quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Volta às aulas: atenção aos riscos de atropelamento em área escolar

Entre outros pontos, a volta às aulas requer também atenção no que diz respeito aos riscos de atropelamento no entorno das escolas. Sabiam que, segundo dados do Ministério da Saúde, por ano, mais de 600 crianças de 0 a 9 anos morrem no Brasil vítima desse tipo de acidente? É por conta disso que o Ministério faz um alerta sobre esse perigo.

A coordenadora geral de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde do Ministério da Saúde, Marta Silva, explica que os pais e responsáveis não devem deixar de acompanhar os filhos no momento da travessia. “Sempre que os pais ou responsáveis levarem a criança até a escola devem acompanhar a travessia da criança e essa travessia deve sempre ser feita na faixa de pedestre ou pelas calçadas. Orientamos também que não se pare em fila dupla. Isso aumenta o risco de acidentes envolvendo crianças. Quando os pais pararem o carro, também acompanhar a descida da criança do automóvel. Na prevenção dos atropelamentos com criança, alertamos os pais e responsáveis que eles têm que fazer a sua parte e proteger a criança, dentro do carro e fora do carro, de maneira segura”, disse.

Quando eu vou deixar minha filha na escola, sempre atravesso a rua com ela, segurando a mão, na faixa de pedestre. Quando dá e não está tão congestionado, paro o carro na frente da entrada do colégio e o orientador tira ela e a mochila do carro e eu fico só acompanhando ela entrar. Esse horário do começo da manhã é tão complicado no trânsito e a gente sabe a pressa que os motoristas têm. Então, todo cuidado é pouco!

Marta Silva destacou ainda que o Ministério tem uma ação que foi criada para evitar acidentes no trânsito, inclusive atropelamentos em área escolar envolvendo crianças e adolescentes. “O Ministério da Saúde tem um Projeto Vida no Trânsito e esse projeto implantado em estados, capitais brasileiras e alguns municípios junto às escolas. Então, essa é a prioridade. A dica é prevenção. Todo cuidado é pouco. A maioria dos acidentes de trânsito ocorrem próximo à escola. Então, temos que fazer toda essa orientação, e essa orientação se estende para os pais, os responsáveis e para toda a comunidade escolar que vai receber estas crianças”, disse a coordenadora.

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae


Com informações do Blog da Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário