quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Cadeirinhas para veículos podem melhorar

A Proteste - Associação Brasileira de Defesa do Consumidor junto ao Global NCAP fez uma pesquisa pra analisar a qualidade das cadeirinhas e bebês conforto. Para isso, foram submetidos dispositivos de retenção de crianças em carros a testes de colisão. Os resultados ainda estão longe do ideal. O uso de bebês conforto e cadeirinhas para acomodar crianças em veículos é obrigatório e precisa ser eficiente na proteção aos pequenos.

Por esse motivo, em parceria com o Global NCAP, a Proteste submeteu esses produtos novamente a testes de impacto. E a conclusão a que se chegou é que esses dispositivos de retenção das crianças nos veículos ainda podem melhorar.

O fato é que nenhum produto recebeu cinco estrelas. E os resultados para o teste de impacto lateral foi, em sua maioria, ruim ou, no máximo, aceitável. Para piorar, um dos produtos teve sua nota limitada por conta do impacto da cabeça do boneco que simulava a criança contra a lateral do veículo.

Nos testes de impacto frontal, os bebês conforto (até 13 kg) se saíram bem. Já entre as cadeirinhas (para 9 a 36 kg), nenhum deles foi considerado muito bom. Nenhuma cadeirinha testada oferece o sistema de fixação do tipo Isofix (que prende a cadeirinha diretamente na carroceria do carro) – e já foi provado pelo Global NCAP, em testes com modelos que têm esse sistema, que a criança fica muito mais segura. Sem o Isofix o deslocamento da cadeirinha é maior, causando aceleração da cabeça e do tórax do boneco durante alguns testes.

No teste com bebês conforto, em 2010, dois modelos foram eliminados por permitirem que as crianças batessem fortemente com a cabeça na porta. Na análise com cadeirinhas, em 2012, não houve eliminação, mas foram detectados problemas na proteção durante o impacto lateral. Falhas que, infelizmente, persistem.

Os bebês conforto Burigotto Touring, Galzerano Piccolina e Peg Perego Primo Viaggio Trifix permitem o contato da cabeça da criança com a lateral da porta. Nos outros modelos, o contato foi menor e a proteção foi considerada aceitável.

Nas cadeirinhas, a mais segura foi a Infanti, que protegeu bem a cabeça do boneco durante o teste. Já o assento Cosco Commuter XP é o menos seguro, permitindo um impacto muito forte da cabeça da criança com a lateral do veículo. Essa cadeira não traz proteção lateral alguma para a cabeça, o que justificou o resultado, limitando sua nota final em apenas uma estrela. Os outros produtos foram aceitáveis.

Alguns produtos exigem muita força na instalação e trazem presilhas escondidas, o que dificulta a fixação aos cintos do carro. Além disso, os bebês conforto Burigotto Touring e Galzerano Piccolina e a cadeirinha Cosco Commuter XP são pequenos para suportar o tamanho da criança para a qual são indicados. Tal falha no projeto permite que a cabeça fique acima do topo da cadeirinha, representando um risco maior de ferimentos em um acidente.

Temos que ficar de olho, mamães e papais, nas cadeirinhas e bebês conforto que estamos usando. Não vi a que minha bebê usa nessa relação (a Burigotto Peg Perego Neo Matrix). Não sei se isso é bom ou ruim. Acho que essas informações são de utilidade pública.

Beijos

@conversinhadmae

Fonte: Proteste

Nenhum comentário:

Postar um comentário