segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Semana do aleitamento materno


Apesar de mãe de primeira viagem, nunca fui uma mãe “fresca” – com perdão da palavra –, que ficou em dúvida se amamentava ou ficava pensando se ia ficar com o seio caído. Desde que me descobri grávida, não amamentar nunca me passou pela cabeça. Logo eu, que fui uma bebezinha esfomeada pelo peito da mamãe não ia dar de mamar à minha filhota? Imagina!

Amamentei minha Beatriz, hoje prestes a completar cinco anos, até os 10 meses e exclusivamente a alimentei com o leite materno até os seis meses, tudo direitinho. Por mim teria amamentado por mais tempo, mas precisei retomar um tratamento médico, que a medicação não poderia ser absorvida por ela através do leite materno. Mas foi um sofrimento, ainda me ver com os seios cheios de leite e sem poder amamentá-la.

Hoje, dia 1º de agosto, tem início Brasil a Semana Mundial do Aleitamento Materno. A campanha, encabeçada pelo Ministério da Saúde e desenvolvido nos Estados pelas Secretarias de Estado e municipais de Saúde, é muito importante para estar ressaltando a importância do leite materno para a alimentação e desenvolvimento do bebê, bem como para a saúde da mamãe.

Este ano, a Semana Mundial da Amamentação (SMAM) tem como madrinha a atriz Juliana Paes e vai defender o apoio de todos para garantir às mães condições de amamentar seus filhos até os dois anos de idade, seguindo o que recomenda a Organização Mundial de Saúde (OMS). Segundo dados do Ministério da Saúde, embora o tempo médio do período de aleitamento materno no país tenha aumentado um mês e meio, entre os anos de 1999 a 2008, o Brasil ainda abaixo do que a OMS considera o ideal, que seria que 90% a 100% das crianças menores de seis meses tenham no aleitamento materno um alimento exclusivo. No Brasil, esse índice é de 41%.

O objetivo do Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Pediatria com a campanha deste ano é conscientizar a sociedade de que, apesar do aleitamento materno ser um ato natural, precisa de apoio de todos, da família, dos profissionais de saúde, empregadores, e, especialmente da mídia e dos formadores de opinião. No início desse ano, a antropóloga Marina Barão foi impedida de amamentar seu bebê num centro cultural, em São Paulo. O episódio ganhou repercussão nacional e gerou uma onda de protestos, que resultaram num “mamaço”.

Estudos comprovam que o aleitamento materno, além de econômico, é nutritivo para os bebês. No leite materno está todo alimento, inclusive água, que o recém-nascidos precisam até os seis meses de vida. Ele também funciona como uma vacina, protegendo a criança de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias. Já para as mamães, a amamentação contribui para o que elas mais querem depois do parto: perder peso rapidamente. Além disso, a amamentação ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal, diminuindo o risco de hemorragia e de anemia, reduzindo também o risco de diabetes, de câncer de mama e de ovário.

Então, mamães, vamos então amamentar os bebês. Só tem bons motivos para isso!!!

Beijos

@conversinhadmae

2 comentários:

  1. Olá, blogueiro(a)!
    Que tal usar seu espaço para apoiar o aleitamento materno?
    Não podemos esquecer que a amamentação não envolve apenas duas pessoas – mãe e bebê -, mas a todos nós: família, namorado, marido, amigos, empregadores.
    A mulher que amamenta precisa de apoio, carinho, companheirismo para passar ao bebê tudo que ele precisa. A amamentação exclusiva nos primeiros 6 meses de vida da criança e o leite materno na alimentação do bebê até 2 anos são fundamentais para a saúde dos pequenos.
    Apoie essa causa, seja um amigo do peito!
    Para saber mais sobre amamentação, acesse: http://on.fb.me/oL9ILc
    Se quiser receber material de divulgação para incluir no seu blog, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br
    Obrigado,
    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir
  2. Já estamos com o espaço do nosso blog aberto para divulgar sempre notícias e informações sobre saúde. Já estou cadastrada para receber material de divulgação do Ministério da Saúde. Obrigada pela visita.

    Conversinha de Mãe

    ResponderExcluir