quarta-feira, 4 de julho de 2012

Campanha contra pólio quase no fim



Faltam poucos dias para o término da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite. É só até esta sexta-feira, dia 6, viu? Até o último balanço parcial divulgado pelo Ministério da Saúde, quase 12,5 milhões de crianças em todo Brasil já tinham sido imunizadas. Isso representa por volta de 87% do público alvo, que são crianças de zero a cinco anos. Mas a meta é vacinar 95% dessa população, o que corresponde a 13,5 milhões de crianças das 14,1 milhões que têm essa idade.

De acordo com o último balanço feito pelo Ministério da Saúde, o melhor desempenho por grupo de idade até agora foi entre os menores de um ano de idade, atingindo 92,7%, o que representa quase 2,7 milhões de crianças. Foram distribuídas 21,2 milhões de doses da vacina para as secretarias estaduais e municipais de saúde.

Ao contrário de anos anteriores, em 2012 esta será a única etapa da campanha. No mês de agosto será realizada, em todo o país, a campanha para atualização dos esquemas vacinais do calendário básico de vacinação da criança. Com isso, a partir de agosto deste ano, as crianças que estão começando o esquema vacinal, ou seja, nunca foram imunizadas contra a paralisia infantil, irão tomar a primeira dose aos dois meses e a segunda aos quatro meses, com a vacina poliomielite inativada, de forma injetável. Já a terceira dose (aos seis meses), a dose de reforço (aos 15 meses) e as demais doses de campanha continuam com a vacina oral, ou seja, as duas gotinhas.

A paralisia infantil é uma doença infectocontagiosa viral aguda que atinge principalmente crianças de até cinco anos. É caracterizada por quadro de paralisia flácida de início súbito, principalmente nos membros inferiores. Sua transmissão ocorre pelo Poliovírus, que entra pela boca. Ele é carregado pelas fezes e gotículas expelidas durante a fala, tosse ou espirro da pessoa contaminada. Falta de higiene e de saneamento na moradia, além da concentração de muitas crianças em um mesmo local favorecem a transmissão.

O último caso da doença no país foi registrado em 1989, na Paraíba. Em 1994, o país recebeu da Organização Mundial da Saúde (OMS) o certificado de eliminação da doença. Embora não haja circulação do vírus no Brasil, neste ano, 16 países registraram casos de paralisia infantil e, em três deles, a doença é endêmica: Afeganistão, Nigéria e Paquistão. Por isso, para evitar a reintrodução do vírus no Brasil, é fundamental a manutenção da vacinação.

Beijos

@conversinhadmae


Foto: Jadilson Simões

Nenhum comentário:

Postar um comentário