sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Consumismo Infantil: como lidar

Com as crianças se tornando grandes consumidores, começam a surgir os efeitos de um consumismo infantil que se tornou um problema para muitos pais. Crianças cada vez mais exigentes demandam por objetos sem os quais dizem não poderem ser feliz. Jogos e brincadeiras antigas não bastam mais, agora elas querem o mais novo brinquedo do mercado.

Muitos pais sofrem com o desejo incontrolável das crianças. E muitos pais vivem sob a ameaça de um ataque de birra ao dizer o primeiro não aos seus filhos. Assim, a maioria dos parentes entende essa vontade desenfreada de consumo como algo criado pelo meio. A televisão, as propagandas desenvolvidas que visam as crianças, os coleguinhas na escola, tudo ao redor da criança influencia-a a exercer este comportamento consumista.

Mas existe algo nessa equação feita pelos pais que foi deixado de lado. Ao pensar nas influências externas os pais se esqueceram de ver como eles mesmos influenciam seus filhos a desenvolver um comportamento consumista.

Crianças são seres altamente observadores, elas observam e reproduzem todos aqueles comportamentos que veem ao seu redor. “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço” não funciona com eles. Se você quiser dar uma aula teórica sobre valores para o seu filho, muito bem, mas saiba que eles vão ter como valores aquilo que você mostrar que valoriza.

Portanto, ao trocar de carro, querer uma televisão mais moderna, comprar novas coisas todo final de semana, os pais acabarão por influenciar seus filhos. Nossas atitudes enquanto pais são os exemplos que as crianças vão seguir para reagir a uma propaganda na televisão. Consumindo, estamos mostrando para elas como é importante participar do mundo do consumo.

Se queremos que nossas crianças deem outras respostas frente aos bens materiais que lhe são apresentados, precisamos primeiro pensar em mudar a nossa atitude em relação ao consumo, mostrar a elas que existem outras maneiras de se brincar, de se divertir.

Outra coisa extremamente maléfica para crianças é associar os momentos de lazer com momentos de compras. Final de semana é o momento onde pais e filhos podem passear no parque, ir acampar, construir brinquedos de papelão, ou qualquer outra atividade social. Mas o que muitos pais acabam fazendo no final de semana é ir ao supermercado no sábado e passear no shopping. Ou seja, associando os momentos de socialização da criança com momentos de compras é quase impossível esperar que elas não vinculem felicidade, carinho e afeto com consumo.

Portanto, da próxima vez que quisermos reclamar de nossos filhos, vamos observar nossas atitudes, e ver aonde podemos mudar, para que nossas crianças mudem conosco.

Beijos


@conversinhadmae

Nenhum comentário:

Postar um comentário