segunda-feira, 4 de julho de 2016

Solidariedade: #TodosPorAmanda

O próprio nome desse blog já traduz qual foi o propósito para o qual ele foi criado: ter/ser/proporcionar uma conversa de mãe. Nesse final de semana, ao ler o relato de uma mãe, não pensei em outras coisas senão ajudar e compartilhá-lo aqui para que outras mães pudessem ajudar. Não só outras mães, mas também pessoas sensíveis a ajudar uma mãe, um pai, uma família que quer o melhor para a pequena de poucos dias de nascida.

Essa história é a de Amanda, filha Mariana e Júnior Guedes. Esse final de semana, ela fez um relato em uma rede social, contando o que têm passado desde que a filhinha começou a apresentar sintomas do que ainda não sabiam se tratar exatamente. Transcrevo a seguir o apelo feito por Mariana:

“Amigos,

Hoje Junior Guedes e eu estamos aqui mais por um apelo, pelo nosso choro, pelo nosso cansaço e pela inesgotável tentativa de ver nossa filha bem.

Amanda nasceu perfeita, foi a nossa maior alegria.

Infelizmente, durante 15 dias meu leite secou e tive que introduzir o Nan. Deus sabe como doeu dar esse leite pra minha filha, mas nem tudo é como a gente sonha na gravidez, enfim, superei essa etapa.

Amanda passou por um processo de adaptação mas se tornou uma criança inquieta. ‘Vai dar trabalho’, alguns diziam, mas no dia a dia eu não achava aquilo normal.

Depois veio o Aptamil premium e ela regurgitou, ela chorava e enguiava...eu não sabia, eu não tinha o que fazer a não ser acalentar.

Depois de uma ida a urgência veio Nan AR. ‘Vamos investigar se é refluxo ou algo mais grave, uma reação do corpo’, o médico disse. Pensei, mas não quis acreditar em alergia.

O Nan AR trouxe o choro...Chorava copiosamente... Não deixei nem um dia, voltamos pro Nan supreme, o primeiro leite, mas o choro permaneceu a cada mamadeira, Amanda, mesmo com sono, não conseguia descansar. Ao coloca-lá no carrinho, berço, cama, ela acordava, colocando a língua pra fora, as vezes chorosa, as vezes com sono mas sem conseguir dormir e várias vezes, mesmo após 1, 2 ou ate mesmo 3h de mamadeira, ela colocava pra fora. Resultado? Horas, dias no meu braço para não golfar demais e continuar ganhando peso.

Enfim, hoje há a suspeita de APLV, alergia a proteína do leite de vaca, e Amanda começou a tomar o Pregomin Pepti, um específico.

Graças a Deus, ontem, Amanda dormiu sua primeira noite tranquila, sem reclamar, resmungar, chorar, golfar, regurgitar etc e essa mãe que escreve, descansou.

O problema? Cada lata do Pregomin custa 99 reais na farmácia mais barata q encontramos. Como ainda é uma suspeita, a médica pediu que déssemos este leite até sair o resultado dos exames mas Jr e eu não temos como arcar com isso.”
Amanda e a mamãe Mariana
No entanto, Amanda apresentou nova reação e rejeitou o Pregomin, pois esse leite contém soro de leite em sua composição, e novamente foi preciso levá-la à urgência. Mariana conta que agora Amanda está tomando o Neocate, um leite limpo, à base de aminoácidos e não tem como apresentar reação, pois ele não contém nenhuma proteína, nem traços de leite.

A questão é o custo desse leite. Cada lata, o valor mais barato que eles encontraram foi R$ 195. Esse tipo de leite é fornecido gratuitamente pelo governo. Mas isso só será possível depois que Amanda for atendida no Ambulatório de Alergia Infantil do Hospital Universitário, passar pela perícia para a constatação da alergia e intolerância ao leite de vaca e ser incluída no programa.

Até lá, a família vai ter que arcar com as despesas para a compra do leite, o que tem sido dispendioso. Por isso, que quiser ajudar pode colaborar, seja doando lata de leite ou contribuindo com o valor em dinheiro que puder para ajudar os pais. As doações podem ser feitas através da conta poupança na Caixa Econômica Federal, agência 1733, operação 013, conta 110364-4.

“Júnior e eu ficamos emocionados com as palavras doces e amigas que temos recebido, com as doações e todo apoio. Sabemos que o governo fornece essas latas através do Case, mas até Amanda conseguir ser consultada e encaminhada nossa luta continua. Agradecemos demais o carinho, a compreensão, a corrente maravilhosa que se formou. O nome de cada um será lembrado por nós. Este momento é inesquecível e ano que vem estaremos agradecendo a Deus e a vocês pela ajuda”, disse mariana em depoimento postado em seu perfil no Facebook.

A gente que é mãe sabe o quanto é fundamental vermos nossos filhos bem. Por isso sei que quem puder ajudar não vai se furtar a fazer isso. O bem que a gente faz, com certeza se volta é para a gente mesmo.

#TodosPorAmanda

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)


Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae

Nenhum comentário:

Postar um comentário