segunda-feira, 8 de abril de 2013

Dia Mundial da Luta Contra o Câncer


Hoje é um dia muito importante. Em 8 de abril é comemorado o Dia Mundial de Câncer. Entre as crianças e adolescentes, o câncer é a primeira causa de morte por doença no Brasil. Mas, apesar disso, é na faixa etária infantil que há as maiores chances de cura, se comparado aos adultos. Estudos mostram que cerca de 70% das crianças e adolescentes com câncer são curados, quando há o diagnóstico precoce e o tratamento adequado.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o câncer infantil não é hereditário. O pediatra oncologista do Hospital do Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (Graacc), Flávio Luisi, o surgimento do câncer infantil acontece por uma multiplicação anormal de células doentes que pode ocorrer em qualquer local do organismo.

Chamado de Câncer do Crescimento, o câncer infantil tem rápida evolução e já representa a primeira causa de morte por doença entre crianças e adolescentes de um a 19 anos, no Brasil. A leucemia, por exemplo, tumor que afeta a medula óssea, é uma das principais causas de morte infantil no país e corresponde a 33% dos casos de câncer infanto-juvenil. O lado bom desse cenário é que as chances de cura são altas, chegando a ser maiores que as de um adulto. De acordo com Flávio Luisi, “a quimioterapia age melhor em quadros de tumores mais agressivos, com desenvolvimento veloz, característicos do câncer infantil”.
Diagnóstico precoce contribui, e muito,
para o sucesso na cura da doença
O especialista alerta para a necessidade do diagnóstico precoce da presença do tumor na criança, o que torna o tratamento mais fácil. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), desde a década de 1970, vem-se observando um aumento das taxas de cura dos tumores na infância, chegando-se hoje a 83%. No Brasil, cerca de 80% das crianças e adolescentes com leucemia linfóide aguda (LLA) são curados graças aos investimentos em diagnóstico e tratamento adequado, realizados em centros especializados.
       
Os sintomas do câncer, porém, podem ser facilmente confundidos com doenças comuns na infância, como: dores de cabeça e náuseas pela manhã; nódulos no pescoço, axilas ou virilha; manchas arroxeadas na pele, parecidas com hematomas. O ideal é encaminhar a criança a um médico quando houver qualquer suspeita.

O Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer foi criado em 1991 e hoje é uma referência no tratamento e pesquisa do câncer infanto-juvenil na América Latina, principalmente em casos de alta complexidade, e uma das mais respeitadas e bem-sucedidas ONGs do país. Tem a missão de garantir a crianças e adolescentes com câncer todas as chances de cura com qualidade de vida.

A organização é reconhecida pelos expressivos resultados obtidos na cura de crianças e adolescentes com câncer, alcançando índices de cerca de 70%, semelhantes aos de instituições de saúde europeias e norte-americanas. O Graacc tem um hospital próprio e realiza mais de 25.787 mil consultas, 1.591 mil cirurgias e 14.144 mil sessões de quimioterapia anualmente, num atendimento médio de 3.027 crianças e adolescentes por ano.

Beijos

@conversinhadmae

Nenhum comentário:

Postar um comentário