sexta-feira, 31 de maio de 2013

Resultado concurso cultural Parent’s Choice

Desde já pedindo desculpas, pois não pude ontem fazer o sorteio do nosso concurso cultural Parent’s Choice. Mas vamos ao resultado. Tcharan... Quem quer saber???????

A felizarda é mãe de um bebê lindo e esperto...
O número sorteado foi o 5.
Parabéns, Ana Karla Goes Costa!!!!!! Você ganhou o pacote com 48 fraldas Parent’s Choice, presente do Walmart e blog Conversinha de Mãe.

Combinamos a entrega por email.

Obrigada a todas que participaram. Em breve temos mais sorteios por aqui. Fiquem ligados!!!!!

Beijos

@conversinhadmae

terça-feira, 28 de maio de 2013

Campanha de vacinação contra a paralisia infantil começa em junho

No dia 8 de junho, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com o Ministério e as 75 Secretarias Municipais de Saúde, dará início à Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, a paralisia infantil, em Sergipe.

O público alvo da campanha são crianças entre seis meses e menores de cinco anos de idade. “Em Sergipe, há 157.865 crianças para serem vacinadas. A meta estabelecida pelo Ministério da Saúde é vacinar pelo menos 150 mil crianças, o que corresponde a 95% da população alvo”, disse  Sândala Oliveira, gerente do programa de Imunização da SES. 

A vacina é administrada através de gotas. Nos anos 2009, 2010, 2011 e 2012 Sergipe superou a meta do Ministério da Saúde para a vacinação contra a Paralisia Infantil, com 99,5%, 96,6%, 100% e 99,7% de cobertura vacinal, respectivamente. 

Quanto à estrutura da campanha de vacinação, será envolvido um quantitativo de dois mil profissionais de saúde. “A vacina será aplicada nos 400 postos de saúde fixos e volantes nos 75 municípios. Serão utilizados 250 veículos e distribuídas 190 mil doses da vacina”, contabilizou Sândala Oliveira. 

Esse é o 34º ano de campanha de vacinação contra a Poliomelite e o 24º ano sem a doença no país. A estratégia da vacinação, tanto nas ações de rotina, como nas campanhas, vai manter a doença erradicada no país. “Enquanto existir a poliomelite no mundo, é preciso que haja vacinação para que a doença não seja reintroduzida no Brasil”, finalizou a gerente. 

Beijos

@conversinhadmae

Fonte: Ascom SES

Saúde alerta para o término da Campanha Nacional de Vacinação da Gripe

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) alerta as pessoas que ainda não tomaram a vacina contra a gripe e que pertencem a um dos grupos prioritários a procurar o posto de saúde mais próximo de onde mora. A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe encerra na sexta-feira, dia 31.

“Após essa data, as pessoas não poderão mais tomar a vacina, pois ela não faz parte da rotina de vacinação das Unidades Básicas de Saúde e não pode ser disponibilizada fora do período de campanha”, disse Sândala Oliveira, gerente do Programa Estadual de Imunização. 

Sergipe já alcançou a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, que é de vacinar 80% da população prioritária. A cobertura vacinal no Estado está em 81,97%. “Mesmo com a meta alcançada, é preciso que os municípios que ainda não atingiram a meta intensifiquem a campanha nesses últimos dias e a população procure os postos de saúde”, reforçou Sândala Oliveira. 

As crianças, entre seis meses de idade e menores de dois anos, estão com cobertura vacinal de 88,30%. Os trabalhadores da saúde estão com a cobertura de 80,21% e as puérperas, com até 45 dias após o parto, já alcançaram 91,82% de cobertura vacinal. O grupo dos idosos e indígenas está com 81,28% e 99,71% de cobertura, respectivamente. O grupo populacional das gestantes foi o único que ainda não atingiu a meta de 80% e até agora está com 74,89% de cobertura vacinal. 

Os dados parciais do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), do Ministério da Saúde (MS), mostram que dos 75 municípios sergipanos, apenas 11 ainda não atingiram a metade de vacinar 80% da população alvo. São eles: Aracaju (72,97%), Estância (79,05%), Santa Luzia do Itanhy (69,04%), Santo Amaro das Brotas (79,37%), Gararu (74,59%), Porto da Folha (69,81%), Aquidabã (79,46%), Japoatã (75,88%), Poço Verde (71,99%), Tobias Barreto (61,64%) e Riachuelo (74,78%). 

A região Sul atingiu a maior cobertura vacinal, com 88,83% da população já vacinada. A região agreste foi a única em que 100% dos municípios alcançaram a meta estabelecida pelo MS e a cobertura está em 88,04%. A região do Baixo São Francisco atingiu, até o momento, 86,81% de cobertura vacinal. A região Leste está com 84,93%, o Alto Sertão com 84,33% e o Centro Sul com 81,44%. A Grande Aracaju foi a única região que não atingiu a meta estabelecida pelo MS. Até o momento, a região tem apenas 75,65% de cobertura vacinal.

Beijos

@conversinhadmae

Fonte: Ascom SES

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Vagas especiais para gestantes em estacionamentos

Felizmente alguém olhou por elas. Em alguns Estados já é lei: shoppings, supermercados e centros comerciais devem reservar para as gestantes vagas especiais nos estacionamentos. Quem descumprir deve ser multado. Em São Paulo, a nova legislação já está valendo há uma semana. Além das grávidas, nesse Estado a lei abrangeu as pessoas com crianças de até dois anos.

O objetivo é que as vagas mais largas possam facilitar a entrada e saída dessas pessoas dos veículos. No caso das gestantes, o corpo, principalmente no final da gravidez, está maior e os movimentos mais complicados. E com crianças até dois anos, a entrada e saída do carro, com colocação e retirada da cadeirinha, requer que a porta do veículo seja aberta por completo e se for naquelas vaguinhas estreitas essa empreitada fica ainda mais complicada.

Em São Paulo, a lei prevê multa diária de R$ 500 aos estabelecimentos que a descumprirem. No entanto, ela não deixa claro quanto das vagas deve ser reservado para grávidas e pessoas com crianças menores de dois anos. O texto original previa 3%, mas o percentual é superior aos 2% previstos na legislação que trata para a reserva de vagas para outras pessoas com mobilidade reduzida (idosos e pessoas com deficiência)

Em outros Estados, projetos de lei semelhantes já estão tramitando e também devem beneficiar principalmente as gestantes. O Paraná é um deles. Lá a proposta reserva 2% das vagas em estacionamentos públicos e privados às grávidas e exige que essas vagas sejam escolhidas de acordo com a facilidade de acesso com “áreas de maior interesse na localidade, e localização dos meios de circulação de pedestres”.

Aqui em Sergipe, Estado onde moro, o deputado estadual Zezinho Guimarães também apresentou na Assembleia Legislativa um projeto que dispõe sobre a reserva de vagas de estacionamento especial para gestantes. Pela proposta apresentada fica assegurada a reserva, para gestantes durante todo o período gestacional, de vagas preferenciais nos estacionamentos públicos e privados, as quais deverão ser posicionadas de forma a garantir a melhor comodidade à gestante.

De acordo com o parlamentar, esse já é um direito previsto no Código Nacional de Trânsito, assim como o que é garantido aos idosos e aos portadores de necessidades especiais, mas que infelizmente é ignorado. A sua proposta é que seja garantido 2% do total de vagas para as gestantes e a área deve ser devidamente sinalizada e com as especificações técnicas de desenho e traçado de acordo com as normas técnicas vigentes. A utilização será feita mediante utilização de adesivos de identificação, afixados no veículo, fornecidos pela autoridade de trânsito local.

Uma boa iniciativa. E em seu Estado já existe lei nesse sentido?

Beijos


@conversinhadmae

sábado, 25 de maio de 2013

Ele chegou: o primeiro dentinho

Gente, estou tão emocionada. Hoje, no comecinho da noite, tive uma surpresa. Ao passar o dedo pela boca de Rebeca eis que encontro lá o primeiro dentinho dela. É, com seis meses e ele já apontou. Ele não. Parece que são eles. Dois na gengiva inferior. Um já está mais para fora e o outro já “arranhando” Confesso que não esperava encontrá-los tão cedo e também estou com receio do que ela vai fazer com meu peito agora (rsrsrsrs).

Tudo bem que é comum que os primeiros dentinhos comecem a aparecer a partir dos seis meses de idade (em alguns bebês até antes disso), mas é que minha outra filha, Beatriz, só nasceu com 11 meses. Quanto a continuar amamentando, vai ser uma novidade para mim, porque quando nasceram os primeiros dentes de Bia ela já não estava mais mamando no peito. Mas esse é um próximo capítulo.
No mercado, existem dedeiras de silicone de várias marcas
Agora, com dentinhos de verdade, os cuidados devem ser redobrados, para evitar cáries desde cedo. Os dentistas recomendam que a limpeza da boca do bebê comece a ser feita antes mesmo de nascer o primeiro dentinho, para que ele vá se acostumando. Uma gaze, fraldinha de pano ou mesmo aquelas escovas de silicone que a gente coloca no dente são alguns dos instrumentos que devem ser utilizados. Além de limpar, eles massageiam a gengiva e ajudam os dentinhos a saírem e também a aliviam a coceira comum nessa fase. No caso da dedeira, lembre-se que ela deve ser higienizada a cada uso, como são as chupetas e mamadeiras.
Ajuda a aliviar a coceira na gengiva
Também já vou providenciar outra coisa que usei quando Bia estava com os dentinhos nascendo: Nenê Dent. Acho que vocês já ouviram falar. É um medicamento que a gente usa para aliviar as dores e coceiras na gengiva tão comuns nessa fase que estão saindo os primeiros dentinhos. Ele está disponível em gel e em gotas. Eu já usei e recomendo (a propaganda é de graça, viu! Rsrsrsrs) Ele ajuda porque tem camomila, que age como anti-inflamatório local e calmante, além de ter outras substâncias com efeito anestésico, como lidocaína e polidocanol, além de xilitol, que previne o surgimento de cáries.

Escova de dentes mesmo só se deve começar a usar quando os dentes de trás começam a aparecer.  Nessa primeira fase, não é preciso usar creme dental, principalmente com flúor. A dentição da criança está completa em torno dos 3 anos de idade.

Ah, ainda não tirei fotinho de Rebeca ainda não com esse novo visual, mas depois posto uma aqui.

Beijos

@conversinhadmae

Ilustração: blog Na Net com Mamãe

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Anvisa lança cartilha com orientações sobre armazenamento do sangue de cordão umbilical

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária lançou hoje (24) uma cartilha para esclarecer os benefícios e as limitações do armazenamento do sangue de cordão umbilical, prática que vem crescendo nos últimos anos. Um dos objetivos é orientar futuros pais que veem na coleta uma forma de garantir o tratamento de doenças do filho.

O texto explica que o cordão umbilical é uma alternativa no tratamento de doenças hematológicas, por ser rico em células-tronco, porém são raros os relatos de transplantes de sangue de cordão autólogo (no próprio doador) no mundo e não há estatísticas quanto à eficácia desse tipo de procedimento.

"Nem sempre será possível utilizar o próprio sangue de cordão armazenado. Este uso é contra-indicado em algumas situações. Por exemplo, para tratar doenças de origem genética, como certas leucemias (a causa mais comum de transplantes realizados na infância), uma vez que o sangue do cordão pode carregar o mesmo material genético e os mesmos defeitos responsáveis pela doença manifestada", diz a cartilha.

De acordo com a Anvisa, das 45.661 unidades de cordão umbilical armazenadas em bancos privados no país, entre 2003 e 2010, apenas três foram utilizadas para transplante autólogo.

A legislação proíbe que os bancos privados façam transplantes usando o material de uma pessoa para tratamento de outro paciente. Nos bancos privados, os custos são arcados pelo contratante. A cartilha incentiva as pessoas a doarem os cordões umbilicais para os bancos públicos, onde o acesso é gratuito.

A maioria dos transplantes usa células-tronco do sangue do cordão armazenado em unidades públicas. Mais de 10 mil pacientes no mundo foram tratados desta maneira, segundo a Anvisa.

Beijos

@conversinhadmae

Fonte: Agência Brasil

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Armazenar o leite materno: um exercício de dedicação e paciência que exige cuidados


Há dois meses, quando voltei a trabalhar depois da licença maternidade, começou um novo desafio pra nós. Digo nós porque não envolvia apenas eu. Queria manter o aleitamento materno exclusivo de Rebeca (e consegui!!!!!), mas confesso que temia não conseguir tirar o leite para deixar ou ela não aceitar tomá-lo sem que fosse no peito, mas no copinho ou mamadeira.

Passado esse tempo, posso dizer que estou aliviada. Tenho conseguido deixar leite o suficiente para o período em que estou fora de casa e ela tem se adaptado direitinho às mamadas fora do peito. Diferente de minha filha mais velha, Beatriz, Rebeca aceitou tomar o leite na mamadeira. E, o melhor, isso não fez com que ela rejeitasse o peito. Às vezes até eu mesmo dou a mamadeira que já está pronta quando eu chego e ela toma numa boa. E, gulosinha como é (rsrsrsrs) depois ainda quer de sobremesa o peitinho...

Mas tirar o leite para deixar para o bebê exige paciência, dedicação e, principalmente, tranquilidade, porque senão ele não desce. Isso pode ser feito manualmente ou utilizando algum instrumento para isso, como tira-leite ou bombinhas que existem nas lojas especializadas.

Tive que observar direito o “funcionamento” das mamas para saber os momentos mais propícios para a ordenha (sim, não estranhem nem achem feio o termo, pois é o adequado para esse procedimento, embora lembre uma vaquinha rsrsrsrs). Quando passo muito tempo com ela em casa, os seios nem sempre têm leite suficiente para ser tirado e armazenado, porque ela seca tudo.

Mas quando ela mama em apenas um peito e fica satisfeita, aproveito para tirar do outro e deixar armazenado para quando não estiver com ela. A recomendação é que isso seja feito mesmo depois que o bebê mama, porque o peito que não foi sugado está cheio. Pela manhã também é bem propício, principalmente para mães de bebês que não acordam mais que uma ou duas vezes à noite, como é o meu caso. À noite, antes de dormir, depois que o bebê já está tirando seu soninho, também é um bom momento.
Como tirar
Para fazer com que o leite saia, antes de tirá-lo, seja manualmente ou usando a bombinha, é importante que você esteja num local tranquilo, esteja calma, tenha paciência. Antes de começar, massageie o seio com movimentos circulares. Você vai perceber que não é de imediato que o leite vai sair, mas mantenha o movimento de pressionar o mamilo ou o movimento com a bombinha e logo o líquido estará saindo. Não adianta se “afobar”.

Se tiver dúvida como fazer esse processo todo, uma dica é procurar orientação com os profissionais do banco de leite humano de sua cidade. Na época que tive minha primeira filha procurei essa ajuda. É bem interessante, porque, além de orientar como fazer a ordenha, as técnicas ensinadas pelas enfermeiras ajudam a que o leite não “empedre” no peito, dependendo do volume que você tenha.

A quantidade de leite retirada nessa ordenha depende da idade do bebê e do momento em que se tirou o leite. Varia também a quantidade que você vai precisar para oferecer ao bebê na sua ausência ou impossibilidade de oferecer o peito para ele mamar diretamente. Especialistas dizem que para bebês de um mês, por exemplo, 90 ml são suficientes para uma mamada. Depois dos 2 meses essa quantidade aumenta para entre 120 ml e 180 ml.

Armazenamento
O leite retirado do peito pode ser guardado em temperatura ambiente por até, no máximo duas horas, na geladeira por 12 horas ou congelado por até 15 dias (sem descongelamento nesse período), para que não fique contaminado. Ele deve ser acondicionado na mamadeira ou pote de vidro com tampa plástica (esterilizados). Isso é fundamental para não estragá-lo.

No caso de deixar congelado, você não precisa congelar de uma vez só todo tanto da mamada do bebê. Pode ir fazer isso aos poucos, juntando as quantidades que for conseguindo tirar e juntando ao que já está congelado. Mas, detalhe: nesse caso fica valendo como data de validade do leite a da primeira ordenha. Lembre-se de colocar a etiqueta com a em que tirou o leite na mamadeira ou no vasilhame que acondicionou o leite.

Para esterilizar os potinhos ou mamadeiras onde o leite será guardado, se você não tiver esterilizador de micro-ondas, pode usar uma panela, onde eles devem ser fervidos por 15 minutos. Depois, devem secar naturalmente ou em local aberto, em cima de uma toalha com a boca para baixo ou dentro de um pote maior, fechado. Somente depois que os vasilhames estiverem esfriados e que coloque o leito dentro. Depois que o recipiente tiver esfriado é que se pode colocar o leite materno dentro dele.

Na hora de descongelar, o ideal é colocar o leite em um pote maior com água morna, que deve ter a mesma temperatura que a usada para o banho do bebê. Não se aconselha fazer esse aquecimento direto no fogo, fervendo ou esquentando ou no microondas, pois o calor excessivo faz com os benefícios do leite se percam. Lembre-se também que o leite materno não deve ser recongelado depois de retirado da geladeira. E o que sobrar na mamadeira também deve ser descartado.

Beijos

@conversinhadmae

Com informações portal Babycenter Brasil

quarta-feira, 22 de maio de 2013

A cor é: rosa!


Que mãe de menina não ama ver sua princesinha, seja que idade ela tenha, vestida de rosa? Seja em tons mais fortes ou suaves, o cor de rosa é versátil e pode ser usado nas mais diversas situações.
Outra vantagem desta cor é que fica bem em todos tipos de pele.

Esses looks mostrados aqui no blog são da Paraiso Moda Bebê, que apostou também nessa cor que nunca sai de moda.

Lindas, não?

