quinta-feira, 8 de maio de 2014

Prorrogada campanha de vacinação contra gripe

Os municípios que não atingirem até esta sexta-feira, dia 9, a meta de 80% de cobertura do público alvo na campanha de vacinação contra a gripe devem prorrogar o período de vacina. Esta é a orientação do ministério da saúde. Inicialmente este seria o prazo, mas como o índice de imunização está bem abaixo do estabelecido, a campanha foi estendida.

A última parcial, até esta quinta-feira apontava que mais de 21,3 milhões de brasileiros já tinham se vacinado contra a doença. Mas isso representa apenas 53,6% da meta estabelecida. O Ministério da Saúde pretende imunizar 49,6 milhões de pessoas.

A maior cobertura vacinal está entre as mulheres com até 45 dias depois do parto: 56,7%. Por outro lado, as gestantes, indígenas e trabalhadores de saúde estão entre os que menos buscaram a imunização. Segundo a pasta, a vacina contra a gripe é segura e evita o agravamento da doença, internações e, até mesmo, mortes.

A vacina está disponível nos postos de vacinação para crianças entre seis meses e cinco anos, pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, povos indígenas, gestantes, mulheres que tiveram filhos nos últimos 45 dias, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais.

Já as pessoas com doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, devem apresentar prescrição médica quando forem se vacinar. Quem já é cadastrado em programas de controle das doenças crônicas do SUS deve se dirigir aos postos em que estão cadastrados para receberem a vacina.

Os sintomas da gripe são febre, tosse ou dor na garganta, dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.

Então, se ainda não foi ao posto de saúde ainda, não pode deixar de comparecer.

Beijos

@conversinhadmae


Com informações da Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário