segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Dia do Saci

Vários locais do mundo comemoram hoje o “Halloween”. Tradição americana, até que se tentou fazer a data “colar” aqui no Brasil, principalmente as escolas de idiomas, mas ela não chegou a fazer, nem de longe, o sucesso que tem lá na terra do Tio Sam (nem sei, mas lá é feriado?). Inventou-se, então, criar o Dia do Saci, comemorado na mesma data, para festejar essa figura que tem mais a ver com o folclore do nosso país.

Apesar de ter surgido com força de lei – elaborado pelo deputado Aldo Rebelo e Ângela Guadagnin – com a proposta de resgatar essa figura do folclore brasileiro em contraposição ao Halloween, essa data também não pegou muito. Mas, de qualquer jeito, o Saci-pererê não deixa de ser figura tradicional do nosso folclore. Quem, seja criança ou adulto, nunca ouviu ou viu imagens na TV representando as travessuras do negrinho que pula de uma perna só?

Ah, eu não esqueço das imagens do arteiro Saci nas aventuras do (antigo) Sítio do Picapau Amarelo, os sustos na Tia Anastácia, as travessuras com o Tio Barnabé, as aventuras com o Pedrinho, Emília e Narizinho. Quantas lembranças!!!!

Só tem uma coisa que não gosto do Saci e que acho que não é bom exemplo para os pequenos: a imagem dele sempre associada a um cachimbo. Acho que em tempos de combate ao tabagismo, não é uma coisa politicamente correta, além de não ser um bom exemplo. Mas, enfim, é uma figura folclórica.

Sobre ele
O Saci é um negro jovem de uma só perna, portador de uma carapuça sobre a cabeça que lhe concede poderes mágicos. Considerado uma figura brincalhona, que se diverte com os animais e pessoas, fazendo pequenas travessuras que criam dificuldades domésticas, ou assustando viajantes noturnos com seus assobios - bastante agudos e impossíveis de serem localizados. Assim é que faz tranças nos cabelos dos animais, depois de deixá-los cansados com correrias; faz as cozinheiras queimarem as comidas; ou aos viajantes se perderem nas estradas.

Monteiro Lobato foi o primeiro escritor a se voltar para a figura do Saci-pererê. O escritor Ziraldo criou em 1958 a série Turma do Pererê, em que o Saci contracena com o índio Tininim, a onça Galileu e outros personagens. As histórias foram originalmente publicadas na revista O Cruzeiro. Na TV, o primeiro ator a representar o papel foi Paulo Matozinho, no filme “O Saci”, adaptado do livro infantil de Lobato. A produção de 1951 da Brasiliense Filmes foi dirigida por Rodolfo Nanni.

Então, viva o Dia do Saci!

Beijos

@conversinhadmae

Nenhum comentário:

Postar um comentário