Beijos

@conversinhadmae

Fonte: Assessoria Paraiso Moda Bebê

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Concurso cultural Parent’s Choice


Que tal começar a semana com novidade??? Quem gosta levanta a mão e trata de participar logo. Como disse há alguns dias aqui, estamos com uma parceria com o Walmart e as fraldas da linha premium da Parent’s Choice. Por isso, hoje estamos lançando um concurso cultural para sortear um pacote com 48 fraldas tamanho M.
Para participar é beeem fácil. É preciso seguir nosso blog (se você ainda não segue, é facinho. Basta clicar nesse botão aqui do lado direito onde tem seguidores), deixar comentário nesse post com seu nome, email, cidade e estado onde mora e responder à pergunta: “Qual o grande diferencial da fralda Parent’s Choice em relação às outras disponíveis no mercado?”.

Pronto. Já está concorrendo. Para isso, basta participar até às 23h50 do dia 29 de maio de 2013. O resultado do sorteio, que será feito pelo site Sorteador, será divulgado no dia 30 e o ganhador será avisado por email, tendo que responder em até 24h, senão outro participante será sorteado.

Vamos lá, gente, participe e divulgue (porque compartilhamento no Facebook ou Twitter do link do sorteio dá direito a uma nova participação).

Beijos

@conversinhadmae

domingo, 19 de maio de 2013

Campanha quer estimular a doação de leite materno para bebês em risco


Toda mulher que está amamentando pode ser uma doadora de leite. Difundir essa mensagem é o objetivo do Dia Mundial de Doação de Leite Humano, comemorado hoje, dia 19. No Brasil, para estimular a prática, será lançada na quarta-feira, dia 22, pelo Ministério da Saúde, a campanha “Doe leite materno e ajude a mudar o futuro de muitas crianças”.

Apesar do aumento de bancos de leite no país, existe um déficit de cerca de 40% para atender os recém-nascidos em unidades de terapia intensiva, como explica o coordenador da Rede Brasileira de Bancos Leite Humano (RBLH), João Aprígio Guerra de Almeida. Segundo ele, sem a ajuda das mães doadoras, esse percentual tende a ser ainda maior nos próximos anos.

“Infelizmente, por um lado, e felizmente, pelo outro, com o avanço da medicina mais bebês que não teriam chances de sobreviver, como os que nascem com 600 gramas, estão sobrevivendo”, disse Aprígio. “São essas crianças que temos de nos preocupar em atender”, completou.

Recomendado pela Organização Mundial de Saúde, o leite materno é o melhor alimento para todos os bebês. Possui nutrientes e anticorpos que previnem doenças como a dengue e o cólera e pode evitar o desenvolvimento de doenças crônicas, como o diabetes e a obesidade na vida adulta. Além disso, está relacionado ao desenvolvimento da inteligência do bebê.

“Imagine um recém-nascido que nasce com seis meses, é prematuro, não está pronto para enfrentar uma série de fatores ambientais, seu sistema de defesa não está pronto. Para essas crianças, em algumas situações, posso dizer que o leite materno chega a se configurar como um fator de sobrevivência”, reforça o médico.

A doação de leite materno é simples e conta com o apoio de uma rede, que busca o frasco na casa da doadora. Em seguida, o leite é tratado e armazenado para que possa alimentar crianças prematuras ou com baixo peso, internadas em hospitais. As mães dessas crianças, pelo estresse de ver seus bebês com problemas, têm dificuldades de amamentar.

Para doar, a mãe que amamenta deve se informar sobre os procedimentos por meio do Disque Saúde 136 ou na internet, no site da RBLH. A mãe precisa separar um pote de maionese, por exemplo, esterilizá-lo em água fervente e colocar no recipiente o leite que sobrar da amamentação do próprio filho.

A rede de bancos de leite do Brasil é uma das maiores do mundo, com 211 postos de coleta. No Rio, as doações são organizadas pelo o Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF), da Fundação Oswaldo Cruz.

Beijos

@conversinhadmae

Fonte: Agência Brasil

sábado, 18 de maio de 2013

Grupo infantil homenageia o Poetinha

Mamães e papais se preparem, está chegando o dia de levar as crianças para uma divertida viagem ao imaginário do poeta Vinícius de Moraes. Os acertos finais para o grande espetáculo A Casa do Zé e os Bichinhos da Arca já tomaram fôlego e a contagem regressiva para o dia 25 de maio – quando acontece o show – já começou.  O espetáculo comemora o centenário de Vinícius de Moraes.


O lúdico e o regional combinam os arranjos ousados do grupo A Casa do Zé com a crueza poética com a qual Vinícius retrata os animais. Mas o show vai além, trazendo também músicas como Rebichada, O Vira e A lenda do Pégaso, levando o público a visitar nomes como Chico Buarque, Jorge Mautner, Moraes Moreira, entre outros.
Segundo o diretor geral João Ricardo Machado Trindade, a Casa do Zé idealiza esse show desde 2010, logo após o lançamento do primeiro CD, Maria Anita. “A Casa do Zé e Os Bichinhos da Arca é inspirado no musical infantil A Arca de Noé, de 1980 e 1981, idealizado por Toquinho com músicas de Vinícius de Moraes e que hoje é referência para qualquer produção voltada a este público”, explica.

Com participação especial do violinista Alberto Silveira e do cantor Nino Karva, o show promete emocionar a família inteira. “Queremos transmitir a beleza de Vinícius de Moraes dedicada às crianças, mas sabemos que ultrapassa esse público. Muitos pais se identificam e acabam embarcando com os filhos nesta Arca”, afirma João Ricardo.
O espetáculo será no dia 25 de maio, às 17 horas, no Teatro Atheneu. Os ingressos podem ser adquiridos no local ou na Unidade 1, da Nossa Escola, na Coroa do Meio. O valor da entrada não podia ser mais convidativo, R$ 20 a inteira e R$ 10, meia. Quem ficou curioso e quer mais informações sobre A Casa do Zé, basta acessar a fan page do grupo no Facebook.

Uma dica e tanto, não é, gente? Estou superansiosa para ir e levar as meninas. Será o primeiro espetáculo de Rebeca...

Beijos

@conversinhadmae

Dia de novidade: primeira papinha


Enfim, chegou o dia! Depois de tantos olhares curiosos para os pratos alheios eis que chegou o dia de Rebeca começar a comer alimentos sólidos. Mas não era só ela que estava ansiosa por isso não. Confesso! Que mãe não fica na expectativa de saber se seu filho vai aceitar outros tipos de alimentos que lhe são oferecidos?

Pois bem. Agora com seis meses, começamos a introduzir outros alimentos na dieta de Rebequinha. Nessas primeiras semanas, apenas frutinhas no lanche da manhã (banana sem sementes bem amassadinha, maçã ou pera raspadinha), papinha de verduras com frango ou músculo no almoço, suquinho depois do almoço, água e água de coco nos intervalos, além da mama no peito.
A bananinha desceu bem (com uma caretinha inicial, é bem verdade!). Já a papinha não foi tão bem aceita, mas foi apenas a primeira experiência, né? Mais difícil (para minha surpresa) foi o suco. Mesmo sendo docinho, o suco de laranja lima não foi tão aprovado. Da próxima testarei melancia. Vamos ver no que dá.

Claro que ainda é um período de novidade, de adaptação. Pelo menos não teve tanta melação.

Beijos

@conversinhadmae

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Lei garante estabilidade para gestantes que cumprem aviso prévio

Agora já é lei. A presidenta Dilma Rousseff sancionou lei que garante estabilidade no emprego a gestantes que cumprem aviso prévio. Ela foi publicada nesta sexta-feira, dia 17, no Diário Oficial da União. Pelo texto da nova lei, a estabilidade será garantida também em casos de aviso prévio indenizado, quando a funcionária recebe o salário referente ao período, mas não é obrigada a comparecer ao serviço.

“A confirmação do estado de gravidez advindo no curso do contrato de trabalho, ainda que durante o prazo do aviso prévio trabalhado ou indenizado, garante à empregada gestante a estabilidade provisória prevista na Alínea b do Inciso 2 do Artigo 10 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.”, diz a lei.

Beijos

@conversinhadmae

Com informações da Agência Brasil

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Lembra bebê: para não esquecer eles!!

Não quero nem imaginar, mas deve ser uma sensação terrível esquecer um bebê sozinho dentro do veículo. Roda e vira a gente ouve a notícia de um pai ou uma mãe que esqueceu uma criança no carro e saiu. É triste, lamentável. Para evitar que isso aconteça, uma das novidades mostradas durante a 16ª Exposec Feira Internacional de Segurança, que aconteceu esta semana em São Paulo (SP) foi o “Lembra Bebê”. O dispositivo foi criado por uma empresa gaúcha e funciona como um localizador colocado na cadeirinha do bebê.

Ele tem um sensor de peso e é acionado ao perceber que o bebê continua no veículo mesmo depois que ele foi desligado. Caso isso aconteça, o Lembra Bebê é acionado através de um chip e então envia torpedo SMS para o telefone celular dos pais. No site da empresa o funcionamento do equipamento é bem detalhado.

Esse tipo de equipamento é semelhante ao que trata o projeto Anjo da Guarda, que tramita no Senado Federal. Pela proposta, as montadoras de veículos estariam obrigadas a entregar os veículos com o detector de presença como item básico em todos os veículos novos. Aqui mesmo no Conversinha de Mãe já tratamos desse assunto. Existe no site do Senado o projeto Anjo da Guarda, que espera atingir 20 mil assinaturas de adesão, para que possa virar lei a proposta de que todo carro tenha esse detector de presença

Como funciona
A empresa fabricante (Lifthec) explica que um sensor de peso é instalado no assento veicular infantil (compatível com qualquer modelo), podendo conectar até três assentos de uma vez, que emite sinal de presença da criança para uma central. A partir daí ele emite um sinal sonoro de alerta da presença da criança no assento no momento que o veículo é desligado. Caso o aviso seja ignorado e a criança continue no assento sem que o veículo seja novamente acionado, o sistema efetuará uma ligação (choro bebê) e o envio de SMS com aviso para voltar ao veículo após cinco minutos, através de um módulo de celular conectado ao sensor.
Esse é o dispositivo que é instalado sob a cadeirinha
Se mesmo assim a criança não for retirada do assento, é feita então uma segunda ligação e envio de SMS com as coordenadas de localização, para que as pessoas que estão cadastradas ,possam saber onde o veículo está localizado. Podem ser cadastrado até cinco números para receber este aviso e SMS que é enviado somente a aparelhos telefônicos móveis.

 A última chamada é efetuada e fará o envio de SMS somente para o telefone principal cadastrado, avisando que o dispositivo de segurança foi ativado, acionando o alarme sonoro externo de choro de um bebê, que é disparado de 30 em 30 segundos; comando para a abertura total de um vidro do veículo; comando para destravar as portas. E mesmo que não haja o recebimento da ligação ou do SMS, após 15 minutos o dispositivo de segurança é acionado, e somente com a retirada da criança do assento que ele é desativado. O alarme e a abertura automática dos vidros também são acionados caso a temperatura interna do carro atinja 40ºC. O produto está sendo vendido ao preço de R$ 599.

Beijos

@conversinhadmae

Foto 1: Tathiane Stochero/G1
Foto 2: Divulgação fabricante

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Conversinha de mãe em matéria sobre mães blogueiras


Olá, gente!!! Olha o blog Conversinha de Mãe na mídia de novo. Dessa vez fui entrevistada para uma matéria que a repórter Fernanda Araújo fez para o portal de notícias F5 News, aqui de Aracaju (SE). A matéria é sobre mães que trocam experiências sobre a maternidade através dos blogs.

Ficou bem legal a matéria. Deem uma conferida no F5 News.

Beijos

@conversinhadmae

domingo, 12 de maio de 2013

Feliz Dia das Mães

Beijos

@conversinhadmae

O presente de toda mãe deseja ganhar

Depois do corre corre dos últimos dias, de todo apelo comercial, chegou o grande dia. Dia de entregar embrulhos coloridos, muito bem feitos. Embalagem normalmente resultado de muito esforço, de muito pensar e tentar descobrir o que de verdade ela queria ganhar. Mas neste Dia das Mães, mais que um belo arranjo de flores, uma roupa nova, um sapato confortável, até mesmo uma jóia, quem sabe, o que nós gostaríamos mesmo de ganhar não pode vir numa dessas embalagens.

Hoje como mãe consigo entender o que sempre minha mãe dizia quando se aproximava essa data. Naquele tempo, apenas filha, não dava para imaginar como alguém poderia abrir mão de ganhar um presente material, em troca apenas da felicidade de seus filhos, do desejo de que eles "apenas" fossem felizes, tivessem saúde e a respeitasse.

Do outro lado, agora consigo entender perfeitamente que o que mais uma mãe deseja o dinheiro não pode comprar. Se estivesse à venda, com certeza todas nós estaríamos como loucas desenfreadas dando um jeito de conseguir que nossos filhos (pequenos ou já criados) sempre tivessem saúde. Que eles nunca fossem atingidos por qualquer tipo de desgraça que este mundo infame possa ocasionar. Que sempre tivessem sucesso em sua caminhada. Que apenas conhecessem o que a vida tem de melhor a oferecer.  Ah, que mãe não queria ter um pouco mais de tempo para ter tempo de dar tempo ao que realmente merece que nosso tempo seja despendido?

Sim, como mãe, queria apenas que Deus continuasse a me entregar, diariamente, esse presente de saber que Ele está cuidado de minhas filhas, mesmo (e principalmente!) quando não estou perto delas. Que Ele possa continuar me dando sabedoria para criá-las no caminho correto.

Feliz Dia das Mães para todas nós!!!!!

Beijos

@conversinhadmae

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Bumbum sequinho


Quando se tem um bebê em casa, a gente gosta de sempre experimentar novidades para ele. Eu pelo menos sou assim. Acho que testar, experimentar, conhecer coisas novas faz parte dessa fase. Dia desses recebi um presente do Walmart: uma caixa com fraldas da marca norte-americana Parent’s Choice. Ainda não tinha usado delas, mas já tinha ouvido falar, com comentários muito positivos.
Toque suave dá conforto ao bebê
Antes de comentar com vocês aqui, quis usar em Rebeca, testar e depois contar o que achei dela. Confesso que gostei muito. Já usei delas tanto pelo dia como pela noite e a fralda segurou bem, tanto xixi como cocô, sem vazamentos, porque as barreiras são bem elevadas. Além disso, elas têm um toque mais suave, que deixa o bebê mais confortável. A cintura com elástico na parte de trás e também nos fechos laterais se ajustam bem ao corpinho.
Elástico na cintura e na lateral ajusta bem ao corpo
Gostei mesmo. Aprovadas! O desempenho não deixa nada a desejar (pelo contrário) em relação à sua concorrente mais próxima nacional, aquela marca mais conhecida aqui no país. Como já está com quase 8kg, Rebeca já está usando tamanho M. A fralda da Parent’s Choice desse tamanho serve para bebês com peso entre 7kg a 13kg.

As fraldas da linha premium Parent’s Choice, importadas dos Estados Unidos, são vendidas exclusivamente no Brasil no Walmart, que aqui em Sergipe atua através das lojas Bompreço, Hiper Bompreço e Todo Dia. A marca é uma das mais vendidas do mundo. O lançamento conta com sete tamanhos: RN, PP, P, M, G, GG, XXG. Nas versões RN e PP as fraldas possuem indicador de umidade, um diferencial no mercado, que mostra o nível do xixi. Os pacotes contêm de 60 a 96 fraldas e a marca é 20% mais barata em comparação à principal marca premium do mercado.

A linha Parent’s Choice tem outros produtos na sua linha, como lenços umedecidos, também já estão disponíveis nas lojas. Além de fraldas e lencinhos, a Parent’s Choice tem também produtos como chupetas, mamadeiras, carrinhos e outros, que o Walmart espera até o final deste ano trazer para o Brasil.

Aguardem que em breve teremos novidades da Parent’s Choice por aqui no Conversinha de Mãe.

Beijos

@conversinhadmae

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Mulheres só receberão doação de óvulos até os 50 anos



Uma resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) sobre reprodução assistida publicada hoje no Diário Oficial da União determina que, a partir de agora, mulheres que querem engravidar, mas dependem da doação de óvulos, só poderão receber o material genético até os 50 anos de idade. A resolução preenche a lacuna de não existir, no Brasil, uma legislação que regulamente a prática da reprodução assistida.

Antes dela não havia um limite de idade estabelecido. A regra é uma das novidades da terceira versão das normas que regulamentam o procedimento. A primeira norma foi estabelecida em 1992 e revisada, apenas uma vez, em 2010. A comissão de especialistas, que reúne ginecologistas e geneticistas, durante os últimos 12 meses se dedicou a atualizar o documento a partir de experiências que vêm sendo observadas pelos médicos.

“É comprovado que a idade reprodutiva da mulher é até os 45 anos. Elevamos para 48 anos e depois de uma discussão exaustiva chegamos aos 50 anos. A partir daí existem riscos para a mulher e para a criança”, explicou o coordenador da Câmara Técnica de Reprodução Assistida do CFM, José Hiran Gallo. Após os 50 anos, aumentam os casos de hipertensão na gravidez e diabetes. A gestação nessa idade ainda pode provocar, para a criança, nascimento abaixo do peso e o parto pré-maturo.

Apesar da definição, os especialistas reconhecem que podem surgir casos em que a regra poderá ser flexionada. “Da mesma forma que, em alguns casos, o médico pode decidir não fazer o procedimento em mulheres mais novas, por considerar que não terão condições de gerar, ele pode também flexionar em casos de mulheres acima de 50 anos, se considerar que elas teriam condições de engravidar”, explicou Carlos Vital, vice-presidente do CFM.

A idade para doação do óvulo também ficou limitada nos casos de doação compartilhada, ou seja, quando uma mulher que está tentando engravidar doa parte dos seus óvulos para uma mulher mais velha, que não produz mais óvulos, em troca do custeio de parte do tratamento. Os médicos decidiram que a idade máxima para a doação é 35 anos para as mulheres e de 50 para homem que se dispõem a doar sêmen.

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA), Adelino Amaral, a qualidade dos óvulos doados até essa idade é maior e, com isso, as chances da receptora engravidar aumentam. “A partir dos 35 anos, a qualidade do óvulo diminui e o risco de doenças genéticas aumenta”, explicou.

O número de óvulos e embriões também vai considerar apenas a idade da mulher que está doando. Ou seja, a receptora pode receber até quatro oócitos (células germinativas femininas) e embriões transferidos, considerando que, mulheres com até 35 anos, recebem até dois embriões, as receptoras com idade entre 36 e 39 anos podem receber até três embriões e as mulheres entre 40 e 50 anos recebem o máximo permitido de até quatro embriões.

De acordo com especialistas na área, a probabilidade de uma mulher acima de 40 anos engravidar é quase 10%, enquanto que, até os 35 anos, as chances são superiores a 40%. Considerando esses cenários, a limitação reduz as chances da gestação múltipla, ou seja, de mais de um filho, o que poderia significar risco para mulheres mais velhas.

“Existe uma demanda muito grande de mulheres de mais de 45 anos ou mulheres mais jovens que não produzem óvulos. Tem mais de 5 mil mulheres aguardando um procedimento como a reprodução assistida, apenas no serviço público de saúde de Brasília”, disse Amaral.

O custo do procedimento completo varia entre R$ 15 mil e R$ 20 mil. No sistema público de saúde, o procedimento é feito em apenas cinco unidades da federação. Além do Distrito Federal, a reprodução é feita em hospitais públicos de Goiânia, Natal, Recife e em dois hospitais de São Paulo.

De acordo com a SBRA, menos de 5% das fertilizações in vitro são feitas gratuitamente no país. “Tem algumas situações em clínicas que fazem hoje a doação compartilhada, em que a doadora não paga nada e a receptora decide pagar todo o tratamento”, disse. A receptora que arca com parte ou o total dos custos do tratamento assume o risco de não poder receber o material, caso a produção seja inferior.

Nos casos de doação compartilhada, as clínicas são obrigadas a guardar sigilo sobre a doadora, mas fornecem todos os tipos de informações como estatura, cor dos olhos e dos cabelos, peso, até a escolaridade da doadora, para tentar aproximar aparência física e compatibilidades como a de sangue, evitando problemas no futuro.

Beijos

@conversinhadmae

Fonte: Agência Brasil

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Tiradas da Bia - barriga de crescimento


Eis que hoje acabo escutando uma conversa de minha filha Beatriz com a prima. O objetivo, pelo que percebi, era convencê-la a deixar de chupar dedo (sim, Darlene minha irmã, foi com Yasmin). Acho que todo diálogo aconteceu porque pouco antes Bia tinha ouvido minha mãe dizer à priminha que ela só ia engordar um pouquinho mais depois que deixasse de chupar o dedo, pois com essa prática ela estava colocando dentro da boca os bichinhos que ficam no dedo sujo.

- Yasmin, você só vai ter “barriga de crescimento” se deixar de chupar esse dedo sujo– disse Bia tentando convencer a prima.

Eu que passava pelo quarto não entendi o que ela quis dizer com isso e perguntei:

- Barriga de crescimento???? O que é isso, Bia?

- Essa barriguinha que eu tenho, mãe. Porque eu não sou gorda. Eu só tenho essa barriguinha porque eu estou em fase de crescimento – explicou ela.

Ah, tá... Tudo isso porque ela não gosta nem de pensar que está um pouquinho mais “cheinha”. Nessa idade e já tem na ponta da língua a justificativa de que o seu corpinho mais rechonchudo é resultado da fase de crescimento. Rsrsrs

Beijos

@conversinhadmae

terça-feira, 7 de maio de 2013

Primeiras palavras


Nós mães passamos por cada situação, não é, gente? São 9 meses de gravidez, meses intermináveis de enjoos, um sem número de noites mal dormidas por conta do barrigão, outras tantas depois que o bebê nasce, para dar atenção quando ele não dorme, horas com ele “pendurado” no peito mamando, a qualquer hora do dia ou da noite...

Aí acontece que ele vai crescendo, crescendo até que, na semana do Dia das Mães, a pessoa ganha um “belo” presente: a filha de 5 meses balbucia suas primeiras palavras... Tcharan... Eis que ela diz: Pa-pa! E repete, repete – com aquela boquinha murcha típica dessa idade – como se aquelas fossem as palavras mais lindas do mundo.

É, fazer o que? Ser mãe é também saber conviver com esses momentos, não é Rebeca? Minha esperança era que você falasse primeiro “ma-mã”, já que sua irmã Beatriz também chamou o papai primeiro, mas o que se há de fazer, né? Ainda bem que seu papai merece essa homenagem, viu menina!

Sei que em breve você me chamará também. Enquanto isso, só eu continuo tendo o privilégio de receber seu sorriso, seu olhar tão próximo e seu carinho enquanto te amamento. Afinal de contas, esse é um prazer que só nós mães temos.

E na casa de vocês, quem o bebê chamou primeiro? Deixem comentários.

Beijos

@conversinhadmae

Campanha de vacinação contra gripe termina na sexta-feira


A vacina contra a gripe será ofertada nos postos de saúde de todo país até esta sexta-feira, dia 10. Quem pertence ao grupo prioritário (gestantes; crianças de seis meses a menores de dois anos; pessoas com 60 anos ou mais; mulheres até 45 dias após o parto; indígenas; profissionais de saúde; além dos doentes crônicos e pessoas privadas de liberdade) deve procurar os postos da rede pública em todo o Brasil. O Ministério da Saúde recomenda aos estados e municípios que não atingiram a meta, reforçar as ações para garantir a cobertura mínima de 80% a todos os grupos.

Até as 15 horas desta segunda-feira, mais de 25,8 milhões de integrantes do grupo prioritário foram vacinados, o que representa 82,4% da meta do público-alvo, formado por 31,3 milhões de pessoas. Deste total, ainda não se vacinaram 5,5 milhões.

“A vacina demora até 15 dias para produzir anticorpos protetores contra a influenza, portanto quanto mais cedo for vacinado, mais rápido estará protegido”, destaca a coordenadora geral do Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde, Carla Domingues.

