sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Estudo aponta que gestantes consomem poucas frutas e hortaliças

O consumo de frutas e hortaliças por gestantes abaixo do que recomenda a Organização Mundial de Saúde (OMS) ficou constatado numa pesquisa feita pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP. O estudo analisou a relação entre o ambiente alimentar e das práticas alimentares com o consumo de frutas e hortaliças em gestantes. Na pesquisa, 282 gestantes atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) de Ribeirão Preto (interior de São Paulo) foram avaliadas pela nutricionista Daniela Zuccolotto.

Constatou-se que a média de consumo de frutas e hortaliças foi de 207 gramas por dia, abaixo da recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) para a população em geral, que é de 400g. “Em relação ao ambiente alimentar, a pesquisa verificou-se a percepção da gestante em relação à distância de sua residência até o mercadinho, supermercado, varejão ou feira livre, lanchonete, padaria loja de conveniência e restaurantes mais próximos de sua casa apresentava relação com maior consumo de frutas e hortaliças”, diz Daniela.

A nutricionista acrescentou que no estudo também foi questionado sobre a percepção em relação a qualidade e variedade de frutas e hortaliças no local onde ela adquiria esses alimentos (boa ou ruim), se apresentava relação com maior consumo desses alimentos. Foi questionado também se a gestante possuía horta em casa para ver se as que possuíam apresentavam maior consumo de frutas e hortaliças. No entanto, nenhuma dessas questões apresentou associação com maior consumo de frutas e hortaliças entre as gestantes estudadas.

A pesquisa mostrou que apenas 10% das gestantes analisadas consumiam a quantidade de frutas e hortaliças recomendadas pela OMS. Por outro lado, observou-se um consumo elevado de alimentos fritos, salgadinhos tipo chips, refrigerantes e bolachas entre as gestantes avaliadas. Para a nutricionista Daniela, esse consumo elevado de alimentos gordurosos é preocupante, pois pode levar a um ganho de peso excessivo durante a gestação, causando sérias complicações tanto para mãe quanto para o bebê.

A nutricionista ressalta que uma alimentação adequada durante a gestação é muito importante para que a futura mamãe consiga suprir as suas necessidades de energia e nutrientes, que estão aumentadas, e para que ela tenha um ganho de peso adequado neste período, evitando complicações futuras. “É importante que a gestante esteja consciente disto e que o profissional de saúde saiba orientá-la e motivá-la a ter hábitos alimentares saudáveis nesse período”, concluiu Daniela Zuccolotto. A pesquisa foi orientada pela professora Daniela Saes Sartorelli, da FMRP.

Beijos

@conversinhadmae

Com informações da Agência USP de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário