segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

O perigo das intoxicações de crianças dentro de casa

Semana passada a gente falou aqui no blog Conversinha de Mãe sobre os cuidados que se deve ter com os medicamentos em casa para que as crianças não tenham acesso. A ingestão de medicamentos sem a supervisão de um adulto é uma das principais causas de intoxicação entre crianças menores. Mas os remédios não são os únicos vilões. A exposição a produtos tóxicos é um evento comum em crianças pequenas, pois elas têm o hábito de colocar na boca qualquer coisa que veem pela frente. E é justamente dentro de casa que acontece esses acidentes em crianças menores de seis anos.

Hoje, felizmente, o número de mortes de crianças por intoxicação reduziu e essa diminuição está ligada diretamente às medidas preventivas e educativas adotadas nos últimos anos no país, como a obrigatoriedade de embalagens de medicamentos com tampas invioláveis, educação pública permanente através da mídia, e a criação dos centros de controle de intoxicação pelo Brasil (CCI), os quais se pode contatar facilmente por telefone em caos de intoxicação (no final do post a relação de todos CCI no país).

O que é perigoso para a criança
Entre os principais produtos causadores de intoxicações em crianças estão os medicamentos, produtos de limpeza usados em casa, pesticidas agrícolas, raticidas e plantas. No caso dos remédios, destaque para os antitérmicos, soluções nasais, antigripais, antialérgicos, sedativos, antidepressivos, antieméticos, medicamentos para asma, diabetes e hipertensão arterial.

Os produtos domésticos podem provocar intoxicações por ingestão, inalação e contato com pele e olhos. Mas esse tipo de intoxicação tem como ser facilmente evitado com cuidados simples e mudanças na rotina da casa. Os produtos tóxicos normalmente usados na limpeza da casa e higiene pessoal DEVEM ser mantidos em local inacessível para as crianças. É o caso de desinfetantes, sabão em pó, sabonete líquido, álcool, amônia, cloro, detergente, inseticida, limpadores de vaso sanitário, assim como acetona, antisséptico bucal, esmalte de unha, éter, flúor, e perfume, entre outros.

Atenção para a soda cáustica e a água sanitária (hipoclorito de sódio) manipulada (não comercializado), que não deveriam ser adquiridos diante dos grandes danos que pode causar à criança. Já os solventes e derivados de petróleo, se inalados provocam sérios danos ao sistema respiratório da criança. Se sua casa sofre com algum tipo de praga, como barata, formiga ou rato, atenção também com o tipo de produto que você usa para combatê-los. Os mais frequentes são, no caso dos raticidas, o conhecido chumbinho, que sua ingestão, mesmo em pequena quantidade pode ser fatal, e os dicumarínicos, que provocam sangramentos.
Perigo: "Comigo ninguém pode"
As plantas também requerem atenção redobrada, porque alguns tipos são tóxicas. Uma da mais conhecidas é a “comigo-ninguém-pode”. Sua folha,verde com manchinhas brancas até parece inofensiva, mas desperta a atenção e ela pode provocar lesões em lábios, boca e esôfago, com inchaço, dor e feridas.

Outro elemento que tem preocupado por conta das intoxicações causada por ele são as chamadas baterias botão, normalmente usadas justamente nos brinquedos eletrônicos das crianças (já falamos sobre isso em um post aqui). A lesão intestinal por esse tipo de bateria é causada por geração de corrente elétrica local, podendo levar a sangramento e perfuração, com potencial risco de óbito.

Quando no esôfago, as queimaduras aparecem com menos de duas horas de ingestão, e as perfurações podem ocorrer cerca de cinco horas após o acidente. O diâmetro aumentado da maioria das baterias de lítio (20 mm) causa maior dano no esôfago das crianças, o que faz com que elas estejam associadas aos casos de maior gravidade e mortes. Em isso acontecendo, a criança deve ser levada à unidade de emergência de um hospital de referência para que a bateria seja retirada imediatamente.

Portanto, nunca é demais reforçar: mantenha sempre produtos domésticos e medicamentos em locais fechados, sem possibilidade de ser visto ou alcançado por crianças e use cadeados ou trancas nos armários onde os produtos estão estocados.

Em caso de intoxicação por qualquer desses elementos, a primeira providência é entrar em contato com um Centro de Controle de Intoxicação. Veja aqui onde encontrá-los em seu estado:

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae


Com informações do Departamento Científico de Segurança da Criança e do Adolescente da SBP

Nenhum comentário:

Postar um comentário