Os dados fornecidos pelas secretarias municipais e estaduais de Saúde revelam que a Região Sul já superou a meta de cobertura, tendo vacinado, até agora, 3,9 milhões, o que representa 82,8% do público alvo. Neste cálculo estão excluídas as doses aplicadas em doentes crônicos e pessoas privadas de liberdade. Em sequência, a região Sudeste atingiu a segunda maior adesão, com 9,2 milhões de pessoas, ou 66,5% do público-alvo. A região Centro-Oeste, por sua vez, vacinou 1,4 milhão de pessoas, o que representa 65,6% do total. Na região Norte foram imunizadas mais de 1,5 milhão, correspondente a 65,3% do total e, na região Nordeste, 63,9% do público-alvo, ou seja, mais de 5,4 milhões de pessoas. Veja tabela abaixo

Eficácia
Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade global. Entre os idosos, pode reduzir o risco de pneumonia em aproximadamente 60%, e o risco global de hospitalização e morte em cerca de 50% a 68%, respectivamente.

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS), é respaldada por estudos epidemiológicos e na observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

Como se prevenir
Além da vacina, outras medidas simples de higiene pessoal são  fundamentais para evitar a contaminação por gripe. É importante higienizar as mãos com água e sabão (depois de tossir ou espirrar; após usar o banheiro, antes de comer, antes de tocar os olhos, boca e nariz); usar lenço descartável; proteger com lenços a boca e nariz ao tossir ou espirrar; evitar sair de casa enquanto estiver em período de transmissão da doença (até cinco dias após o início dos sintomas); evitar aglomerações e ambientes fechados. É importante, ainda, que o ambiente doméstico seja arejado e receba a luz solar para eliminar os possíveis agentes das infecções respiratórias e que a população mantenha hábitos saudáveis, como alimentação balanceada, ingestão de líquidos e atividade física.

Beijos

@conversinhadmae

Informações da Ascom Ministério da Saúde

7 de maio: Dia da Criança Soropositiva


Houve diminuição dos casos de AIDS em crianças

O objetivo desse movimento é influenciar as autoridades para uma maior atenção às necessidades dessas crianças, com o fim de integrá-las cada vez mais à sociedade. Várias cidades do mundo já oficializaram o dia 7 de maio como dia de reflexões e de ações visando à inclusão com qualidade e respeito a essas crianças e adolescentes.

As crianças podem contrair o HIV pela transmissão da mãe para filho (transmissão vertical), recepção de sangue infectado ou por abuso sexual. A principal forma de transmissão é a vertical que pode ocorrer durante a gestação, durante o parto ou após o nascimento, por leite materno. A grande notícia é a melhoria na detecção dos casos de gestantes soropositivas, e, consequentemente, a diminuição da transmissão vertical do HIV, contribuindo para a redução de novos casos de HIV/AIDS em crianças.  Quando todas as medidas preventivas são adotadas, a chance de transmissão vertical cai para menos de 1%.

Às gestantes, o Ministério da Saúde recomenda o uso de medicamentos antirretrovirais durante o período de gravidez e no trabalho de parto, além de realização de cesárea para as mulheres que têm carga viral elevada ou desconhecida. Para o recém-nascido, a determinação é de substituição do aleitamento materno por fórmula infantil (leite em pó) e uso de antirretrovirais. Os avanços na terapia antirretroviral permitiram uma melhora significativa na sobrevida e qualidade de vida das crianças e adolescentes com infecção pelo HIV.

Médico Almir Santana
O Brasil registrou,até o ano de 2.012, 8.988 casos de crianças menores de 5 anos e 2.191 na faixa etária de 5 a 9 anos com AIDS.  O Estado de Sergipe notificou, até o momento, desde o ano de 1987, 91 casos de AIDS em menores de cinco anos. O total de notificações nas outras faixas etárias, já atingiu quase 3.100 casos. Graças ao ativismo da Rede de Pessoas Soropositivas, das Cidadãs Posithivas, dos profissionais da Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju e da Gerência de DST/AIDS da Secretaria de Estado da Saúde, a data está sendo lembrada, através da realização de uma tarde de lazer com as crianças soropositivas, com o apoio de estudantes de um colégio da rede privada.

Nesta terça-feira, dia 7 de maio, a partir das 14 horas, alunos do Colégio Master farão uma tarde de lazer, no Centro de Educação Permanente em Saúde (CEPS), localizado na Rua Luís Carlos Prestes, bairro Ponto Novo, com as 30 crianças soropositivas de Sergipe. Serão realizadas várias atividades recreativas e distribuição de presentes (brinquedos, material escolar, alimentos). As mães das crianças serão homenageadas e receberão utensílios domésticos e participarão de palestra informativa.

Artigo escrito pelo médico sanitarista Almir Santana, Gerente do Programa Estadual de DST/Aids de Sergipe e divulgado pela Ascom da SES

Beijos

@conversinhadmae

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Dica de livro: “O Primeiro Ano do Bebê”


Mamães e papais, a dica de hoje é para vocês, ou melhor, nós! A V&R Editoras lança, este mês, o livro “O primeiro ano do bebê”, da escritora holandesa Pauline Oud. A obra é dedicada especialmente para nós. Uma espécie de guia, com informações e dicas relacionadas ao desenvolvimento da criança.

O livro busca sanar dúvidas, tão comuns a pais de primeira viagem ou não, e registrar todos os detalhes e momentos especiais de cada fase do início da vida do bebê, do 1º ao 12º mês. Afinal de contas, são nove meses de espera e, quando o bebê nasce, normalmente ficamos cheios de dúvida, incertezas, tão comuns à maternidade. Isso não importa quantos filhos se tenha, porque cada um deles é único.

É justamente nesse contexto que o livro tenta ajudar as mamães e papais, abordando questões sobre crescimento, trazendo dicas de interatividade e espaços para que sejam coladas fotos, onde é possível registrar momentos inesquecíveis.

A parte visual do livro “O primeiro ano do bebê” também foi feita no capricho. Bem delicado, ele tem capa almofadada e é encadernado com fita. A obra faz parte da coleção “Mamãe e bebê”, que também conta com o título “O Diário da minha gravidez”, lançado este mês pela editora.

Ficha técnica:
Título: O primeiro ano do bebê
Autora: Pauline Oud
Tradutor: Rafael Spigel
Formato: 21 x 19 cm
Nº de Páginas: 128
ISBN: 978-85-7683-432-8
Preço: R$ 44,90

Beijos

@conversinhadmae