quarta-feira, 25 de junho de 2014

Cuidar dos netos ajuda a manter a mente ativa

Esse post foi uma sugestão da pediatra das minhas filhas, a querida Magali Dias. Além de médica de mão cheia, ela é uma avó extremada, dedicada ao máximo aos seus netinhos. Ela compartilhou no seu perfil no Facebook uma matéria com uma pesquisa que achei bem interessante sobre os avós.

A pesquisa foi publicada pelo Jornal The North American Menopause Society. Ela descreve que aqueles que cuidam de seus netos apresentam uma maior probabilidade de manter-se tanto fisicamente como mentalmente mais ativos. Dessa forma, segundo o estudo, mulheres mais velhas acabam tendo uma melhora na função cognitiva e, consequentemente, uma redução dos riscos delas desenvolverem demência, sendo que está, posteriormente, traria resultados negativos para a sua saúde e emocional.

Esses dados reforçam o que a gente tem visto cada dia mais: o prazer de muitos avós em cuidar mais de perto dos seus netos. A gente já sabia dos benefícios desse contato mais próximo para os netinhos: maior aproximação que reflete em mais carinho, cumplicidade, além de auxiliar no seu desenvolvimento, educação... Já para o idoso, você sabia que esse relacionamento mantém a mente mais ativa?

No entanto, nunca é demais lembrar que cuidar dos netos deve ser um prazer e não uma obrigação para os avós assim como ser uma coisa com moderação. Essa mesma pesquisa mostrou que avós que cuidam cinco dias por semana dos netos apresentaram menor velocidade de processamento mental. Diferentemente das que ficavam apenas uma vez por dia que tinham uma maior capacidade de raciocínio.

Matéria publicada no portal A Terceira Idade traz algumas dicas de como fazer esse relacionamento funcionar bem. O Conversinha de Mãe lista ela agora para vocês:

Como fazer o relacionamento funcionar bem?

Para que a convivência seja boa para pais, filhos e avós é importante estabelecer um diálogo com o objetivo de discutir seus planos e expectativas. Nesse momento deve-se deixar claro sobre a importância de evitar preconceitos entre as diferentes gerações. Ou seja, aprender a ouvir e respeitar uns aos outros. Lembrando que as necessidades da criança devem estar em primeiro lugar.

Outras dicas:

- Evite competir o amor da criança com a mãe;
- Não faça críticas aos pais pela falta de limites da criança;
- Ligue e faça visitas às crianças para estreitar a relação;
- Não seja apenas doce. Avó também serve para impor alguns limites;
- Nunca desautorize os pais da criança.

Com informações do portal www.aterceiraidade.com
Foto: Shutterstock

Nenhum comentário:

Postar um comentário