quarta-feira, 25 de abril de 2012

Água: perigo para crianças


Aí, gente, é lamentável que casos assim continuem acontecendo. Roda e via a gente volta a ouvir notícias sobre casos semelhantes. Fiquei chocada ao ver no noticiário há pouco a informação da morte de mais uma criança por afogamento em casa. O caso aconteceu hoje, com um bebê de 11 meses, cuja família mora no povoado Quilombo, no município de Lagarto, na região Centro-sul de Sergipe.

O pai teria saído para trabalhar e a neném ficou com a mãe em casa. A mulher estava fazendo as tarefas domésticas e não se deu conta quando a pequena foi para o quintal brincar. A menina teria caído de cabeça num balde com água. A criança ainda foi socorrida ao hospital, mas faleceu antes de ser atendida.

Que dor terrível para esta família, não? A gente nem consegue imaginar. Mas as estatísticas mostram que quando se trata de afogamentos de crianças casos assim são mais comuns do que se imagina e poderiam ser prevenidos. No Brasil, o afogamento é a segunda causa de morte entre os acidentes de crianças e adolescentes até 14 anos. Só perde para os acidentes de trânsito

A ONG Criança Segura fez um estudo com base nos números de mortalidade de 2009 do Ministério da Saúde e apontou que embora rios, mares e lagos sejam os locais de maior risco, 37% dos afogamentos não tiveram local identificado e 5% foram classificados como “outros”. No ano analisado, 3% das vítimas tinham menos de um ano de idade e 35% das vítimas tinham entre um e quatro anos.

Então, gente, cuidado, cuidado, cuidado, cuidado e mais cuidado ainda quando se fala de água e criança. Já publicamos aqui no Conversinha de Mãe algumas dicas da ONG Criança Segura para a prevenção de afogamentos, mas vamos repeti-las:

- Supervisão total do adulto;
- Uso de colete salva-vidas pelas crianças em piscinas, mares e rios;
- Armazenamento de baldes e banheiras com água no alto e virados para baixo, quando vazios;
- Banheiros e vasos sanitários fechados;
- Esvaziar piscinas infantis e tampar com lona bem presa as piscinas “regan” após o uso.

Beijos

@conversinhadmae

Nenhum comentário:

Postar um comentário