segunda-feira, 11 de março de 2013

Isso não cheira bem


Não. Não adianta torcer o nariz. Por mais que se faça cara de paisagem, o assunto “cocô” está no top 5 de qualquer mãe. É ou não é verdade? Se a criança não faz, gera preocupação. Se faz algumas vezes ao dia, também deixa a mãe preocupada. Se já come alguma coisa que sabe que vai desandar o aparelho digestivo, lá vem preocupação. Então, é um assunto que não dá pra fugir.

Minha pequena, Rebeca, continua sendo amamentada apenas no seio. Agora prestes a completar quatro meses, já dá pra saber mais ou menos como funciona seu intestino. Mesmo assim tem dias que ela não faz cocô. Aí já bate aquela preocupação. Tem outros dias, que faz duas, três, até quatro vezes. Então vem aquela culpa: “Será que comi alguma coisa que fez mal a ela?”. É complicado, não estou dizendo? Diga se com vocês não é assim também?

Para tirar algumas dúvidas minhas – e acho que de outras mamães e papais também – procurei a pediatra, presidente da Sociedade Sergipana de Pediatria de Sergipe (Sosep/SE), Glória Tereza Lopes. Segundo ela, o ritmo intestinal dos bebês é individual e pode ser variável. Aqueles que são amamentados ao seio podem defecar a cada mamada ou podem demorar até sete dias sem fazê-lo. É mole? “São variantes da normalidade. Normalmente, não precisamos fazer nenhuma intervenção. Só nos casos em que o bebê apresente desconforto”, ressaltou a médica.

Sobre a culpa que muitas vezes nós mães sentimos com relação ao que comemos e os efeitos que trazem para o bebê amamentado, Glória Tereza acrescentou que a questão da dieta da mãe ser constipante para o bebê não encontra respaldo científico de sustentação. “Nos bebês que usam fórmulas, algumas são de fatos potencialmente constipantes e a orientação pediátrica de rotina resolve a questão”, disse.
Alternar alimentos laxantes e constipantes:
boa pedida para o bom funcionamento intestinal

No caso das crianças maiores, para evitar esse desconforto intestinal, e como consequência vários dias sem fazer cocô, a pediatra disse que elas devem ser estimuladas a consumir frutas, cereais, legumes, pois estes contêm fibras que irão regularizar a função intestinal. Os alimentos laxantes, como o milho, aveia, mamão, pera, ameixa, melancia, podem ser alternados com os constipantes: maçã, banana, cenoura, caju. “Isso evitará a constipação de forma natural. As atividades físicas também ativam o ritmo intestinal e ajudam a manter a regularidade das defecações”, acrescentou a pediatra Glória Tereza Lopes.

Então, deu pra dar uma acalmada em vocês também?

Beijos

@conversinhadmae

2 comentários:

  1. Biel também já me fez passar por algumas aflições quando o assunto era cocô. Atualmente consigo superar facilmente este probleminha. Bjos, Ed! Amei a reportagem!

    ResponderExcluir
  2. Theo ainda faz de 4 a 8 cocos por dia... rs

    ResponderExcluir