quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Uma casa muito animada



Hoje, o Conversinha de Mãe tem dica de programação cultural bem legal pra quem está aqui em Sergipe (quem não está vai ficar só na vontade). O grupo musical sergipano A Casa do Zé fará apresentação única, no sábado, dia 2, de mais um espetáculo recheado de músicas de qualidade para a garotada e toda família. O show acontece no Teatro Atheneu, a partir das 17 horas.

No palco, o público vai poder conferir e cantar junto canções do primeiro CD lançado pelo grupo, “Maria Anita” e também do “Dona Carochinha e suas histórias”, mas também será a oportunidade de ficar sabendo um pouco mais do novo trabalho que o grupo pretende lançar ainda nesse primeiro semestre. “A Arca de Noé” é uma homenagem ao centenário do poetinha Vinícius de Moraes.

As referências populares são uma das marcas registradas da ‘A Casa do Zé', na estrada desde 1995 e que faz um som acústico de qualidade, resgatando o sentido da infância em brincadeiras de roda, canções folclóricas e tantos outros elementos do universo infantil. É um trabalho voltado para as crianças, mas que é também muito apreciado pelos adultos que viajam no tempo com as cantigas que os fazem lembrar a infância. Vinícius de Moraes e Hélio Ziskind são dois bons exemplos de referências musicais do grupo.

A Casa do Zé é formada por João Ricardo Trindade, responsável pela direção geral do espetáculo, além de Milton Coelho, na direção artística, Mário Eugênio, Eduardo Monte Santo, Rafael Jr., Anabel Vieira, Ítalo José, Papi, Igor Costa, Kátia Gouveia e Martha Santos. Quem puder, vale a pena conferir.

Serviço:
Quando: 2 de março, às 17h
Local: Teatro Atheneu
Ingressos: inteira R$ 30 e meia, R$ 15, na bilheteria do teatro

Beijos

@conversinhadmae

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Álcool líquido está suspenso em todo o país


A fabricação, distribuição e comercialização do álcool líquido com graduação maior que 54°GL, equivalente a 46,3º INPM estão suspensos em todo país. A medida foi publicada esta semana no Diário Oficial da União (DOU) e é resultado da decisão judicial do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª região, que no ano passado se manifestou pela legalidade da resolução RDC 46/2002 da Anvisa. O álcool líquido é considerado mais inflamável que sua forma em gel, que continua sendo permitida a comercialização.

A suspensão atinge todas as empresas fabricantes do produto ligadas à Associação Brasileira dos Produtores e Envasadores de Álcool (Abraspea), já que os álcool líquido na graduação acima não atende a regulamentação da Anvisa. Em 2002, a Agência publicou a RDC 46/2002 retirando do mercado o álcool líquido em suas concentrações mais inflamáveis. Logo após a publicação, a entidade representativa do setor obteve uma decisão judicial que permitia aos seus associados continuar comercializando o produto. Em 2012, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região decidiu pela validade da norma da Anvisa.

Beijos

@conversinhadmae

Fonte: Anvisa

Mesmo que ele não venha, já valeu a pena


Há algumas semanas, as redes sociais serviram de palco para uma campanha que foi abraçada por vários anônimos e alguns famosos. Quem por esses dias não se deparou com a hashtag #VEMSEANPENN por aí algumas vezes? Difícil não? Pois é. No início eu fiquei sem entender, até que vi uma entrevista num programa de televisão como ator Ariel Goldenberg. O objetivo da campanha é realizar o sonho tão meigo e encantador dele. Ariel tem Síndrome de Down e é o protagonista do longa-metragem “Colegas”, que tem estreia nacional amanhã, dia 1 de março.

O desejo de Ariel é que seu ator favorito, Sean Penn, esteja nesse dia tão importante para sua carreira. A admiração dele por Sean teve início quando assistiu pela primeira vez a o astro hollywoodiano no filme “Lição de Amor”, em que Penn está no papel de um deficiente mental que luta para ter o direito de ficar com a guarda de sua filha, que mesmo aos sete anos tem a capacidade mental superior à do pai.

Na pré-estreia do filme, que aconteceu no Rio de Janeiro na última terça-feira, Sean Penn não apareceu, apesar da cadeira que Ariel deixou reservada para ele na plateia. A grande expectativa agora é saber se aparecerá amanhã ou mesmo depois, para prestigiar a atuação do ator/fã no filme. Colegas traz a história de três amigos, portadores da Síndrome de Down, que deixam a sociedade preconceituosa de lado para caírem na estrada e viverem as mais diversas aventuras.

No vídeo de quase seis minutos de duração, que já alcançou a marca de quase um milhão e 400 mil visualizações na internet, o diretor do filme Colegas, Marcelo Galvão, fala sobre a trajetória do ator e como ele deseja a presença do seu ídolo. O vídeo se multiplicou e várias celebridades aderiram à campanha, na tentativa de sensibilizar Sean Penn.

Agora é esperar para ver. Se Penn vem ou não, impossível saber, por enquanto. Mas o que se sabe é que Colegas vai ajudar a desmistificar um pouco a ideia que muitas pessoas têm de que quem tem Down não é capaz. Ariel (que é casado com uma colega de elenco) e sua trupe vão mostrar que isso não é assim, mesmo.

Beijos

@conversinhadmae

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Amamentação: seiva da vida

Hoje foi dia de consulta da minha pequena Rebeca com a pediatra. Confesso que espero com ansiedade a ida mensal até o consultório. Quero saber como está o desenvolvimento dela, tirar dúvidas conversar sobre as fases do crescimento dela. Acho que pra toda mãe esse momento também é muito importante para ver como está o peso, a altura, pra saber se está tudo bem com seu pequeno.

Comigo não é diferente. Do mês passado para este, minha gatinha aumentou 700g. Como disse sua pediatra, Magali Dias Carvalho, uma curva de crescimento ótima. Ela nasceu com 3,150g e já está com 6,5kg, aos três meses e uma semana, sendo alimentada, exclusivamente, com o leite materno.

Olhando pra ela com toda gordinha, fofinha e suas bochechas rosadas fico pensando como o leite materno é capaz de alimentar e contribuir tanto para o desenvolvimento do bebê. Parece uma coisa mágica, mas é divino. Eu bem sei os benefícios disso. Com a minha primeira filha consegui, mesmo voltando a trabalhar, garantir o aleitamento exclusivo nos seis primeiros meses e depois complementado com a introdução de outros alimentos.

Com Rebeca pretendo fazer o mesmo. Leite, graças a Deus, tenho o suficiente e conto também com a colaboração de minha mãe em se dispor a dar o leite a ela no período em que estiver trabalhando. Nossa pediatra sempre incentivou e ressaltou os benefícios disso para o desenvolvimento do bebê, mostrando os motivos pelos quais não se deve introduzir outros alimentos na dieta do recém-nascido antes dessa idade (ela ficou até de me passar um material para publicar aqui no blog com essas informações).

Por coincidência, hoje ao chegar do médico recebi um email com uma matéria falando sobre os benefícios do aleitamento. Uma pesquisa recente feito pela ONG Save The Children mostrou que 830 mil vidas seriam salvas a cada ano se todas as mães amamentassem seus filhos assim que eles nascessem.

Para o estudo, foram colhidos dados em vários países. Com isso, foi possível se descobrir que 16% das mortes de recém-nascidos poderiam ser prevenidas se o aleitamento materno ocorresse nas primeiras 24 horas do bebê. Além disso, crianças que são amamentadas com uma hora após terem chegado ao mundo têm três vezes mais de chances de sobreviverem, além de ficar com o sistema imunológico mais forte do que aquelas que são alimentadas só em seu segundo dia.

Nesse meu segundo parto, que foi à noite, quando retornei ao quarto estava louca para amamentar minha pequena. A enfermeira disse que não precisava me preocupar, pois quando os bebês nascem têm uma reserva alimentar e que ela poderia ficar até o outro dia sem mamar. Não aguentei. Poucos minutos depois coloquei minha neném no peito e ela mamou como se aquele já fosse um hábito seu há muito tempo. É uma sensação maravilhosa.

Entre outros fatores, o estudo da ONG Save The Children conclui que a falta de informação ainda contribui para que muitas mães não saibam da importância do primeiro aleitamento do bebê.

Confira abaixo os dez benefícios da amamentação para a mamãe e o bebê, extraídos da revista Crescer:

1. O leite materno é o alimento mais completo e equilibrado, pois atende a todas as necessidades de nutrientes e sais minerais da criança até os seis meses de idade;

2. Fácil de ser digerido, provoca menos cólicas nos bebês;

3. Colabora para a formação do sistema imunológico da criança, previne alergias, obesidade, intolerância ao glúten;

4. Contém uma molécula chamada PSTI é responsável para proteger e reparar o intestino delicado dos recém-nascidos;

5. O momento da amamentação aumenta o vínculo entre mãe e filho e colabora para que a criança se relacione melhor com outras pessoas;

6. Previne a anemia;

7. A sucção ajuda no desenvolvimento da arcada dentária do bebê;

8. Amamentar por mais de seis meses faz bem à saúde mental da infância à adolescência, segundo estudo coordenado pela Universidade do Oeste da Austrália. Segundo os pesquisadores, substâncias presentes no leite (como a leptina) ajudam a combater o estresse. O contato e o vínculo entre mãe e filho promovido pelo aleitamento também têm um efeito positivo no desenvolvimento psicológico da criança.

9. Quando o ômega 3 está presente no leite materno, o que varia de mulher para mulher de acordo com sua alimentação, ele ajuda no desenvolvimento e crescimento dos prematuros nos primeiros meses de vida;

10. Ajuda no desprendimento da placenta, contribuindo para a volta do útero ao tamanho normal. Com isso, também evita o sangramento excessivo e, consequentemente, que a mãe sofra de anemia.

Beijos

@conversinhadmae

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Parabéns com a Minnie

Amo festinha de criança (e quem não ama, né?). No sábado passado, foi o aniversário de quatro anos de Luiza, filha da minha amiga e jornalista Cristine Britto e André Barros. Escolhido por ela, o tema da festa foi a Minnie. Estava tudo muito lindo, delicado e clean. Arte da decoradora Késia Marques.
Hum... tá ou não tá tudo no capricho... 
...convidativo...
...e delicioso!

Na mesa, delícias de encher os olhos de crianças e também nós mamães e papais. Brigadeiro, doce de leite, cupcakes, trufas, bolipops, enfim, um monte de gostosuras. Eu me segurei para não exagerar, por causa de Rebeca, né? Como lembrancinha para as crianças, Cristine escolheu mochilas temáticas da Minnie, para as meninas, e do Mickey, para os meninos, além de uns pesos de porta da Minnie. Uma graça!
As lembrancinhas que as crianças levaram pra casa 
Hora dos parabéns com os papais, irmã Clarinha, familiares e amiguinhos
Elas arrasaram no desfile de fantasia: Bia, Maria Alice...
...e Hellena
O aniversário de quatro anos de Luiza foi a primeira festinha de minha pequena Rebeca. Tudo bem, ela não curtiu muito. Pelo contrário. Como está apenas com três meses, estranhou tanta gente junta, o som, a animação das outras crianças, enfim... Mas aos poucos ela vai se socializando. Depois do chororô, acabou pegando no sono e ficou quietinha no carrinho, enquanto a irmã Beatriz se divertia com as outras crianças. Em breve é a vez dela...

Beijos

@conversinhadmae

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Uma dupla cinquentona

A dentuça mais querida do Brasil, a Mônica, e seu inseparável coelho Sansão estão completando este ano 50 anos. Isso mesmo, já não são mais nenhuma criancinha, mas continuam fazendo a alegria da criançada e dos maiorzinhos também. E pra comemorar uma data tão especial como esta, o Memorial da América Latina lança na próxima terça-feira, dia 26, a exposição “Sansão também faz 50 anos”.


Na exposição, os fãs das criações de Maurício de Sousa vão poder conferir o Sansão sendo retratado por mais de 50 cartunistas. Os visitantes também irão conferir ilustrações, vídeos e a história da concepção gráfica de Mônica, com uma linha do tempo da personagem, também estão na exposição.

A entrada é gratuita. A exposição será aberta às 13 horas e fica em cartaz até 21 de abril, de terça a domingo, das 9h às 18h, no salão de Atos do Memorial da América Latina, localizado na avenida Auro Soares de Moura Andrade, Barra Funda, acesso pelos portões 1 e 5. O local tem estacionamento no portão 4, ao preço de R$ 5,00. No saguão do terminal da Barra Funda do metrô bonecos gigantes também estarão em exposição.

Fica a dica para quem é de São Paulo ou vai passar pela capital paulista nesse período.

Beijos

@conversinhadmae 

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Esporte como inclusão social

Que a prática de esportes é fundamental para o desenvolvimento de qualquer criança, isso ninguém tem dúvidas. Ele estimula faz bem para o corpo, para a saúde, para a integração com outras crianças, para a disciplina, enfim, para tantas outras coisas.  E quando o esporte é usado como ferramenta de inclusão social, ele traz ainda mais benefícios.


Foi com essa missão que surgiu o projeto Estrelas do Mar, que é desenvolvido aqui em Aracaju, no Estado de Sergipe. A iniciativa é da Waves Escola de Bodyboarding, entidade vinculada à Organização Beneficente Estrelas do Mar (O BEM), que busca direcionar suas ações ao ensino da prática do bodyboarding, tendo como finalidade a difusão da prática esportiva sendo usada como ferramenta para interação e inclusão de pessoas com necessidades especiais.

O projeto surgiu de fuma forma bem inusitada. Tudo é uma homenagem ao atleta de bodyboarding José Ailton Sebastião Santos Silva, conhecido como “Ailton Kostela”. Ele era amigo, daqueles amigos que são como irmãos, do idealizador do Estrelas do Mar, Byron Silva, e tinha o sonho de criar uma escola de bodyboarding que atendesse a jovens carentes da periferia da capital sergipana e vinha buscando meios para colocá-lo em prática. No entanto, antes de realizar esse sonho, ao tentar evitar que um adolescente que ele nem sequer conhecia fosse assaltado Ailton Kostela foi assassinado.

Sensibilizado pela tragédia que atingiu o amigo e considerando que as políticas públicas eram insuficientes para incluir pessoas com necessidades especiais em práticas lúdico desportivas desenvolvidas no meio aquático e no intuito de manter viva a filosofia de Kostela de que “todos os jovens são especiais” foi idealizado então, através da Waves Escola de Bodyboarding, o projeto Estrelas do Mar.

Atualmente, o projeto Estrelas do Mar atende cerca de 50 crianças e jovens portadores de necessidades especiais como Down e autismo que são assistidos por organizações sociais existentes em Sergipe e também aquelas sem limitações psíquicas ou motoras. Segundo os participantes do Estrelas do Mar, a missão do projeto é promover a assistência social, a cultura, a preservação do meio ambiente e a conservação do patrimônio histórico; desenvolver ações nas áreas de educação e saúde, projetos na área de segurança alimentar e nutricional; promover o desenvolvimento sustentável e, principalmente, desencadear nos assistidos o interesse pelos esportes, com foco no bodyboarding, aprimorando o desenvolvimento individual através do lazer e da inclusão.
Cada aluno tem supervisão individual
Integração
A coordenadora e diretora de Publicidade do projeto, Anne Christiane Bastos, disse que entre os objetivos desse trabalho está apresentar às crianças e jovens portadores de necessidades especiais uma modalidade esportiva em contato com a natureza, realizando as aulas com outras crianças e na companhia de seus pais, com o intuito de fortalecer e desenvolver as relações afetivas entre os alunos e seus pais, uma vez que por conta da rotina de trabalho nem sempre têm tempo necessário para desenvolver uma atividade tão prazerosa na companhia dos filhos. “Tal interação visa à construção e solidificação de valores humanos como amizade, respeito, companheirismo e solidariedade proporcionados pela prática coletiva do desporto”, disse.
             
As aulas acontecem uma vez por semana. Num período médio de três horas eles têm palestra, apresentação de vídeo-aula, momento lúdico, aquecimento, alongamento, aprendizagem técnica, incluindo apresentação dos equipamentos que serão utilizados. Tudo supervisionado por uma equipe especializada, com educador físico. É esse profissional que observa o nível de natação de cada um dos alunos. Já na água, onde são passados os princípios básicos para prática do bodyboarding, cada aluno recebe uma prancha e é sempre supervisionado pelos instrutores e/ou monitores (um para cada aluno). Isso para garantir a segurança.

Qualquer pessoa que se interessou pelo projeto Estrelas do Mar pode ajudar. Empresas ou mesmo pessoas físicas, que queiram ser voluntárias ou doar algum tipo de equipamento para as aulas. Para isso, basta entrar em contato com os integrantes do projeto: Byron Silva, diretor da Waves e idealizador do projeto, nos telefones (79) 8808-3797 e (79) 9912-9201; Kamila Kandy Silva, pedagoga especialista em Educação Inclusiva, no (79) 8823-3598 e (79) 9997-8387; ou Anne Christiane Bastos, diretora de Publicidade e coordenadora, no (79) 8804-5111.

Beijos

@conversinhadmae

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Como não se identificar

Feita pra mim! Foi assim que pensei ao ver essa charge do cartunista Ziraldo publicada no Facebook. Meu Deus do céu, nunca vi um desenho representar tão bem a rotina de muitas de nós mães! Acho que é bem a cara das mulheres dos dias de hoje.

Mulheres que têm que se desdobrar em dar conta de um, dois, três filhos, da casa, do marido, do trabalho (que muitas vezes - quase sempre - acaba levando pra casa) e ainda tem que estar assim, como essa da charge, toda em forma, bem apresentável visualmente.

Ô vidinha corrida, com mais coisas para fazer que horas no dia. Mas é tanto corre-corre que a gente acaba se acostumando. Muitas vezes nem consegue desacelerar. E haja pique!

Beijos

@conversinhadmae

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Inspiração para festa: Toy Story


A cantora gospel Mariana Valadão – irmã da também cantora e titular do Crianças Diante do Trono, Ana Paula Valadão – comemorou, na última segunda-feira, o aniversário de dois anos do filho Tito Valadão. A festa surpresa para o garoto teve como tema Toy Story.
Alguns detalhes da mesa
Nós aqui gostamos muito de ver fotos de aniversários de criança, sejam famosas ou não. Sempre dá pra se inspirar em alguma coisa, mesmo que não seja do mesmo tema. Por isso assim que vi as fotos que a cantora postou na sua página no Facebook não pensei duas vezes em trazer para vocês verem.
Os papais Mariana e Felipe Valadão com Tito, à esquerda,
com os convidados Regis Danese, esposa e a filha Brenda
Quem sabe não tem alguém pensando em fazer uma festa do mesmo tema ou outro como fazendinha, por exemplo, e dá pra se inspirar em alguns dos detalhes.

Beijos

@conversinhadmae

Fotos: fanpage da cantora

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Funga, funga chato, mamãe!


Como falei num post há alguns dias aqui, o nosso feriado de carnaval quase foi por água abaixo por causa de um resfriado que atingiu a mim e às meninas aqui em casa. Por incrível que pareça, o funga, funga, a coriza e a tosse teimam em não nos deixar, apesar de passados mais de dez dias. O pior de tudo que eu acho não é nem em mim, nem tanto em Beatriz, minha filha de seis anos, mas em Rebeca, a pequenininha de três meses.

Dá uma dó aquele narizinho entupido, corizando. Graças a Deus, febre ela só teve uma vez nos primeiros dias. Mas mesmo assim incomoda, porque é ruim ter que ficar limpando o nariz dela a toda hora, colocando remédio. Foi o primeiro resfriado dela e a gente se assusta, é claro. Como ela está só sendo amamentada exclusivamente, não é bom ficar dando remédio. Estou apenas colocando o do nariz, porque foi orientação da pediatra dela, para desobstruir a secreção que fica.

Fui dar uma pesquisada na internet para saber se é comum bebês com essa idade terem resfriado e que consequências isso pode ter. Confesso que fiquei mais aliviada ao ler no portal BabyCenter Brasil que, sim, é comum isso acontecer e normalmente eles não trazem maiores complicações (o curioso de ser mãe depois de tanto tempo – seis anos no meu caso – é que tem horas que parece que você é mãe de primeira viagem de novo)

Não se espantem, mas especialistas dizem que nos dois primeiros anos de vida o bebê poderá ter entre oito e dez resfriados. No caso dos que têm irmãos pequenos, mas já em idade escolar (o que é o meu caso aqui) essa quantidade pode ser ainda maior: entre seis e dez resfriados até fazer um ano. Isso mesmo!!!! (já pode chorar aqui????)

O resfriado nada mais é que uma infecção das vias respiratórias superiores, causada por vários tipos de vírus. Às vezes se torna inevitável não ser contaminado por ele, porque a transmissão pode ser feita através das gotículas de saliva de quando alguém espirra, por exemplo, além do contato das mãos. Como os bebês ainda não têm o sistema imunológico completamente funcionando em toda sua capacidade, eles acabam sendo mais susceptíveis. Mais ainda depois dos seis meses, quando deixam de mamar exclusivamente no peito, pois o leite materno ajuda a imunizá-lo contra infecções.
Meu arsenal nos últimos dias
Por isso nesses últimos dias tenho lançado mão de um forte arsenal para ver se esse resfriado chato vai embora de vez aqui em casa. O leite materno é a principal arma. Várias vezes ao dia, sempre, pra deixar minha pequena ainda mais protegida. Além disso, o remedinho pra desentupir o nariz, aspirador nasal, vitamina C e aerossol com soro fisiológico antes de dormir, também para diminuir o desconforto no nariz, desobstruindo as vias aéreas superiores. Ah, e carinho, muito carinho. Porque em qualquer idade todo mundo gosta mesmo é de dengo quando se está dodói, não?
Aqui vão algumas dicas para aliviar o desconforto do seu filho durante o resfriado:

- Coloque uma toalha dobrada ou um cobertor pequeno debaixo do colchão do berço, na parte da cabeça, para deixá-la mais elevada. Dormir com a cabeça mais elevada diminuirá um pouco a congestão nasal do seu filho. Não use travesseiros dentro do berço para fazer isso. Outra opção é deixar o bebê dormir no carrinho, com o encosto meio reclinado, ou no seu colo, com você sentada;

- Use soro fisiológico para aliviar a congestão nasal. Pergunte ao pediatra qual o melhor tipo (em gotas ou spray). Um bom truque é passar o soro fisiológico um pouco antes da mamada. Existem pequenos aspiradores nasais, disponíveis nas farmácias, que tiram o catarro do nariz do bebê por sucção. É um sofrimento para o pequeno e pra gente também fazer isso, mas resolve mesmo;

- Dependendo da região em que você morar, o uso do vaporizador de ar para umedecer o ambiente pode ser benéfico, mas converse antes com o pediatra, porque esse tipo de aparelho pode acabar proliferando fungos e piorar a situação. Também é possível fazer inalação só com soro fisiológico, seguindo recomendações do médico.

- Se seu filho está com o nariz entupido, mas não tem nenhum outro sintoma, dê uma olhada nas narinas dele para ver se ele não enfiou nenhum objeto estranho nelas. Nunca se sabe: até crianças pequenininhas podem aprontar uma dessas. Quando isso acontece, pode aparecer uma coriza de cheiro ruim. Esse tipo de acidente é mais comum do que se imagina.

- Evite a presença de quem fuma perto do seu bebê. A fumaça do cigarro, além de tóxica, pode prejudicar, e muito, ele nesse período.

Beijos

@conversinhadmae

Aumenta em 75% o consumo de remédios TDHA em crianças


O boletim da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgado esta semana mostra que entre os anos de 2009 e 2011 aumentou em 75% o consumo do medicamento para tratar o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDHA) – o metilfenidato – entre crianças de seis a 16 anos. O Boletim de Farmacoepidemiologia é feito com base nos dados coletados a partir dos registros do Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC) da Anvisa.

Para a coordenadora do SNGPC, Márcia Gonçalves, o estudo realizado contribui para identificar possíveis sinais de distorção de uso dos produtos e no trabalho em estratégias e enfrentamento do problema. “O monitoramento da prescrição e do consumo pode ajudar na gestão de riscos associados aos medicamentos feita pelos entes do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária”, explica Márcia.

Em 2009, foram vendidas 156.623.848 miligramas (mg) do medicamento. Já em 2011, o mercado atingiu um montante de 413.383.916 mg do produto. O boletim aponta ainda que, em 2011, foram comercializadas 1.212.850 caixas do referido medicamento nas farmácias e drogarias do país. Esse número representa uma alta de 28,2 % em relação a 2009 (557.588 caixas de metilfenidato), já considerando o aumento do fluxo de informações recebidas pelo sistema da Anvisa neste período.

A coordenadora Márcia disse que chama a atenção a redução do consumo nos meses de férias e o aumento no segundo semestre do ano. O gasto estimado das famílias brasileiras com o produto, em 2011, foi de R$ 28,5 milhões. Esse montante significa um valor de R$ 778,75 por cada mil crianças com idade entre seis e 16 anos.

O maior consumo do medicamento para TDHA nesses três anos analisados pelo boletim da Anvisa foi registrado no Distrito Federal. Na região Norte, o estado de Rondônia obteve o maior consumo de metilfenidato, entre 2009 e 2011. Já na região Sul, o Rio Grande do Sul lidera o ranking de consumo no triênio estudado. O estado do Piauí liderou o consumo do produto na região Nordeste, em 2009 e 2011. Na região Sudeste, em 2011, o maior consumidor do medicamento foi o estado de Minas Gerais.

O que é o TDHA
O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade é um dos transtornos neurológicos do comportamento mais comum da infância, que afeta de 8% a 12% das crianças no mundo. De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, em 2007, considerou-se que aproximadamente 9,5% (5,4 milhões) de crianças e adolescentes americanos de quatro a 17 anos tinham TDAH.

Estimativas de prevalência de TDAH em crianças e adolescentes bastante discordantes foram encontradas no Brasil, com valores de 0,9% a 26,8%. Embora a taxa de TDAH diminua com o aumento da idade, pelo menos metade das crianças com o transtorno têm sintomas incapacitantes que persistem na fase adulta.

O diagnóstico do TDAH é complicado pela ocorrência de comorbidades, como dificuldades de aprendizagem, transtornos de conduta e de ansiedade, e depende fortemente de relatos dos pais e professores; nenhum exame laboratorial confiável prevê esse tipo de problema. As crianças com TDAH têm dificuldade de prestar atenção, controlar comportamentos impulsivos e, em alguns casos, são hiperativas.

