terça-feira, 6 de maio de 2014

Eletricidade: um risco dentro de casa!

A curiosidade é uma característica própria das crianças. À medida que vão crescendo, ela vai aumentando. Cada coisinha dentro de casa faz parte da descoberta do mundo dos pequenos. E, assim como a curiosidade deles, proporcionalmente tem que crescer a nossa atenção. Esse é o principal caminho para evitar os acidentes domésticos que tanto vitimam as crianças.

Com a eletricidade não é diferente. Aqueles buraquinhos das tomadas parecem atrair a atenção dos pequenos. Sem saber do risco, não hesitam em colocar seus dedinhos ali e aí, já sabe: a possibilidade de um choque é certa. O boletim divulgado pela Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel) mostrou que, no ano de 2013, aconteceram 45 mortes de crianças de até 10 em decorrência de choque elétrico.

É um número alarmante. Mais grave ainda se observarmos que na faixa dos 11 aos 15 anos outras 37 perderam a vida pelo mau uso da eletricidade. Até os 20 anos o total de óbitos foi de 126 óbitos. A maioria desses acidentes ocorreu em casa ou em ambientes residenciais, como alguns casos relacionados a “cercas eletrificadas” inadvertidamente construídas por leigos e inconsequentes. Outra causa é o toque em tomadas ou condutores sem proteção.

Esse acidentes, na sua quase totalidade, poderiam ser evitados. Algumas dicas simples podem evitar que não só as crianças quanto nós mesmos não sejamos vítimas de choques elétricos, que podem ser fatais.

Veja alguns cuidados básicos que se deve tomar com eletricidade.

- Verifique sempre o estado das instalações elétricas. Fios desencapados podem ser perigosos e as tomadas devem estar protegidas por tampas, fita isolante ou mesmo ocultas pelos móveis. Coloque protetores nas tomadas que estão ao alcance de crianças para evitar acidentes.

- Os fios elétricos devem estar isolados e longe do alcance das mãos das crianças. Os benjamins (também chamados “T”) ou extensões devem ser evitados. Muitos aparelhos ligados na mesma tomada podem causar sobrecarga e curto circuito na fiação;

- As crianças devem ser orientadas a não colocar objetos metálicos (facas, garfos, etc.) dentro de equipamentos elétricos, como o liquidificador e mantenha a criança longe da pessoa que estiver passando roupa.

- Os pais devem orientar os filhos para nunca empinar pipas perto dos fios da rede elétrica, nem retirá-las caso elas fiquem presas na rede. Outra recomendação é para que não sejam utilizados fios metálicos para empinar pipas. Somente permita que as crianças empinem pipas em campos abertos com boa visibilidade, sem a presença de fios e postes de eletricidade.

- Oriente as crianças para não entrar nas áreas das estações de distribuição ou nas onde se encontram as torres de transmissão de energia elétrica. As crianças devem ficar longe dos fios de alta tensão.

- Antes de efetuar consertos e reformas, é preciso desligar a chave geral. Dê preferência a um eletricista profissional e desligue o chuveiro antes de mudar a chave verão/inverno.

Em caso de choque elétrico, ligue imediatamente para o Corpo de Bombeiros, através do telefone 193. O atendimento precisa ser rápido. Os primeiros minutos após o choque são vitais para o acidentado. De imediato, desligue o disjuntor elétrico ou a chave geral se houver algum problema nas instalações internas da casa.

É importante também saber que não se deve tocar na vítima ou no fio elétrico sem saber se existe passagem de eletricidade. Se não for possível desligar a chave geral, remova o fio ou a vítima com a ajuda de um material seco não condutor de energia, como madeira, cabo de vassoura, jornal dobrado, cano plástico, corda, etc. e ao carregar a vítima, tome muito cuidado para não complicar eventuais lesões, principalmente na coluna vertebral.

Vamos ter sempre atenção para evitar esse tipo de acidente.

Beijos

@conversinhadmae

Com informações do Boletim Abracopel

Nenhum comentário:

Postar um comentário