Amanda Andrade alerta que essa mudança de rotina, com movimentos mais curtos e poucos desafios para o corpo, é comprometedora. Nesses casos, os exercícios do Pilates acaba sendo uma boa opção para colocar o corpo em atividade e ao mesmo tempo trazendo melhorias para o bem-estar físico. “Os benefícios do Pilates se relacionam muito a essas questões. Soma-se ao fato de que por volta dos 12 anos a criança está numa fase de desenvolvimento motor e postural muito importante: estirão do crescimento e é nesta fase que as condutas posturais irão determinar as disfunções posturais na fase adulta”, diz.
Amanda ressalta que uma criança com boa coordenação e orientação postural tenderá a ser um adulto com menos queixas de dores posturais. Entre os benefícios proporcionados pelo Pilates, a fisioterapeuta aponta a postura, respiração, trabalho muscular para reequilibrar as ações musculares (correções posturais) e concentração.

Não existe uma idade mínima exata para começar com o Pilates. Amanda conta que trabalha com crianças a partir de 8 anos. As aulas são sempre realizadas no ritmo dos pequenos. “Procuramos sempre trabalhar de forma lúdica, colocando desafios posturais e sempre dando o feedback de que ela consegue realizar o movimento solicitado, pois é ela quem comanda o próprio corpo”, explicou a fisioterapeuta.


A atividade é realizada em média duas vezes na semana. “Como trabalhamos com Pilates para criança, orientado por fisioterapeuta, ela passará por avaliação postural e a partir disso traçamos os objetivos das sessões. Por isso não há, a princípio, nenhuma restrição para a prática. Cada caso é analisado separadamente”, disse Amanda.

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae

Nenhum comentário:

Postar um comentário