segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Projeto que tornar obrigatória a higienização de tanques de areia para recreação infantil



Tramita na Câmara dos Deputados o projeto de lei 1.416/2015, que torna obrigatória a higienização de areia de tanques de áreas destinas ao lazer infantil, sejam elas públicas ou privadas. A proposta, de autoria do deputado Goulart (PSD/SP) já foi aprovado na Comissão de Desenvolvimento Urbano, tramita em caráter conclusivo, e será analisado ainda pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

O objetivo do projeto é proteger as crianças que se utilizam dessas áreas de lazer, normalmente dispostas em parquinhos para recreação, mas, no entanto, sem alguns cuidados podem causar sérios riscos à saúde de quem utilizam esses tanques de areia.

E esses riscos são muitos. Às vezes, esses tanques não são colocados em áreas restritas, sem gradis, telas ou cercas de madeira. Esses instrumentos impedem que animais tenham acesso à areia façam suas necessidades fisiológicas, o que amplia os riscos de contaminação às crianças que brincam nesses espaços.

Também é importante que esses tanques sejam colocados em áreas onde haja incidência de sol. Os raios solares ajudam a minimizar a proliferação de microorganismos. Especialistas em saúde também defendem que a areia superficial seja regularmente trocada para evitar a infestação e caso ela seja detectada, toda a areia do tanque seja substituída.

Outra medida importante é que se evite o consumo de alimentos dentro do tanque de areia, porque pedaços de alimentos atraem insetos, roedores, entre outros animais que podem causar doenças como toxoplasmose e leptospirose.

Portanto, a lei é importante, mas é preciso também que estejamos sempre atentos quando as crianças brincarem nesses espaços. Percebendo alguma sujeira, algum indício de que esteja contaminado, nada de brincadeira.

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae

Com informações da Agência Câmara

Nenhum comentário:

Postar um comentário