terça-feira, 7 de junho de 2011

Meu refúgio – casa do vô

Os últimos dias têm sido muuito pesados pra mim. Só penso em descanso. Gente, mãe que trabalha fora – os dois horários – e tem casa pra cuidar sabe bem a barra que é. Mas a gente precisa, né, fazer o quê? Então, quando chega o final de semana ou tem algum feriado à vista só penso em descansar, em não ter obrigação nenhuma e nada marcado na agenda. Apenas relaxar e pensar na família.

Pra mim, na maioria das vezes todo esse descanso tem um nome: o sítio do meu avô, aqui no interior. Ah, meu refúgio, minha paz, onde descanso, como aquelas delicinhas do interior que só lá tem, onde podemos conversar o dia inteiro com a família, tão isolado, sem televisão, sem rádio, sem internet (apenas o Twitter de vez em quando no celular rsrsrs), rede, sombra e água fresca. Só de pensar já dá vontade de voltar correndo pra lá.

No último final de semena foi para lá que fugimos. A semana tinha sido barra: muito trabalho, corre-corre e Bia doente por duas vezes. Então, não pensamos duas vezes em passar o sábado e o domingo lá para arejar a mente e descansar o corpo. Pra completar, ainda tínhamos outro motivo importantíssimo para ir para lá, íamos comemorar os 89 anos do meu avô. Então, pé na estrada.

Saimos no sábado bem cedinho e pra deixar o clima ainda mais gostoso já pegamos na estrada o clima bem friinho, com neblina e tudo, parecendo que estavamos em outro local. Ah, que delícia!!! Um espetáculo mesmo.

A maior parte do caminho estava assim, branquinha

Olha que lindo ficou a teia de aranha
nas cercas, por conta da neblina

Ao chegar lá, a mesma felicidade de sempre: família reunida e aquele clima de campo que não tem preço. Aí vão umas fotinhos pra vocês tentarem entender um pouco do que eu estou falando.

A felicidade de Bia, num dos cantinhos que
mais gostamos: próximo ao fogão a lenha

Jabuticaba direto no pé...

Hum, que delícia! Servido?

Essa aí atrás é Josefa, dona de um sítio vizinho, para
onde vamos ficar babando seus animais, como o boizinho aí

Um carinhozinho nele e um pouco de jenipapo,
que acabamos de tirar do pé

Bia observa com atenção os pintinhos recém-chegados...

...e se arrisca até a pegar um deles

A hora tão esperada pelo bezerrinho. "´Me dá meu leitinho!"

Agora o carinho entre os irmãos boi

Parte da família que foi comemorar os 89 anos do vô José Alves
(ao centro); eu ao lado de Alex e Bia, com tio Moisés,
tia Cícera e tia Nalva, ao lado do vô

E aí, gostaram?

Beijos

@conversinhadmae

2 comentários:

  1. Amiga adorei. Quero um lugar assim.
    Beijos***

    ResponderExcluir
  2. Por isso senti saudades e falta da minha aluna na EBD, é muito gostoso mesmo Edjane, ficar em contato com a natureza e melhor ainda ao lado de pessoas tão queridas que é a familia.

    Beijinhos na minha sobrinha Bia viu, rsrsrs.
    Beijos.

    Tia Bete.

    ResponderExcluir