quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Diabetes gestacional: o que as mamães precisam saber sobre essa doença silenciosa

A gestação apresenta mudanças significativas no organismo da mulher, sobretudo, no sistema hormonal. E isso pode trazer algumas complicações, como por exemplo, a diabetes gestacional, doença caracterizada pelo alto nível de açúcar no sangue. Durante a gravidez, os hormônios podem impedir que a insulina cumpra sua função, e quando isso acontece, os níveis de glicose podem aumentar no sangue, podendo ser perigoso, tanto para a mãe, quanto para o bebê.

Segundo a ginecologista especialista em Reprodução Humana da Criogênesis - clínica é referência em serviços de coleta e criopreservação de células-tronco e em medicina reprodutiva -, Paula Bortolai, a diabetes gestacional geralmente começa na metade da gestação e, na maioria das vezes, desaparece após o parto. “Por isso, é extremamente importante que todas as grávidas façam o teste oral de tolerância à glicose entre a 24ª e a 28ª semana de gestação para verificar a taxa de glicemia. No entanto, aquelas que possuem fatores de risco para a doença devem fazer o teste antes desse período”, explica.

Ainda de acordo com a especialista, a mulher deve estar muito atenta às mudanças e às alterações que ocorrem no decorrer da gravidez, sempre informando seu médico de tudo o que está sentindo, já que os sintomas da doença podem ser muito leves e nem sempre percebidos pela gestante. “Dentre os principais sinais estão o ganho de peso excessivo da mulher ou do bebê, inchaço, aumento exagerado do apetite, vômitos incontroláveis, infecções frequentes na bexiga, na vagina ou na pele, vontade de urinar frequente, visão turva, muita sede e fadiga”, alerta.

Por isso, se a doença for constatada durante a gravidez, o médico deverá acompanhar atentamente a futura mamãe e o bebê, para que possam ser evitadas complicações como, aborto espontâneo, pré-eclâmpsia, risco de infecção urinária ou respiratória e necessidade de parto cesárea, devido ao tamanho do bebê. Além disso, alguns cuidados com a alimentação deverão ser tomados para garantir uma gestação e um parto saudável. “Todo esse controle deve ser acompanhado por um especialista, pois, dietas mal planejadas podem  interferir no desenvolvimento do feto”, esclarece a médica.

Beijos

@conversinhadmae


Fonte: Assessoria de Imprensa Criogênesis

Nenhum comentário:

Postar um comentário