quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Quedas de crianças: perigo dentro de casa

Vocês sabiam que as quedas são responsáveis por mais de 50% dos atendimentos a crianças de zero a nove anos em serviços de urgências de hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) do Brasil? Pois é! Foi o que revelou um levantamento do Ministério da Saúde. O percentual é maior até mesmo que os casos de engasgamento, intoxicação e afogamento. O pior é que boa parte destas quedas ocorre dentro de casa, quando as crianças estão acompanhadas dos pais ou responsáveis.

Quem tem filho sabe que essas quedas normalmente acontecem quando a gente se afasta um segundinho dos pequenos. Por isso, a vigilância a todo instante é fundamental para evitar qualquer acidente. Recomendação que vale também para as pessoas que ficam responsáveis por elas em creches ou escolinhas.

Além das quedas, casos de engasgamento, intoxicação e afogamento são responsáveis por 32% dos atendimentos a crianças nos serviços de urgência dos hospitais. As queimaduras também representam um percentual elevado: 20% e os acidentes de trânsito, 11%. Segundo levantamento feito pelo Ministério da Saúde em 2008, cerca de 3.300 crianças morrem todos os anos no Brasil vítimas de acidentes domésticos e de trânsito.

Por isso, nunca é demais que estejamos em alerta com os nossos pequenos. Para isso, o blog Conversinha de Mãe reforça algumas dicas já publicadas aqui da ONG Criança Segura, sobre como evitar quedas de crianças:

-  As crianças devem brincar em locais seguros. Escadas, sacadas e lajes não são lugares para brincar;

- Use portões de segurança no topo e na base das escadas. Caso a escada seja aberta, instale redes ao longo dela;

- Instale grades ou redes de proteção nas janelas, sacadas e mezaninos. As redes devem ter espaços de no máximo 6 cm;

- Crianças com menos de seis anos não devem dormir em beliches. Se não tiver escolha, coloque grades de proteção nas laterais;

- Mantenha camas, armários e outros móveis longe das janelas, pois podem facilitar que crianças os escalem e se debrucem para fora do prédio ou casa. Além disso, verifique se os móveis e o tanque da lavanderia estão estáveis e fixos;

- Ao andar de bicicleta, skate ou patins, o capacete é o equipamento fundamental. Ele pode reduzir o risco de lesões na cabeça em até 85%;

- Cuidado com pisos escorregadios e coloque antiderrapante nos tapetes;

- Crianças devem ser sempre observadas quando estiverem brincando nos parquinhos. O risco de lesão é quatro vezes maior se a criança cair de um brinquedo com altura superior a 1,5 m. Verifique se os brinquedos estão em boas condições e se são adequados à idade da criança. O piso deve ser de absorção para a queda, como gramas, areia e borrachões com espessura acima de 3 cm;

- O uso de andadores não é aconselhado pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Além de comprometerem o desenvolvimento saudável da criança, podem causar sérias quedas. Eles são responsáveis por mais acidentes que qualquer outro produto infantil destinado a crianças entre cinco 15 meses. A maior parte das lesões resulta de quedas em escadas ou simplesmente por tropeços quando estão no andador;

- Durante a troca de fraldas, mantenha uma mão segurando o bebê. Nunca deixe um bebê sozinho em mesas, camas ou outros móveis, mesmo que seja por pouco tempo;

- Crianças não devem brincar perto de barreiras e barrancos.

Beijos

@conversinhadmae

Com informações da Web Rádio Saúde, do Ministério da Saúde e ONG Criança Segura

Um comentário:

  1. 1º quero parabenizar pelo lindo blog... minha filhota achou mto lindo tbm!!
    2º mto importantes estas dicas, li esta semana que uma criança de 2 anos engoliu a bateria do controle da TV, levando-a 18 cirugias, pois estas baterias de celular, maquina fotografica e de contrles, causam queimaduras qdo ingeridas!!
    Que horror!! tenho que fica mais atenta a minha filha, nao gosto nem de pensar no que possa acontecer com ela!
    um gde abraço e ate aproxima

    ResponderExcluir