quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Presente pra quem ganha e quem dá

Pedidos não faltam. Vão desde bonecas, carrinhos, jogos, bicicletas, games, eletrônicos, principalmente, além de celulares, tablets e notebooks. Essas são apenas algumas das opções de presentes pedidos pelos pequenos para o Dia das Crianças. Hoje, véspera da data, muitos pais, tios, avós, padrinhos ou quem gosta de presentear a criançada está na dúvida sobre o que comprar. Muitas vezes o questionamento é se atende ao pedido, mesmo que o presente solicitado não pareça adequado à idade.

Para a psicopedagoga Vânia Clareto, apesar de tantos apelos comerciais em torno do Dia das Crianças, as pessoas na hora de presentear devem pensar não em dar o presente pelo presente, mas levando em conta a troca que deve haver entre o presenteado e quem está presenteando. “Os pais devem aproveitar o Dia das Crianças para se verem enquanto crianças também, como uma oportunidade de voltar à sua infância e de dar presentes que as crianças possam usufruir juntamente com eles”, orientou.

Ela disse que essa fase da infância é muito importante não apenas para a criança, mas para o fortalecimento da relação entre pais e filhos. “Esta é uma fase muito boa e que passa rápido. Por isso os pais devem aproveitar cada momento. Tirar uma tarde de sábado, final de semana para brincar juntos, pois essas trocas são coisas bem interessantes. É importante os pais voltarem a ser crianças”, ressaltou Vânia Clareto.

Na fase certa
Para cada fase da infância, existem brinquedos que servem para estimular o desenvolvimento em todas as esferas da criança. Embora alguns não vejam com bons olhos presentes eletrônicos, games e de informática para os pequenos, a psicopedagoga observa que eles têm seus benefícios, desde que utilizados na faixa etária adequada e com a supervisão de um adulto. “Os jogos eletrônicos, por exemplo, podem contribuir para a agilidade, o raciocínio lógico e rápido, trabalhar a atenção. Mas não pode ficar só nisso. E é importante que os pais saibam o que estão dando”, disse.

Além deles, ela citou que podem ser dados os brinquedos pedagógicos e educativos, jogos da memória, quebra-cabeças, de raciocínio, jogos de tabuleiro. Isso porque, cada um com sua característica, além de divertir, estimulam o raciocínio, ajudam na elaboração, na organização, na busca de solução, entre outros aspectos.

Segundo a psicopedagoga, uma coisa que os pais esqueceram e que deve ser lembrada é a necessidade de estimular a criatividade. E para isso não precisa muita coisa nem presentes caros. Basta papel (de várias cores e texturas), tintas de tantos tipos que existem hoje no mercado (guache, a dedo, dimensional, com relevo, com glitter), cola (branca e colorida), tesoura.

São os elementos básicos para dar asas à imaginação em atividades de desenho, pintura, modelagem e montagem. Eles, junto com outros elementos como sementes, folhas secas, barbantes, areia, serragem, fitas, emborrachados, botões podem fazer surgir novos brinquedos e presentes feitos pela própria imaginação e criatividade da criança.

Sugestões
Para dar algumas dicas a quem está pensando em presentear alguma criança, a psicopedagoga Vânia Clareto deu algumas sugestões para cada faixa etária. Confira a seguir:


0 a 2 anos – Para essa fase são indicados os brinquedos que estimulem o sensorial (audição, visão e tato), como bichinhos de pelúcia, móbile, chocalhos e tapete de atividades. Além disso, é muito interessante ofertar livros de histórias, que podem ser de plástico para que possam brincar até na hora do banho e em material mais encorpado, para que não possam rasgar. É uma forma de começar a estimular o processo de alfabetização da criança.

2 a 5 anos – Nessa idade, pode-se começar a lidar com os brinquedos de encaixe, com formas, cores, primeiros numerais, letras associando a palavras e imagens, boliche (que estimulam a motricidade), cordas, histórias infantis, carrinhos de madeira ou mesmo a construção deles com sucata e boneca de pano.

5 a 7 anos – Essa idade é ideal para presentear a criança com bicicleta, bandinha musical (que estimula o gosto pela música), conjunto de maquiagem infantil, de confecção de bijuterias (esses dois, segundo a psicopedagoga, ajudam na coordenação motora, organização mental, trabalha a higiene e como se mostrar para o outro e não só estimulam a vaidade infantil como pensam a maioria), casinha de madeira com móveis, miniaturas de animais, como dinossauros. Embora seja uma fase que os pequenos gostem muito de brincadeiras agressivas, não são indicadas armas de brinquedos, que podem ser substituídas por dardos.

7 a 10 anos – Para as crianças nessa idade são sugeridos jogos de tabuleiro, amarelinha (brincadeiras em que é preciso a interação com outras pessoas, como irmão, pais, vizinhos...), patins, patinete.

A partir dos 10 anos – As sugestões de presentes para essa idade são skate, bola, jogos mais elaborados, como Jogo da Vida e Banco Imobiliário. Nessa fase são indicados os games, pois as crianças já venceram toda fase motora e eles ajudam a trabalhar estratégias e raciocínio.

E mais: presentear as crianças nessa data NÃO É uma obrigação. Presenteia quem pode. O importante é que isso seja feito em qualquer época do ano, quando os pais puderem, mas buscando sempre essa aproximação.

Beijos

@conversinhadmae

Fotos: Jadilson Simões

Nenhum comentário:

Postar um comentário