Beijos

@conversinhadmae

Fonte: Anvisa

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Hoje é dia de Rebeca


O tempo está passando. Hoje minha pequena Rebeca completa três meses de vida. EBA!!!!!!!! É dia de parabéns pra você, com direito a bolo e velinha. Afinal de contas, a vida é feita para celebrar e agradecer a Deus por tudo de bom que Ele nos tem dado.
Mesversário com direito a torta de chocolate feita
pela mamãe, embora eu ainda não coma, né?
Três meses e a gente já consegue ver os pequenos grandes progressos dela. É um sorriso largo (mesmo que banguela) no rosto quando a gente conversa com ela, o desejo de pegar os objetos, o corpinho que já se aventura querer ficar sentado, achando que já é de gente grande, as palavras balbuciadas, as noites com mais horas de sono, entre tantas outras coisas.

É lindo perceber que ela está crescendo. Obrigada, Senhor, por este presente!!!!!

Beijos

@conversinhadmae

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Soninho duradouro

Se o blog tivesse cheiro, com certeza o post de hoje teria cheirinho de lavanda e alfazema. Vocês sabem como gosto de compartilhar aqui achadinhos que considero bem legais no nosso dia a dia como mãe.

Por sugestão da pediatra de minhas meninas, a querida Magali Dias, como o calor aqui na minha cidade é muito, eu poderia dar um banhinho em Rebeca à noite, antes de dormir, para aliviar a alta temperatura. Ela indicou para isso o sabonete líquido Johnson's Baby Hora do Sono.


O produto tem a exclusiva essência Natural Calm que ajuda o bebê a dormir melhor durante toda noite. O sabonete se propõe a ajudar o bebê a dormir mais rápido, melhor e por mais horas.


E não é, coincidência ou não, que Rebequinha tem dormido a noite toda, tranquilamente, nas últimas semanas! E essa é uma das boas notícias que os papais de recém-nascidos podem ter. Fica a dica.


Beijos


@conversinhadmae

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Maternidade abre inscrições para seleção de ‘Doulas’ voluntárias


A partir da próxima segunda-feira, dia 18, a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL) abre as inscrições para formação da terceira equipe que atuará no projeto "Doulas – Cuidando do Bem Nascer". Até o dia 12 de março, mulheres interessadas em oferecer suporte afetivo, físico e emocional às gestantes devem procurar a unidade de saúde para realizar um agendamento presencial e participar da seleção.

De acordo com a psicóloga Sílvia Anjos, responsável pelo projeto, não é necessário que a voluntária seja profissional de saúde. “Precisamos apenas que ela tenha disponibilidade de tempo, comprometimento e vontade de ajudar ao próximo”, explicou.

Serão oferecidas 30 vagas através de três etapas fundamentais. Primeiramente, a interessada terá que ir até a MNSL agendar a data da entrevista, que será realizada por profissionais da maternidade e terá um caráter de seleção. Já no dia 14 de março, acontecerá a divulgação dos nomes selecionados, para participação de um curso entre os dias 18 e 22 do mesmo mês. A preparação das novas ‘Doulas’ só se encerra com o estágio de seis meses. 

"A voluntária vai ser capacitada para orientar as gestantes sobre posições que aliviam as dores do parto, condutas de massagens relaxantes, como também poderá ajudar na comunicação entre a equipe médica e a família da paciente, proporcionando conforto à usuária e fazendo daquele momento, algo único na vida da mulher", informou a médica Priscilla Batista. 

Doula
A palavra ‘Doula’ tem origem grega e significa "mulher que serve". A MNSL é pioneira em Sergipe nesse formato de acolhimento obstétrico com foco na humanização, sendo destaque nacional. As inscrições para o projeto devem ser feitas pessoalmente no Núcleo de Apoio Técnico (NAT) da maternidade. Informações através do telefone: 3225-8689.

Beijos

@conversinhadmae

Fonte: Ascom MNSL

Cadeirão do bebê também terá selo do Inmetro


Assim como as cadeirinhas do carro, os berços, brinquedos e tantos outros produtos, agora os cadeirões de alimentação para bebês também terão que passar pela certificação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) para que possam ser comercializados no Brasil. A obrigatoriedade do selo do Inmetro nesse produto já foi publicada no Diário Oficial da União e abrange tanto as cadeiras altas (com pés, bandeja ou não) e aquelas que simplesmente são encaixadas na mesa.

A mudança, no entanto, não será imediata. A portaria do Inmetro estabelece prazos para os fabricantes e importadores se adequarem às normas. Primeiro os fabricantes terão um tempo para se ajustarem ao que está sendo exigido e passarem a confeccionarem as cadeiras assim e depois os comerciantes também terão tempo para “desovar” o estoque existente antes da exigência da certificação. A portaria prevê também a certificação compulsória das cadeiras de alimentação infantis, que deverá ser feita por Organismo de Certificação de Produto (OCP), credenciado ao Inmetro.
Esse tipo de cadeirinha também está incluída
Essa certificação compulsória é aplicada a produtos que podem colocar em risco a saúde, a segurança do usuário e do meio ambiente, caso sejam fabricados de maneira inadequada, entre eles, fios e cabos elétricos, extintores de incêndio, botijões, mangueiras e reguladores para gás, preservativos. Desta forma, as empresas devem obrigatoriamente cumprir normas específicas de fabricação regulamentadas pelo Inmetro.

Mais um item do nosso dia a dia com bebês que devemos estar bem atentos.

Beijos

@conversinhadmae 
Fonte: Agência Brasil

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Uma boa opção de presente

 

Você conhece e gosta da turminha Diante do Trono, com a Bia, o Ed, o Vareta, Bolota, Tonico e a tartaruga Tuga? Então vai gostar dessa opção de presente lançada pelo grupo. É a Maleta Virtudes.

O kit traz oito livros ilustrados, cada um abordando uma virtude: Alegria, Amizade, Obediência, Proteção, Humildade , Paz, Agradecimento e Amor. A maletinha inclui ainda CD com cinco videoclipes da turminha Crianças Diante do Trono, além de outras atividades e jogos.

A Maleta Virtudes está sendo vendida na loja virtual da cantora do grupo Ana Paula Valadão no Facebook, no valor de R$ 27,00 e por enquanto com frete grátis.

Beijos

@conversinhadmae

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Efeito dominó


Aos poucos estou percebendo na prática o que é ter duas filhas pequenas em casa. Coisas que sempre ouvia outras pessoas falando e que agora passam a ser reais aqui. Uma delas é o efeito dominó que causa quando uma adoece.

Os últimos dias aqui têm sido assim aqui em casa. Há uma semana começou um resfriado comigo. Depois minha filha mais velha, Beatriz, começou os primeiros sintomas. No outro dia, a pequenininha de dois meses, Rebeca, amanheceu corizando. É inevitável, não tem jeito. Infelizmente!

E esse resfriado em cadeia quase acabou com nosso feriado de carnaval, nos confinando os quatro dias em casa. No começo da semana melhoramos um pouco e fomos para o sítio do meu avô no interior, passar dois diazinhos. Foi ótimo, mas foi só chegar em casa... Agora é se cuidar, muito líquido, vitamina C, repouso e paciência.

Beijos

@conversinhadmae

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Fósforo: atenção sempre!

Ontem aconteceu um pequeno acidente comigo na cozinha aqui de casa e achei oportuno fazer um post aqui para o blog sobre isso. Ia preparar o café quando ao riscar o fósforo no mesmo instante todos os demais palitos que estavam na caixa, que estava na minha mão, pegaram fogo.


Foi questão de fração de segundos. Não sei como aconteceu, porque a caixa estava fechada. Além do susto, ganhei uma queimadura no polegar, como vocês podem ver. Parece bobagem, mas doi um tantinho e incomoda pra fazer as atividades domésticas.
A gente sabe que cozinha não é lugar para criança, pois se até com adultos acontecem acidente, imagine com os pequenos por perto. Fósforos devem estar sempre longe do alcance deles. É importante alguns cuidados, para garantir a segurança aos utilizá-los. A seguir, algumas delas:

- Muito cuidado na hora de escolher os fósforos. Procure sempre produtos que tenham sido certificados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), que tem critérios rigorosos para isso. O selo deve estar presente em cada pacote;

- Esteja atento se as informações na embalagem estão em conformidade com o produto. Os fabricantes devem respeitar a quantidade descrita no rótulo e as características dos fósforos, como comprimento e matéria-prima utilizada;

- Sempre mantenha fósforos longe do alcance das crianças, para evitar acidentes, como queimaduras ou mesmo princípios de incêndio;

- Nunca risque o fósforo contra o corpo, para evitar acidentes;

- Quando utilizar os fósforos, certifique-se sempre que eles estão apagados, antes de jogá-los fora.

Beijos

@conversinhadmae

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Arte de mãe – tiara de renda

Que me perdoem as mães de meninos, mas ser mãe de menina é uma delícia! Deixar nossas pequenas todas enfeitadas, com laços, tiaras, presilhas, pulseiras e uma infinidade de acessórios é um dos nossos passatempos preferidos. Mas isso requer muita criatividade, em alguns momentos.


Para quem é como eu, que gosta de colocar a mão na massa, essa diversão fica ainda melhor. É uma delícia fazer alguns acessórios para elas. Agora com a licença maternidade, quando sobra um tempinho (o que é raro, vamos combinar!), gosto de fazer isso.
Material necessário para a confecção

Resultado final
Essa tiara de renda foi uma das minhas últimas “artes”. Muito fácil de fazer, ela deixou minha Rebeca um charme só. Vou compartilhar com vocês como foi feita. Precisei apenas de 30 centímetros de renda com elástico colorida, um laço de fita (você mesmo pode fazer. Este eu aproveitei de uma presilha que comprei e não pegou no cabelinho ralo dela), linha invisível, agulha e fita métrica. Costure a renda fazendo a faixinha, depois costure o laço para que ele fique na lateral da cabeça. Pronto, sua pequena vai arrasar. Gostaram?
Detalhe de como a tiara ficou na cabeça da minha Rebequinha 
Beijos

@conversinhadmae

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Leitura: quanto mais cedo, melhor

É fato que, seja o que for, quanto mais cedo for ensinado às crianças, com maior facilidade elas aprendem. Com a leitura não é diferente. Quanto mais cedo os pequenos forem apresentados a ela e estimulados a lerem, os benefícios serão mais precoces e para a vida toda.


Minha filha mais Beatriz, de seis anos, desde muito pequena sempre foi muito apegada aos livros, mesmo quando ainda nem sabia ler. Livros e revistas em quadrinhos são sempre seus companheiros.

No final de semana, vi uma cena aqui em casa e não resisti. Tive que registrar e mostrar para vocês. Tão lindo!!!!! Eu e meu marido estávamos ocupados nas tarefas de casa e nossa pequenininha, Rebeca, estava chorando no quarto da irmã. Pedimos a Bia que fosse dar uma olhadinha nela, até que um de nós desocupasse. Depois de alguns instantes ouvi um silêncio e fui ver o que estava acontecendo.
Rebeca bem atenta à leitura da irmã Bia
Ao chegar ao quarto me deparei com essa cena. Bia lendo um livrinho de história e Rebeca na maior atenção, caladinha e olhando o colorido do livro. Ela ficou bem atenta durante toda leitura. É assim que se desperta o gosto pela leitura.

Acho incrível como Beatriz gosta de ler. Antes do início das aulas, ela já tinha lido os quatro livros paradidáticos escolhidos pela escola para este ano letivo. Às vezes digo a ela: vá ler um livro no seu quarto. Aí ela reclama: “Mas mãe, já li todos que tem lá”. Impressionante é que a biblioteca dela já possui algumas dezenas deles.
Alguns dos livros de Beatriz
Para mim, isso é maravilhoso. E vejo os frutos disso: um vocabulário bem extenso para a idade dela, um raciocínio impressionante, capacidade de interpretação idem e vejo também como a leitura dela foi bem desenvolvida por conta desse contato com os livros desde cedo. Espero que a irmãzinha siga no mesmo caminho.

Beijos

@conversinhadmae

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Tô de olho!!!

Como já falamos aqui no Conversinha de Mãe várias vezes (inclusive na última semana), é  muito importante as crianças serem transportadas da forma correta e segura nos veículos. Ou seja, em suas cadeirinhas especiais. Todo cuidado é pouco na hora da compra desses equipamentos que vão levar nossos pequenos para todo lugar.

Além de terem, obrigatoriamente selo do Inmetro, os dispositivos de segurança devem ser os adequados à cada fase da criança. Quando ainda pequeninos, recém-nascidos, devem ser transportados no bebê-conforto, depois nas cadeirinhas, depois nos assentos de elevação e depois fazendo uso do cinto de segurança, sempre!

A legislação brasileira que tornou obrigatória a utilização desses equipamentos estabelece que no caso dos bebês com até nove quilos eles devem ser transportados no bebê-conforto, no banco traseiro, virados no sentido contrário à marcha do veículo. Ou seja, de costas.

Essa posição pode parecer bastante desconfortável para nós, mas é a maneira mais adequada e segura de eles serem transportados. Nesse caso, outro fato é que, nessa posição, acaba não dando para a gente ver o bebê enquanto está dirigindo. Para acabar com esse problema, encontrei numa dessas lojas de bebê um pequeno retrovisor que é colocado no vidro traseiro do carro, virado para o bebê, e assim é possível visualizá-lo pelo retrovisor convencional do veículo.

Com o passar do tempo, o retrovisor pode ser colocado na parte dianteira
Depois que o bebê já pode viajar com a cadeirinha na posição convencional, o pequeno retrovisor pode ser adaptado no retrovisor normal do carro, para visualizá-lo melhor. Invencionices que acabam nos ajudando muito. E o melhor: não custam caro. Comprei o meu por R$ 24,50 e na loja tinha outro modelo por R$ 36. Vale a pena!

Beijos

@conversinhadmae

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Quase um sonho


O dia hoje foi corrido, mas quero compartilhar com vocês essa grande bênção. Ah, gente, pode parecer uma bobagem, mas quem está passando por isso ou já passou vai saber o quanto é importante. Depois de dois meses e meio que minha pequena Rebeca nasceu, na última noite eu, finalmente, consegui dormir uma noite inteira. Uhuuuuu!!!!

Nem lembrava como era isso. Embora nas últimas semanas ela já estivesse melhorando muito, no início foi um tanto quanto difícil. Noites de sono cortadas, com cólicas, choros (muitas vezes sem saber ao certo o motivo), mamadas, trocas de fralda... Coisas que foram melhorando com o passar dos dias. Aí já eram duas ou apenas uma vez acordando, até que ontem ela dormiu por volta das 22h e só chorou para mamar quase às 8h.

Dá pra acreditar? Nem eu cri quando olhei no relógio e vi que já era manhã e ela não tinha chorado. No comecinho da manhã até ouvi ela brincando no berço com o móbile, mas como não chorou não fui lá pegá-la para mamar. Os especialistas dizem que é normal os bebês irem aos poucos aumentando o número de horas que dormem durante a noite, ao passo que diminuem o número de mamadas nesse período. Faz parte do crescimento deles (e alívio nosso).

Segundo os médicos, desde que o bebê esteja ganhando peso normalmente, não é preciso acordá-lo de três em três horas para dar de mamar. E quando ele acordar, para criar a rotina do sono, procure não conversar com o neném quando ele acorda de madrugada. Acenda o mínimo de luzes e só fale o estritamente necessário.

Confesso que já vinha fazendo isso, mas me sentia um pouco cruel em apenas pegá-la no berço, colocar no colo e dar de mamar, sem nem uma conversinha, uma brincadeirinha. Mas dizem que assim é melhor para que ele comece a entender que a noite é para dormir. No site Babycenter Brasil há algumas dicas bem legais para que os bebês tenham bons hábitos de sono.

Beijos

@conversinhadmae