sábado, 17 de dezembro de 2011

A polêmica Lei da Palmada


Esta semana, a comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou a polêmica Lei da palmada. Polêmica porque, embora a legislação tenha como objetivo principal proteger crianças e adolescentes, para muitos ela interfere na autonomia dos pais na educação dos filhos. Pelo texto do projeto de lei 7.672/10, de autoria do Poder Executivo, aprovado em caráter conclusivo, os pais estão proibidos de utilizarem castigos físicos em crianças e adolescentes.

O projeto não prevê punições como multas ou outro tipo de sanção mais “dura” aos pais, mas que os que matratarem os filhos sejam encamihados a programa oficial de proteção à família e cursos de orientação, tratamento psicológico ou psiquiátrico, além de receberem advertência. Já a criança vítima de agressão deverá ser encaminhada a tratamento especializado. Agora, o projeto de lei seguirá para o Senado, para ser apreciado.

O principal argumento dos defensores da lei é que ela é uma forma de educar, uma vez que a punição física, ainda muito utilizada por pais e responsáveis, continua sendo no Brasil uma questão cultural. Para eles, ela não educa, apenas intimida a crianças e o adolescente, que obedece, então, não por respeito, mas por temor. Por outro lado, para quem é contra, a Lei da Palmada é uma interferência do Estado na família, ao estabelecer essas regras para os pais.

Bem, é, realmente, uma questão polêmica. Claro que qualquer pessoa em sã consciência não é a favor de castigos físicos. Mas também não vejo necessidade em elaborar uma lei para proibir uma palmada. É lógico que a educação tem que vir pelo diálogo, pela imposição de limites, mas tem horas que uma palmada resolve. Quando criança tomei algumas dos meus pais, quando necessitei e hoje, mãe, já dei também algumas poucas em minha filha.

Como cristã, tenho a Bíblia como regra de fé e prática. E é interessante que ela traz conselhos e explicações para tudo que é assunto. Inclusive sobre a palmada, acreditam? Em Provérbios 23: 13-14, o sábio Salomão já dizia: “Não deixe de corrigir a criança. Umas palmadas não a matarão. Para dizer a verdade, poderão até livrá-la da morte”. (Texto na nova tradução da linguagem de hoje)

Sei que essa é uma questão polêmica. Há quem concorde comigo e há quem discorde completamente do meu pensamento. Mas é assim que a vida é, né, gente? Mas, digam aí, qual é a opinião de vocês? Participem da nossa enquete.

Beijos

@conversinhadmae

Um comentário:

  1. Acredito que a lei nao veio para nos que sabemos educar nossos filhos e sim para aqueles que costumam passar dos limites, com certeza uma lei muito polemica.
    beijos e boa semana.

    ResponderExcluir