segunda-feira, 3 de agosto de 2015

E agora, José? A fralda acabou

Agosto começou me pregando peças. Aconteceu por aqui uma coisa que em quase nove anos como mãe nunca me aconteceu.
Ontem à noite, quando meu marido terminou de dar banho na ruivinha para colocá-la para dormir perguntou:

- Nega, onde tem fralda para Rebeca?

- Aí, no porta-fraldas do quarto.

- Não, não tem mais nenhuma aqui!

Eu, na cozinha, quase caio. Domingo à noite, mais de 22 horas, chovendo e sem fralda descartável em casa para dormir? Ui, Jesus, a noite prometia!

Comecei a catar uma, apenas uma mísera fralda descartável em uma das bolsas dela, e nada! A última do trocador ela tinha usado à tarde. A última da bolsa, a que eu tinha levado (e trocado) para a igreja pela manhã. Quando abro o móvel do quarto, só encontro um pacote fechado tamanho P que tinha comprado para um chá de fraldas que eu acabei não indo.

- Não, não adianta eu abrir para usar apenas uma fralda, que sequer vai dar nela – pensei eu.

Pensei, pensei, repensei e depois de ver que não ia fazer surgir nenhuma fralda em casa. desisti. É, o jeito era partir para o plano B. Peguei uma fralda de pano (sim, daquelas que tão bem serviram à minha mãe para criar eu e meus dois irmãos) e a calcinha de treinamento e comecei a preparação.

- É, Rebeca, hoje é com essa fraldinha que você vai dormir, viu, mamãe – disse eu a ela.

Depois que eu coloquei a fralda, a calcinha e a calça do pijama (para dar uma segurada em tanto pano) ela me sai com essa:

- Oxe, e eu vou dormir com isso aqui – disse, espantada, apontando para a fralda improvisada. Foi muito engraçado.

No fim das contas, deu tudo certo. A fralda e a calcinha amanheceram molhadas, mas o berço ficou enxutinho. Repeti o mesmo processo para leva-la à casa da minha mãe, onde fica enquanto eu trabalho. Ah, e já passei no supermercado e providenciei um pacote de descartáveis para não passar sufoco de novo hoje à noite. Agora é ficar atenta para não faltar mais. E vocês, mais alguém já passou por essa situação?

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)
Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae

Um comentário:

  1. Sempre bom saber dessas histórias. Aprendemos com a experiência das outras mães. Um beijo nas meninas.

    ResponderExcluir