segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Como fugir dos lanches nada nutritivos?

Num país em que mais de um terço das crianças com até 2 anos já tomam refrigerante ou suco artificial, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde divulgada, ano passado, pelo IBGE, e 60,8% das crianças nessa mesma idade têm o hábito de comer “besteira” como biscoitos, bolachas e bolo, é preocupante o acesso delas a esses alimentos pobres em nutrientes e ricos em gorduras e açúcares. A praticidade, aliada ao corre-corre diário, acaba fazendo com que muitos pais acabem optando por esse tipo de lanche para os filhos, seja em casa ou até mesmo no que levam para a escola.


E com isso muitas crianças acabam tendo lanches ricos em sódio (sal), açúcar, gorduras e pouquíssimos nutrientes essenciais. Na lista aparecem os refrigerantes (cheios de calorias vazias), sucos não mais naturais e sim os de caixinha e/ou em pó, biscoitos recheados, pipocas de microondas, achocolatados, salgadinhos, alimentos congelados (hambúrguer, pizza, nuggets, lasanha), dentre outros.

A nutricionista Naiana Oliveira alerta que o excesso do consumo desses alimentos pode contribuir para a mudança no hábito alimentar das crianças, gerando problemas de saúde, como as doenças crônicas não transmissíveis, a exemplo da obesidade, colesterol elevado, doenças do coração, diabetes, hipertensão, etc. Doenças que deveriam não estar presentes na infância.

Mas o que fazer para evitar que isso aconteça? A nutricionista lembra que a responsabilidade é daqueles que mais amam as crianças: os pais, avós, babás, cuidadores. “Então eles devem procurar um profissional capacitado que irá ajudá-los a adequar as refeições dos filhos, incentivando-os a pesquisar mais sobre os alimentos, ler rótulos, cozinhar mais (comida caseira é onde sabemos o que tem), levar os filhos às feiras livres. Essas pequenas mudanças de hábitos farão um bem enorme no presente e no futuro dessas crianças”, destaca.

Dicas para melhorar o lanches dos pequenos:
    Sempre procure se informar sobre os lanches dos amiguinhos, assim saberá quando seu filho consumiu o lanche do amiguinho, a troca de lanches entre amigos é muito comum;
    Opções menos saudáveis, como salgadinhos, balas, chicletes, bolachas recheadas devem ser negociadas com a criança, não ultrapassando uma vez por semana. Tenham dias especiais para alimentos assim;
    Coloque uma garrafa de água na lancheira do seu filho;
    Sempre ofereça uma fruta, podendo alternar com: sucos naturais, suco de uva integral, água de coco;
    Opções de lanches: procure os biscoitos integrais (leia os ingredientes), tapiocas secas ou tapioca recheada com queijo, pães (cenoura, batata, beterraba, integrais), bolos caseiros, iogurtes naturais, leite;
    Não ofereça o pacote todo, sempre ofereça já a quantidade adequada para idade (procure um profissional para orientar);
    A criança deve se sentar à mesa para comer, junto com a família, sempre que possível. Nesta hora, o ambiente deve ser agradável (sem televisão ou música);

    Estabeleça rotina com horários para as refeições.

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae 

Nenhum comentário:

Postar um comentário