terça-feira, 10 de março de 2015

Relacionamento: conflitos entre irmãos

Quem tem mais de um filho sabe que, inevitavelmente, os conflitos entre os irmãos acontecem. Mais cedo ou mais tarde as diferenças acontecem. E isso independe da idade. Aqui em casa a diferença entre as meninas é de 6 anos e 2 meses, mas, roda e vira, sempre rola uma briguinha. É Bia (a maior) que não quer brincar com a pequena (Rebeca). É a pequena que quer mexer nos brinquedos da irmã, é a brincadeira que não é a mesma que ambas querem, e por aí vai...

Aqui em casa são “apenas” duas. Na minha casa éramos três irmãos. E eu era a do meio! Lembro bem das briguinhas que tínhamos e como era fundamental a intervenção de nossos pais para que as coisas não descambassem para além de um desentendimento até certo ponto saudável entre irmãos. Hoje, na posição de mãe, sei bem o quanto é importante que a gente intervenha quando essas situações acontecem e, principalmente, não tome partido em a favor de uma ou de outra.

Interceder nas brigas dos filhos é necessário e entender os motivos dessas discussões e maneiras para evitar isso é de extrema importância dos pais. Quem não teve irmãos talvez tenha mais dificuldade em entender um pouco mais isso que as mães que vieram de famílias com irmãos. Mas nem por isso a situação seja mais fácil para nós que tivemos irmãos, porque, como disse, uma simples discussão pode passar para situação de violência, agressão, desrespeito e, no futuro, até danos psicológicos como depressão e baixa autoestima.

Essa atenção ao comportamento dos irmãos precisa começar já na gravidez, pois o irmão que está para chegar pode fazer com que o seu outro filho se sinta ameaçado e com medo de ser deixado de lado. Desde essa fase é fundamental mostrar que o mais velho não vai perder sua importância para os pais por conta da chegada do irmãozinho mais novo.

O mesmo acontece após o nascimento. Na maternidade ainda é comum a família receber muitas visitas e muita atenção ao bebê recém-chegado, deixando mais uma vez a criança mais velha em situação não agradável. Situações como essas podem estimular o ciúme e rivalidade entre ambos desde cedo, algo que nenhum pai deseja, mas que é comum acontecer, muitas vezes até despercebidamente.

Irmãos são cúmplices, companheiros e carinhosos, mas ao mesmo tempo precisam aprender a dividir seu quarto, brinquedos, espaço e acima de tudo a atenção dos pais, coisas que geralmente são desculpas para brigas e discussões. Aí entra a participação especial dos pais ensinando o quanto é fundamental que ele admita que está errado quando for necessário, ensinar a ceder de vez em quando, a respeitar o espaço do outro, a pedir emprestado antes de usar algo do outro e que assim dessa maneira eles só terão a ganhar no relacionamento com os irmãos.

É fácil? Não, não é meeesmo!!! Mas, como tantas outras coisas da maternidade, é um exercício de paciência e persistência.

E como agir quando os filhos brigam? O Conversinha de Mãe dá algumas dicas que poderão ser úteis.

- Seja apartidário. Não fique a favor de um ou de outro, principalmente se você não presenciou o início da briga. Com eles mais calmos, peça para que cada um conte sua versão sobre o que levou ao conflito e procure achar uma solução para o impasse;

- Por mais que a primeira reação seja chegar aos gritos para apartar a briga, procure manter a calma. Deixe transparecer que você tem o controle da situação (mesmo que na hora essa não seja a realidade”). Com calma, você conseguirá encontrar mais fácil uma saída e ganhará o respeito das crianças;

- Aja antes que a situação descambe para a violência. Se chegar a esse ponto, as coisas só tendem a piorar. Faça-os perceber e refletir sobre o que fizeram e mostre que somente a civilidade e o diálogo podem levar a solução de conflitos.

Uma forma (cada vez mais rara) de estimular a boa convivência e promover a aproximação dos irmãos e toda família são os jogos. Eles, além de promoverem uma integração, estimulam uma disputa sadia. Algumas sugestões:
Cara a cara é uma boa opção
Monopoly: pra toda família participar do jogo
Dar uma arrumada no quarto compartilhado dos irmãos também é uma boa tentativa de deixá-los mais unidos e cúmplices no espaço em comum.
Beliche pode dar uma modificada no quarto, inclusive com mais espaço
Beliche com cores mais modernas podem dar um upgrade no ambiente dos irmãos
Então, é isso. Conte-nos como tem sido a convivência aí entre os irmãos.

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae

Um comentário: