quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Folclore para crianças: nossas tradições e cultura para as próximas gerações

Provavelmente, essa semana nas conversas na volta da escola ou na mesa do almoço ou jantar já deve ter surgido alguma história da Iara, do Curupira, do Saci ou mesmo algum trecho das narrativas de Monteiro Lobato e seu (nosso!) Sítio do Picapau Amarelo. Por aqui já. E Bia está toda empolgada porque na sexta-feira ela será a Dona Benta na apresentação da turminha dela. É que no próximo sábado, dia 22, é o Dia do Folclore. Às vésperas dessa data é comum as escolas realizarem atividades voltadas para o folclore.

Mas qual a importância de passarmos para as nossas crianças o que é folclore, o que ele representa e como está tão presente no nosso cotidiano? O blog Conversinha de Mãe entrevistou Claudia Stocker, diretora da Biblioteca Infantil Aglaé Fontes (Biafa*) para falar um pouco mais sobre isso.

Conversar, apresentar o nosso folclore para a criança, resgatar as tradições é importante para a manutenção da nossa cultura. E o folclore está mais presente no nosso dia a dia do que a gente imagina. É aquela brincadeira que foi do tempo da nossa vó, mas que nossa mãe também brincou e nos ensinou e que a gente também pode apresentar a nossos filhos e sobrinhos (como pular corda, bambolê, pião...), são aquelas adivinhas que contamos, são os trava-línguas, são as lendas tão presentes na nossa história.

E é dessa forma lúdica que podemos em casa mesmo ir apresentando para nossos filhos, sobrinhos, afilhados, netos algumas das nossas manifestações folclóricas. Claudia diz que as lendas são bem atrativas e fáceis de trabalhar com as crianças. E elas são várias: Saci, Iara, Boto, Bumba meu Boi, Curupira, Lobisomem, Cobra d’água, entre outras. E isso pode ser feito através da leitura ou de teatrinho. Os brinquedos e brincadeiras também resgatam de forma lúdica coisas do passado, como o pião, bola de gude, pular corda, amarelinha, bambolê, boneca de pano... “E as crianças se divertem muito com isso”, completou.

Aprender brincando
Segundo Claudia, as crianças fixam bastante através da forma lúdica com que a informação é passada. “Portanto utilizamos na Biblioteca Infantil Aglaé Fontes várias formas de trabalhar com o público infantil a temática do folclore que envolve, tradições regionais e nacionais. Temos os folguedos e danças, as lendas, brinquedos e brincadeiras”, contou.
Uma das ferramentas utilizadas para isso também é o Teatro de Fantoches, onde os bonecos (personagens diversos) através de um diálogo contam a história das danças folclóricas e folguedos de Sergipe de forma resumida para que as crianças possam entender. “Usamos também o recurso da imagem com o vídeo. Temos a hora do cineminha onde utilizamos a coleção de filmes em curta metragem do Seu Euclides que conta a história dos Parafusos, Lambe Sujo e Chegança através de animação com bonecos”, acrescentou a diretora da Biafa.

Para esse mês de agosto, a Biblioteca preparou várias atividades especiais para as crianças conhecerem (e se apaixonarem) pelo nosso folclore. Entre elas estão a contação de histórias, a leitura de livros com as lendas do folclore brasileiro muito conhecidas, como o Saci, a Iara, o Boto, Curupira, entre outras. Tem também as oficinas de dobraduras (confeccionando o Saci), as brincadeiras de trava-língua, adivinhas, pião, pular corda, mané gostoso, bambolê, entre outros que foram disponibilizados para os pequenos na biblioteca.
Foto: André Moreira
Foto: André Moreira
Claudia Stocker lembra que a biblioteca é um local de informação e conhecimento, e através de suas ações culturais, tem o papel de manter sempre viva estas temáticas que dão oportunidade às crianças e ao público em geral conhecer um pouco mais da cultura regional e nacional.

Programação
Esse mês, já foram desenvolvidas várias atividades na Biafa pra comemorar o Dia do Folclore. Se você não foi a nenhuma delas ainda, não se preocupe. Tem coisa legal ainda para participar.
Até dia 20 tem Teatro de Fantoche com a Turma da Biblioteca. Saci-pererê e Iara apresentam: de Norte a Sul, conhecendo as tradições e lendas do Folclore Brasileiro. Acontece sempre no horário das 9h e 15 horas.

No período de 24 a 28 de agosto tem Projeto Teia Literária – Ciranda de Leitura (Lendas do Folclore Brasileiro), na Biblioteca Infantil Aglaé Fontes, com participação especial Anna Souza. Também sempre às 9h e 15 horas.

Foto: André Moreira
Ah, na Biblioteca Pública Epifânio Dória (que funciona vizinho à Biafa) também acontece, até dia 30 de agosto, a exposição “Nosso Folclore”. Nela uma amostra dos principais grupos folclóricos de Sergipe. Expostos estão cartazes, brinquedos populares, músicas, fotos, banners e decoração característica. Vale um passeio bem legal com as crianças.

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae

*Endereço da Biafa: Rua Leonardo Leite (antiga Vila Cristina), s/n – Bairro São José – Aracaju (SE) – próximo ao ginásio de esportes Constâncio Vieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário