terça-feira, 27 de setembro de 2016

Por um trânsito mais seguro para as crianças

“Eu sou + 1 por um trânsito + seguro”. Esse foi o tema escolhido para a Semana Nacional do Trânsito este ano. Além de motoristas, como mães e pais esse tema nos traz o alerta para a importância de transportamos crianças de maneira correta em veículos e motocicletas. Lamentavelmente, no Brasil, o trânsito ainda é a principal causa de morte acidental de crianças e adolescentes com idade de zero a 14 anos.

Levantamento da ONG Criança Segura mostra que, no ano de 2014, foram 1.654 crianças nessa faixa etária que morreram em acidentes de trânsito. Desse total, 34% eram passageiras de veículos, 29% eram pedestres, 11% estavam em motocicletas, 6% eram ciclistas e 20% dos casos entraram na categoria “outros”.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Caixa coloca a criançada para correr e se divertir em Aracaju

O Circuito Caixa de Maratoninha, maior competição de corrida infantil do país, estará, neste domingo, dia 25, em Aracaju. A prova, que será realizada no estacionamento da Orla da Atalaia, terá a largada às 8h e contará com a presença do ex-atleta olímpico Edson Luciano como padrinho. Crianças de projetos sociais e esportivos, e de escolas públicas, participarão da disputa, que premiará os vencedores de cada bateria com uma bicicleta.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Como fugir dos lanches nada nutritivos?

Num país em que mais de um terço das crianças com até 2 anos já tomam refrigerante ou suco artificial, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde divulgada, ano passado, pelo IBGE, e 60,8% das crianças nessa mesma idade têm o hábito de comer “besteira” como biscoitos, bolachas e bolo, é preocupante o acesso delas a esses alimentos pobres em nutrientes e ricos em gorduras e açúcares. A praticidade, aliada ao corre-corre diário, acaba fazendo com que muitos pais acabem optando por esse tipo de lanche para os filhos, seja em casa ou até mesmo no que levam para a escola.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Acidentes domésticos: toda atenção é pouca

Vitor Hugo tinha apenas um ano e sete meses e dormia tranquilamente até que uma tragédia aconteceu em sua casa, num bairro do município de Itabaiana, no Agreste de Sergipe. A vela, que uma tia tinha deixado acessa, pois o fornecimento de energia na residência tinha sido cortado, acabou caindo e incendiando a casa. O bebê chegou a ser socorrido, teve 90% do corpo queimado, mas não resistiu. Infelizmente, Vitor faz parte de uma triste estatística no país: a de crianças vítimas de acidentes domésticos.

No Brasil, os acidentes são a principal causa de morte de crianças e adolescentes de até 14 anos. No ano de 2014, foram 4.316 mortes por acidentes de crianças e adolescentes no Brasil. Embora ainda muito elevado, esse total de óbitos teve uma redução de 31% de 2001 a 2014, em números absolutos. Esses dados fazem parte da pesquisa lançada pela ONG Criança Segura (que trabalha na prevenção de acidentes com crianças), pela passagem do Dia Nacional de Prevenção de Acidentes, em 30 de agosto, e pelos seus 15 anos de atuação.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Campanha de multivacinação para crianças e adolescentes começa no dia 19 em todo o país

Hoje foi lançada pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, a Campanha Nacional de Multivacinação 2016. O objetivo da campanha é mobilizar os pais ou responsáveis a levarem seus filhos para atualizar o cartão de vacinação. Este ano, a ação será voltada para menores de cinco anos, para crianças de nove anos e adolescentes de 10 a 15 anos incompletos. Para essa campanha, o slogan é “Todo mundo unido, fica mais protegido”. 

domingo, 11 de setembro de 2016

Dinheiro: como ensinar a criança a lidar com ele

Os tempos têm sido de dinheiro curto para a maioria dos brasileiros. É um aperta daqui, ajusta dali para que, pelo menos o básico, caiba no orçamento doméstico. Essa tem sido a realidade de grande parte das famílias no país. Mas essa tarefa árdua não precisa ficar, necessariamente, só sobre os ombros dos pais. As crianças precisam ser envolvidas nesse contexto. E é possível, sim, de uma forma lúdica, conversar e colocar em prática a educação financeira dentro de casa.

domingo, 4 de setembro de 2016

Setembro dourado contra o câncer infanto-juvenil

A estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA) é que, no ano de 2016, ocorram cerca de 12.600 novos casos de câncer em crianças e adolescentes no Brasil. O câncer representa a primeira causa de morte por doença entre o público infanto-juvenil. A prevenção e a detecção precoce ainda são as principais armas contra esse tipo de doença.

Por isso, o mês de setembro é o mês de conscientização sobre o câncer infanto-juvenil – o Setembro Dourado. Conhecer é a melhor maneira de ajudar nossas crianças e adolescentes. O câncer infantil corresponde a um grupo de várias doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer local do organismo. Os tumores mais frequentes na infância e na adolescência são as leucemias (que afeta os glóbulos brancos), os do sistema nervoso central e linfomas (sistema linfático).

A boa notícia é que os avanços no tratamento da doença, nas últimas décadas, contribuíram para que, atualmente, cerca de 70% das crianças e adolescentes acometidos pelo câncer sejam curados, quando diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados. Em Sergipe, duas instituições desenvolvem um trabalho exemplar no apoio e acompanhamento das crianças com câncer: o Grupo de Apoio à Criança com Câncer (Gacc) e a Associação dos Voluntários a Serviço da Oncologia em Sergipe (Avosos).

Detecção
Embora os sintomas do câncer infanto-juvenil possam ser similares aos de algumas outras doenças comuns na infância, é importante os pais estarem atentos a alguns deles e procurar atendimento médico, até para se tranquilizar e possibilitar um diagnóstico precoce. São sintomas que merecem atenção:

- palidez, dor óssea e hematomas ou sangramentos pelo corpo;

- caroços ou inchaços, especialmente se forem indolores e não acompanhados de febre - além de outros sinais de infecção;

- perda de peso inexplicável, febre e sudorese noturna;

- tosse persistente ou falta de ar;

- dores nos membros, inchaços sem nenhum sinal de infecção ou trauma;

- dores de cabeça, sobretudo se forem incomuns e contínuas, além de vômitos frequentes pela manhã ou com piora ao longo do dia;

- inchaço abdominal;


- alterações oculares.

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae