quinta-feira, 31 de março de 2011


Na salinha das crianças da igreja que fazemos parte, uma das músicas cantadas com os pequenos tem um trecho que diz: “Leia a Bíblia e faça oração, se quiser crescer”, referindo-se à necessidade de “alimentação” que as pessoas devem fazer para crescer espiritualmente. Aí esta semana, depois de cantar essa canção, minha filha Beatriz chegou para o pai, Alex, e disse:

- Então Tia Linete não lê a Bíblia, né, pai? – perguntou Bia.

Meio sem entender a indagação ele respondeu: - Por que, filha?

- Porque ela não cresceu! – disparou.

Em tempo: Linete, tia-avó de Bia, é bem baixinha e aí, de imediato, ela acabou associando a baixa estatura dela com a falta de leitura da Bíblia e de oração. Natural que, como criança, ela fizesse essa associação. Mas ele explicou que não é bem assim. Mas é engraçado como essa garotada procura contextualizar as coisas com sua realidade, né?

Beijos.

@conversinhadmae

terça-feira, 29 de março de 2011

Pequena fotógrafa


Além de desenhar, fazer colagens, olhar seus livros e revistas em quadrinhos, fotografar é um dos passatempos prediletos de minha filha Beatriz, quatro anos. Ainda por volta dos dois, beirando os três anos, ela descobriu a câmera fotográfica e desde então sempre que pode ou a gente deixa ela faz seus registros. Já pediu até para ter a própria máquina dela, pensem!

Sábado passado foi o casamento do meu amigão Ailton Sousa e Luana Luduvice. Eu e Alex fomos padrinhos da cerimônia. Bia foi conosco, mas como na igreja nossa atenção estaria voltada à celebração, as amigas Andréa Moura, Janaína Cruz, Ana Dulce e até Raquel Passos ficaram responsáveis por dar uma olhadinha na garota. Gente, depois soube que a menina deu um showzinho particular na igreja. Como sentaram no último banco, ela fez a festa. Dançou do começo ao fim do casamento. Meu Deus!!!

Já no final da cerimônia, ela não resistiu e foi até onde nós estávamos e começou a sua saga fotográfica. Achei tão interessante os clics que ela fez que resolvi mostrar aqui como foi o casamento de Ailton e Luana sob o olhar de dona Beatriz. Todas as fotos a seguir foram feitas por ela, viu, ao seu jeito.

Alex e eu ainda na igreja...

Cleones e Acácia, também padrinhos

Já na festa, Andréa Moura não escapou dos clics

O casal Mateus e Janaína pelas lentes de Bia

Fernanda Accioly e Zé Luiz, ao fundo

Parte da decoração da mesa

A  mesa do bolo e o brinde dos noivos (amei essa foto!)

Ah, antes que perguntem, dos noivos ela não fez fotos. Rsrsrs.

O que acharam?

Beijos

@conversinhadmae

Teste do Olhinho: importante para a visão


O Conversinha de Mãe reproduz aqui no blog uma entrevista muito interessante concedida pela oftalmologista Mônica Andrade ao caderno Bem Estar, do Jornal da Cidade (jornal onde eu trabalho), editado por minha amiga jornalista e blogueira Márcia Pacheco. Achei o tema tão importante que pedi autorização a ela para publicar a entrevista na íntegra aqui também. Fala sobre a importância da realização do Teste do Olhinho no bebê recém-nascido. Espero que gostem. Eu amei. Confiram a seguir.

Muitos pais ainda hesitam na hora de fazer o Teste do Olhinho no bebê recém-nascido. Por desconhecimento ou por temer causar desconforto para o bebê, estes pais podem estar deixando de evitar um dano futuro muito maior à visão da criança não fazendo o exame que, de acordo com Mônica Andrade, oftalmologista especialista em retina clínica, não causa desconforto algum ao pequeno. O Teste do Olhinho é um exame simples feito para observar a estrutura ocular do bebê. O exame pode detectar problemas precocemente, aumentando as chances de o tratamento ter sucesso, preservando assim a visão e a qualidade de vida da criança. Confira os detalhes sobre o Teste do Olhinho na entrevista concedida por Mônica Andrade ao Bem Estar.


O que é o Teste do Olhinho e qual a importância do procedimento?
O Teste do Olhinho é um exame que pode ser realizado no bebê ainda na maternidade para observar o reflexo da pupila da criança. É um exame muito simples. Não é invasivo. Durante o procedimento, o médico incide uma fonte de luz na pupila da criança e observa a cor do reflexo – que geralmente é vermelho ou alaranjado, a depender da luz incidida. A partir desde reflexo, é possível constatar a presença de vários tipos de lesões, como retinoplastia da prematuridade, cegueira, glaucoma, catarata, ou ainda infecções e traumas que podem ter ocorrido durante o parto. O objetivo é prevenir lesões irreversíveis e diagnosticar precocemente os problemas.

Então o teste ajuda a evitar um dano maior à visão do bebê, caso ele tenha nascido com alguma lesão?
Em média, 50% das crianças que nascem com problemas de visão só têm a lesão descoberta quando já está perto da cegueira. Este é um dado alarmante. E o Teste do Olhinho é capaz de descobrir cedo estes problemas que podem levar à perda total da visão. Até tumores podem ser detectados através do teste.

Descoberto algum problema, qual é o próximo procedimento?
Dependendo da lesão e da patologia, é definido o tratamento adequado. Se for infecção, vai tratar com colírios e, se necessário, cirurgia, por exemplo. Glaucoma e catarata congênita são tratados também com cirurgia. E, no caso da retinoplastia da prematuridade, que hoje em dia é o foco principal do Teste do Olhinho, a princípio é feito um tratamento a laser e, em casos mais avançados, se faz também uma cirurgia.

Do que se trata a retinoplastia da prematuridade?
A Retinopatia da Prematuridade é uma alteração no crescimento da retina, que está indiretamente ligada à idade gestacional, peso e ao nascimento do prematuro. Quanto mais prematuro e menor o peso de bebê, maior a probabilidade de aparecerem as alterações da prematuridade na retina. Esta é uma das principais causas de cegueira em bebês.

O Teste do Olhinho é obrigatório?
Antes era apenas obrigatórios para partos de alto risco, prematuros e bebês nascidos com histórico de infecção, mas hoje em dia o Teste tem se colocado como uma forma de conscientização. Não existe uma lei que obrigue, mas a orientação é que mesmo os bebês que nasceram de gestação, partos ou pós-partos sem complicações passem pelo Teste do Olhinho. O Teste pode ser feito de duas maneiras: ainda na sala de parto, o médico pediatra utiliza uma lanterna com luz incidindo no olho do bebê para observação de reflexo; ou o exame mais aprofundado realizado pelo oftalmologista, que conta com dilatação da pupila para examinar o fundo do olho por inteiro, além da frente do olho. Neste último caso, não é só observado o reflexo, mas toda a estrutura ocular.

Ao nascer, a visão do bebê é limitada?
Sim. O bebê nasce vendo vultos. Nós não nascemos sabendo andar, vamos amadurecendo até aprender. O mesmo acontece com a visão, que vai amadurecendo aos poucos até conseguir distinguir formas, detalhes de rosto, cores. A visão da criança só está completa entre os cinco e sete anos de idade. É aí que a criança vai ter uma visão igual a de um adulto.

Sendo assim, é difícil para os pais perceberem sozinhos algum problema na visão do bebê?
É muito difícil para os pais perceberem problemas. A alteração precisa ser muito grande para ser percebida só com a observação. Por exemplo, quando o olho do bebê não fica parado, está sempre mexendo de um lado para o outro; quando existe algum desvio – estes são sinais que os pais percebem. No entanto, para descobrir as causas, é preciso procurar o médico. Mas o importante é fazer o teste mesmo sem perceber nenhuma alteração, pois em muitos casos os olhos parecem estar bem, mas podem conter alguma alteração.

Para os pais que não tiveram a oportunidade de fazer o Teste do Olhinho no bebê ainda na maternidade, é possível fazer depois?
A orientação é que o teste seja feito nos primeiros 30 dias de vida do bebê, para que, se houver problema, ele seja descoberto logo no início. Em situações de prematuro extremo, pedimos os 30 dias para que o olho do bebê amadureça, mas também não mais do que isso. E o bebê saudável, mesmo que não tenha feito nos primeiros 30 dias, é importante que faça e o mais rápido possível.

Mesmo com tanta informação, muitos pais ainda têm receio de fazer o Teste do Olhinho no bebê. Qual é o conselho?
Muitos pais ficam com pena do bebezinho, achando que o exame é incômodo. Quanto a isso, os pais podem ficar tranquilos. No exame, não são utilizados instrumentos, além do colírio e da luz. O Teste do Pezinho machuca mais que o Teste do Olhinho, em termos de comparação, mas todos fazem diante da importância do procedimento. O mesmo serve par o Teste do Olhinho.

E aí, gostaram? Ah, o blog de Márcia Pacheco é o Casa de Paetê (http://www.casadepaete.blogspot.com). Super indico.

Beijos

@conversinhadmae

segunda-feira, 28 de março de 2011

Cheirinho de bebê novo

Acho que não tem quem não seja apaixonada por aquele cheirinho tão gostoso que só bebê tem, né? É bom demais! Dá vontade de colar o nariz em cada uma das dobrinhas que têm aquele cheiro gostoso que só os bebês têm. É muito gostoso, meu Deus! Se você é que nem eu, não é mais bebê nem tem filho nessa idade, mas mesmo assim gosta de ficar sentindo esse delicioso cheiro, tenho uma dica.

Dia desses ganhei uma amostra do lançamento da Avon: o Avon Baby – Por um bebê feliz. Aí que delícia! É uma linha completa de produtos – com colônia, sabonete líquido, creme protetor para prevenir assaduras e loção hidratratante para o corpo – que foram desenvolvidos sem corantes e álcool, para que sejam seguros para os nenéns.


Foram nove meses de “gestação” dos produtos, desenvolvidos, testados e aprovados por uma equipe composta por médicas e profissionais que também são mães. As embalagens são diferenciadas, em formato ergonômico que se encaixa nas mãos e facilita o manuseio. As tampas da colônia, hidratante e sabonete líquido têm o sistema abre e fecha para evitar o desperdício, impedindo que mesmo quando aberta não vaze. Mas o melhor de tudo isso é o cheiro.

Fica a dica.

Beijos

@conversinhadmae

Novidades da passarela

Como promessa é dívida, estou trazendo para vocês um pouquinho do que foi os primeiros dias de desfile do Fashion Weekend Kids, que iniciou no último sábado, em São Paulo. Cada coisa fofa na passarela, que nós já demos uma amostrinha aqui no Conversinha de Mãe.

Dezenas de famosos, acompanhados por seus filhotes, deram o ar da graça e encantaram na passarela montada no Shopping Iguatemi. Adriane Galisteu e seu Vittorio, Luciele di Camargo e Maria Eduarda, Tânia Kalil e Jairzinho com Isabella, entre outros. Não é porque é inverno que o que se viu foi apenas cores fechadas. Pelo contrário.

Flores, formas geométricas e algum colorido foram vistos nos modelitos exibidos pelos pequenos. Tanta coisa pra deixar nós, mamães antenadas, babando e querendo saber onde e como arranjar tanto dindim pra adquirir algumas peças. Vamo, que vamo trabalhar ainda mais, mulherada! Rsrsrsrs

No próximo final de semana, desfilam as marcas D.Tonetti, VR Kids, Mixed Kids, FIT Nina e Cris Barros Mini. Vejam alguns cliques do que rolou na sexta-feira, sábado e domingo na passarela.

Tânia Kalil, Isabella e Jair Oliveira desfilando para 1+1

Vittorio, com sete meses, desfilou para a PUC
com a mamãe Adriane Galisteu

Maria Eduarda entrou na passarela com
a mamãe Luciele Di Camargo para a 1+1
 Beijos

@conversinhadmae

Fotos: Ag. News e Portal Contigo

sábado, 26 de março de 2011

Hora do Planeta


Hoje, logo mais à noite, pessoas em vários países estarão apagando as luzes, durante 60 minutos. É a Hora do Planeta, um ato simbólico, promovido no mundo todo pela Rede WWF. O objetivo é demonstrar preocupação e chamar a atenção das pessoas para o aquecimento global, seus efeitos e consequências.

A proposta é que das 20h30 às 21h30 todos apaguem as luzes para ver um mundo melhor. Agora em 2011 a cidade de Aracaju aderiu pela primeira vez ao movimento, que no Brasil chega à sua 3ª edição. A Hora do Planeta teve início na Austrália, em 2007. No ano passado, mais de um bilhão de pessoas em 4.616 cidades, em 128 países, apagaram as luzes durante a Hora do Planeta. Para este ano espera-se que a mobilização seja ainda maior.

Recebi uns panfletinhos falando sobre a ação e dei alguns para que Bia levasse para a escola para que as tias passassem a ideia adiante entre a criançada. É importante que a gente esteja mostrando a nossos filhos a necessidade de cuidarmos dos nossos recursos naturais, do nosso planeta como um todo, se quisermos ter um futuro um pouco diferente.

Exemplos também são muito válidos. Vamos ensinar através deles, não deixando as luzes acesas sem necessidade, esquecer os banhos quentes nesses dias de calor, indo a locais próximos sem precisar usar o carro, desligar as torneiras e chuveiros quando não estamos utilizando-os... Coisas assim, para que os pequenos percebam que podem ajudar a deixar o mundo um pouco melhor.

E aí, vamos nos juntar a essa ideia?

Beijos

@conversinhadmae

sexta-feira, 25 de março de 2011

Sempre tem palhaçada, sim, senhor!!!

 
Depois de uma semana cheia de avaliações, já imaginava que hoje, quando fôssemos pegar Bia na escola, acharíamos uma aluninha diferente. É que domingo é o Dia do Circo e tinha uma ideia de como minha Bioquilda viria. Já desci do carro com a máquina em punho para registrar tudo direitinho, pra guardar e também mostrar para vocês. E não é que quando chego na sala encontro a palhacinha mais linda do mundo?!

Estava linda, toda pintada e enfeitada com gola de palhaço colorida e tudo. Ah, como é bom a comemoração dessas datas na escola. As crianças ficam empolgadíssimas e a gente que é mãe acha que nossos filhotes ficam ainda mais fofinhos. O que acharam da minha palhacinha? Nem preciso dizer que Bia ficou se achando com toda essa arrumação, né?

Com Tia Vivi e Tia Lu (sim, Tia Lu, a foto veio para o blog)

O circo montado. Ops, a família reunida!

Toda, toda rsrsrs

Beijos

@edjaneoli

quinta-feira, 24 de março de 2011

ABC da moda para crianças

As mamães ligadas à moda com certeza estão ansiosas para ver os modelitos que desfilarão na passarela Fashion Weekend Kids. Os desfiles do evento de moda infantil mais importante do país têm início nesta sexta-feira, dia 25, no Shopping Iguatemi, em São Paulo (quem estiver pela metrópole deve ficar ainda mais de olho). O Fashion Kids chega à sua 12ª edição e este ano tem como tema “O Alfabeto”.

Onze marcas estarão desfilando a coleção outono/inverno de suas grifes para a criançada. Podem esperar alguns modelos famosos nas passarelas. Embora ainda não esteja confirmado, quem deve estar na passarela é o pequeno Vittorio, de apenas sete meses, filho a apresentadora de TV Adriane Galisteu e o empresário Alexandre Iódice, desfilando para a PUC.


Alguns modelitos de inverno da 1+1...

...que devem estar na passarela

A PUC também vem com coisas lindas...

...modelitos que dá pra gente usar em nosso inverno...

... pras "bebéias" também tem muita coisa fofa

Na lista de grifes participantes, a PUC, 1+1, 2IN, Hering Kids, Tyrol, Maria Bonitinha, D.Tonetti, VR Kids, Mixed Kids, Fit Nina e Cris Barros. Os desfiles acontecerão nos dois próximos finais de semana. O Conversinha de Mãe vai ficar atento às últimas tendências para a garotada para trazer depois para vocês as novidades mostradas no Fashion Weekend Kids. Confira abaixo a programação de desfiles.

Programação
25/3 – 2IN, 19h30 às 22h
26/3 – PUC, 11h às 15h; Hering Kids, 12h30 às 16h, Tyrol, 17h às 20h30
27/3 – 1+1, 11h30 às 15h; Maria Bonitinha, 17h às 20h30



1/4 – D.Tonetti, 19h30 às 22h
2/4 – VR Kids, 11h30 às 15h; Mixed Kids, 17h às 20h30
3/4 – FIT Nina, 11h30 às 15h; Cris Barros Mini, 17h às 20h30


Beijos

@conversinhadmae

quarta-feira, 23 de março de 2011

Olha o coelhinho!!!


A páscoa está chegando, falta menos de um mês, e esta semana a rede de salão infantil Funny Hair lançou uma promoção que une o que toda mãe gosta: fotografar seu filhote e curtir um merecido descanso. É o concurso cultural “Olha o coelhinho”. Até o dia 23 de abril os pais podem levar sua criança de zero a 12 anos até o Funny Hair mais próximo de sua casa para tirar uma foto com o tema páscoa.

Lá mesmo já tem alguns acessórios e maquiagem para deixar seu “coelhinho” bem fofinho. Mas vale levar seus complementos, como fantasias e acessórios próprios, para deixar seu filho ainda mais lindo. As fotos serão postadas no site do Funny Hair (www.funnyhair.com.br) e até o final do concurso ficarão no ar. Depois é só espalhar para todo mundo que seu pequeno está participando e pedir para votar.

As duas crianças mais bem votadas terão como prêmio um final de semana – de quinta a domingo – Bourbon Cataratas Convention Resort, o primeiro colocado, e no Bourbon Atibaia Spa Resort – de sexta a domingo –, para a que for a segunda mais votada, válido para casa e duas crianças de até 11 anos no mesmo apartamento. Então, é só caprichar na produção e pedir pro pequeno fazer uma pose bem bonita para familia toda ganhar um final de semana de muito lazer e descanso. E aí, vai participar? Fica a dica.

Beijos

@conversinhadmae

terça-feira, 22 de março de 2011

Contribuição contra o racismo


Já falamos aqui sobre a importância de, enquanto mães e pais, mostrarmos aos nossos filhos que todos devem ser tratados iguais. Hoje trouxemos para vocês algumas dicas da campanha “Por uma infância sem racismo”, do Unicef, que faz um alerta à sociedade sobre os impactos do racismo na infância e adolescência. A campanha conclama a todos a uma mobilização que assegure o respeito e à igualdade etnico-racial desde a infância.

Postamos aqui algumas maneiras de contribuir para isso, que foram sugeridas pela campanha do Unicef. Vamos estimular nossos pequenos a isso e, primeiro que tudo, vamos nós adotá-las e dar o exemplo, respeitando todos que estão à nossa volta?

10 maneiras de contribuir contra o racismo

1. Eduque as crianças para o respeito à diferença. Ela está nos tipos de brinquedos, nas línguas faladas, nos vários costumes entre os amigos e pessoas de diferentes culturas, raças e etnias. As diferenças enriquecem nosso conhecimento.

2. Textos, histórias, olhares, piadas e expressões podem ser estigmatizantes com outras crianças, culturas e tradições. Indigne-se e esteja alerta se isso acontecer.

3. Não classifique o outro pela cor da pele; o essencial você ainda não viu. Lembre-se: racismo é crime.

4. Se seu filho ou filha foi discriminado, abrace-o, apoie-o. Mostre-lhe que a diferença entre as pessoas é legal e que cada um pode usufruir de seus direitos igualmente.
Toda criança tem o direito de crescer sem ser discriminada.

5. Não deixe de denunciar. Em todos os casos de discriminação, você deve buscar defesa no conselho tutelar, nas ouvidorias dos serviços públicos, na OAB e nas delegacias de proteção à infância e adolescência. A discriminação é uma violação de direitos.

6. Proporcione e estimule a convivência de crianças de diferentes raças e etnias nas brincadeiras, nas salas de aula, em casa ou em qualquer outro lugar.

7. Valorize e incentive o comportamento respeitoso e sem preconceito em relação à diversidade étnico-racial.

8. Muitas empresas estão revendo sua política de seleção e de pessoal com base na multiculturalidade e na igualdade racial. Procure saber se o local onde você trabalha participa também dessa agenda. Se não, fale disso com seus colegas e supervisores.

9. Órgãos públicos de saúde e de assistência social estão trabalhando com rotinas de atendimento sem discriminação para famílias indígenas e negras. Você pode cobrar essa postura dos serviços de saúde e sociais da sua cidade. Valorize as iniciativas nesse sentido.

10. As escolas são grandes espaços de aprendizagem. Em muitas, as crianças e os adolescentes estão aprendendo sobre a história e a cultura dos povos indígenas e da população negra; e como enfrentar o racismo. Ajude a escola de seus filhos a também adotar essa postura.

Beijos

@conversinhadmae

Amor não tem idade

É lindo demais ver a pureza de sentimento das crianças. Ontem, Alex, meu marido, tinha me mandado um vídeo e sugerido que eu postasse aqui. (Sim, ele me ajuda muuuito na produção do blog) Sem tempo, só fui ver à noite, quando chegamos em casa. Meu Deus, que coisa fofa!!! Ele tinha razão: precisava postar aqui para vocês se emocionarem também.

O vídeo, um anúncio institucional da Petronas – empresa da Malásia que atua no setor de petróleo e gás –, mostra um garotinho chinês contando sua paixão por uma menina de outra etnia, mostrando que as crianças não veem as diferenças. O anúncio foi produzido em 2007 e já foi premiado em diversos festivais e acessado por milhares de internautas.


Confesso que hoje revendo esse vídeo algumas vezes lágrimas teimaram em escorrer nos cantos dos meus olhos, diante da pureza do sentimento do menino e seu olhar de surpresa diante da descoberta de que seu sentimento era correspondido pela menina amada. Muito fofo!!!

Ah, só um parenteses: fico pensando em quem já tem filho nessa idade. Como será para a mamãe lidar com esses primeiros sentimentos apaixonados dos pequenos, hein? Vocês já passaram por isso? Compartilhem conosco.

Beijos

@conversinhadmae

domingo, 20 de março de 2011

Conversinha de Mãe caiu na rede

Vocês não têm noção como estou feliz. Vou contar. É que hoje nosso post “Pais e avós: a importância de limites nessa relação” foi publicado no Recanto das Mamães Blogueiras (www.recantodasmamaesblogueiras.blogspot.com). O blog é o ponto de encontro das mães blogueiras, de todo país e do exterior.


Pense a visibilidade que isso dá ao nosso Conversinha de Mãe! Estou muito, muito feliz. Não tinha como não compartilhar com vocês isso. Afinal de contas, cada um dos nossos seguidores e leitores faz parte do nosso trabalho e desse reconhecimento que temos tido. Continuem nos seguindo, nos indicando, colaborando, através de críticas e de sugestões de temas a serem abordados.

Beijos

@conversinhadmae

sábado, 19 de março de 2011

De olho na superlua



Não é todo dia que a gente pode presenciar um fenômeno astronômico, né? Neste sábado, a Lua cheia esteve ainda mais cheia. Isso por conta do fenômeno conhecido como perigeu ou superlua, que é o período de maior aproximação desse satélite natural da Terra. Estudiosos dizem que esta foi a Lua mais cheia desde o ano 1993. Durante o perigeu, a Lua pode ser vista num tamanho 14% superior ao usual e com um brilho 30% maior que o de uma Lua cheia em seu apogeu, e cerca de 50 mil quilômetros mais próxima da Terra.

E, aproveitando esse fenômeno, eu e Alex levamos Bia para a Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA) Galileu Galilei, onde, durante os dias de Lua cheia eles promovem observação utilizando um telescópio newtoniano, com o qual é possível ver as crateras da Lua.

E por conta do perigeu muita gente foi até o local fazer observação. O diretor da CCTECA, Augusto César, estava bastante feliz com o comparecimento das pessoas para observar a Lua e Saturno também. Afinal de contas, um dos objetivos do espaço é justamente aproximar as pessoas comuns da ciência. Na lista de presença, até a hora que assinamos, mais de 110 já tinham passando pelo local, somente no sábado à noite.

A CCTECA está localizada no Parque da Sementeira e funciona de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h, e aos sábados e domingos, das 14 às 17h.

Beijos

@conversinhadmae

Foto: Maria Odília
Com informações do portal R7

Sim, Sim Salabim!!!


Como na quinta-feira aproveitamos o feriado e fomos à casa do meu avô no interior, somente hoje fizemos nossa estreia no Festival de Teatro Sergipano, para assistir o espetáculo “Sim Salabim”, com a Cia O Mínimo. Foi lindo ver o anfiteatro do Mirante da 13 de Julho lotado de crianças acompanhadas por seus papais, mamães, vovós e titias. Confesso que estava parecendo plateia das gravações do Palavra Cantada.

Chegamos cedo e ficamos num local ótimo, bem ao centro, onde dava para ver tudo. Bia riu horrores. A gente também. O Robert Clark e a Iris Fiorelle são demais. Parte do espetáculo já conhecíamos, mas é engraçado rever do mesmo jeito. Ah, Bia gostou também da banda Mata Cachorro, que acompanhou os atores no espetáculo. Acho que ela achou engraçado o nome. Nota dez pra organização.


E não esqueçam que a programação infantil do  Festival de Teatro Sergipano prossegue. Amanhã, domingo, tem “A Menina Que Queria Voar”, com o Grupo Raízes, no Teatro Tobias Barreto, às 16 horas. A entrada é gratuita e os ingressos podem ser retirados na bilheteria do teatro a partir das 12h. Cada pessoa tem direito a dois.

Agora veja alguns cliques de “Sim Salabim”.

Espetáculo arrancou gargalhadas da plateia...

... com as palhaçadas dos atores em cena

Público respondeu ao convite e lotou o Mirante da 13

Ao final do espetáculo, foto com o ator Robert Clark

Beijos

@conversinhadmae

quinta-feira, 17 de março de 2011

Criança na coleira? Como assim?


Ah, me desculpe a sinceridade, mas é cada uma que a gente vê!! Essa para mim é nova, nunca tinha ouvido falar, muito menos cogitado essa possibilidade. Ontem, meu marido, Alex, me mostrou uma matéria que na internet, da jornalista Mariana Versolato, que foi publicada na Folha.com, sobre uma espécie de coleira utilizada para prender a criança à mãe. Vocês já viram isso?


Deus, que absurdo!!! (ah, eu pelo menos achei isso). O objetivo do acessório, que é tipo uma mochila que a criança põe nas costas e os pais vão levando a alça, que tem uma boa extensão, é manter a criança por perto. A “mania” está ganhando adeptos no Brasil, depois já ser utilizada há vários anos nos Estados Unidos, Europa e Japão. A matéria fala que aqui a novidade já está sendo vendida e utilizada em algumas capitais.

A mochila-coleira, como não poderia deixar de ser, divide opiniões. Os que são a favor defendem que ela ajuda a manter a criança por perto, evitando que suma. Ou seja, dá mais segurança. A matéria publicada pela Folha.com mostra a opinião de alguns pais que já usaram ou pretendem usar, contando suas experiências, incluindo os olhares atravessados de algumas pessoas.

O texto traz também a opinião do presidente do Departamento de Pediatria do Comportamento e Desenvolvimento da Sociedade Brasileira de Pediatria, Ricardo Halpern, que disse que o acessório só vale para lugares com aglomeração. Segundo ele, a mochila-coleira não causa nenhum prejuízo à criança se usada de forma adequada.

Foto: Letícia Moreira/Folhapress

No entanto, a psicóloga e colunista da Folha Rosely Sayão diz que a guia é uma comodidade para pais que querem olhar outras coisas que não os filhos. “Querem ter filhos, mas agir como se não tivessem. Alguns podem perceber, depois, que passou o tempo de dar as mãos aos filhos, e não aproveitaram”, diz ela na matéria.


Concordo em gênero, número e grau com ela. Meu Deus, se começarmos a precisar usar esses artifícios para controlar nossos filhos eu entendo que é a prova inconteste da falta de autoridade. Sim, porque eu vejo a utilização desse acessório mais como uma comodidade, para ter tranquilidade e se eximir da responsabilidade de estar perto, de mãos dadas, do que pelo fator segurança.

Repito, essa é a minha opinião. Mas, e a sua, qual é? Conte para nós do Conversinha de Mãe, conversinhademae@gmail.com. Temazinho complicado, né?

Beijos

@conversinhadmae

quarta-feira, 16 de março de 2011

Tiradas da Bia - preocupação de filha


Essa de Bia não foi engraçada, mas não tinha como não contar a vocês. Dessa vez, a tirada foi tão fofa, tão inesperada que, confesso, fiquei emocionada com a atitude de minha filha. Aconteceu na terça-feira à noite. Tinha trabalhado e andado muito nesse dia. Cheguei em casa morta, com dores nas pernas e pés. Como sei que Bia gosta muito de fazer massagem e eu tinha comprado um óleo novo, perguntei se ela faria massagem em mim. Claro, ela topou na hora.

Tomei um banho e fui pra cama pra relaxar com minha massagem. Aquelas mãozinhas pequenas, mas tão hábeis pra coisa (é verdade, ela faz massagem que é uma delícia), realmente me fizeram relaxar. Mas quando ela estava terminando o “serviço” no segundo pé não é que começou uma cãibra como eu nunca tive na vida. Meus dedos reviravam e o pé doia de um jeito impressionante.

Só estávamos nós duas em casa. Eu me contorcia de dor e ela sem saber direito o que fazer, só dizia que eu ia ficar bem e que era melhor ligarmos pro pai dela. Como a dor não passava, disse a ela que iria tentar andar um pouco para ver se melhorava. Quando eu dei as costas para me levantar, ela pegou o telefone e só ouvi ela dizendo, com uma vozinha já desesperada: “Vou ligar pra minha vó. É o número que eu sei”.

Ah, quando ouvi isso não sabia o que dizer, diante da preocupação que ela estava em fazer alguma coisa para me ver melhor. É tão bom ver que o filho da gente está crescendo. Parecia uma mocinha tentando resolver as coisas. Tentei tranquilizá-la, dizendo que ia ficar tudo bem.

Tirei outra lição disso: é bom que as crianças saibam mesmo o número de telefone de alguém conhecido para o caso de uma emergência. Bia está na fase de querer saber o número de telefone de todo mundo. Já decorou o da casa de minha mãe e o celular de meu irmão, Janssen. Já é um bom começo, né?

Beijos

@conversinhadmae

Abuso: violência silenciosa


Como repórter, diariamente me deparo com notícias das mais variadas. Mas se tem uma coisa que me deixa transtornada é notícia sobre abuso e exploração sexual de crianças. Eu me pergunto: “Meu Deus, como é que podem existir pessoas que têm a capacidade de cometer um crime, uma barbárie dessa?”. Confesso que não encontro respostas. É um absurdo imaginar e impossível entender uma coisa dessa natureza.

Há cerca de duas semanas, ao chegar à Delegacia de Atendimento à Criança e ao Adolescente Vítima, justamente para fazer uma matéria sobre esse tema, me deparei com uma mãe que tinha recentemente descoberto que sua filha de oito anos era abusada pelo próprio pai (do qual ela estava separada), durante as visitas que ela fazia a ele. A mulher, da minha idade, tinha, literalmente, entrado em parafuso com a notícia. Ficou internada na urgência psiquiátrica de um hospital e visivelmente ainda apresentava problemas psicológicos.

Imagine, então, o dano psicológic causado àquela criança, tão nova, que além da violência sexual ainda era violentada psicologicamente, pois o pai (se é que se pode chamar um ser desse de pai) a ameaçava, dizendo que se contasse a alguém mandava matar a mãe e a avó dela. Só que inocentemente a criança deu indícios do que estava acontecendo a uma tia, que revelou à mãe, que denunciou.

Ontem, também no trabalho, entrevistei a delegada Mariana Diniz, responsável por esses casos aqui em Aracaju (SE). Desta vez, sobre a prisão de outro pedófilo, um homem, já condenado em São Paulo por abuso sexual, que veio foragido a Sergipe e descobriu-se que ele vinha explorando sexualmente duas meninas, de nove anos. Aproveitando-se da condição econômica desfavorável delas, chamou uma das meninas para ajudá-lo lavando louças na sua casa, em troca de R$ 10 por semana. Só que, na verdade, o que queria em troca desse dinheiro era favores sexuais.

Infelizmente, casos de abuso e exploração sexual são mais comuns do que a gente imagina. E, o pior, na maioria as vezes cometido por pessoas que estão mais próximo das vítimas. Isso é o que mais revolta. Depois que a gente se torna mãe, a preocupação com relação a isso se multiplica. Esses são crimes que acontecem no silêncio. A vítima teme denunciar porque se sente ameçada pelo agressor. Por isso, gente, é tao importante estar de olhos atentos. A TUDO!!!!!

E, se identificar algum caso, DENUNCIE MESMO!!!!!!! Ferramentas, graças a Deus, existem muitas hoje. Aqui em Sergipe tem o Disque Denúncia da Polícia Civil, através do telefone 181. Em todo país, as denúncias podem ser feitas através do Disque 100 – Disque Denúncia Nacional de Abuso e Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes, que funciona das 8h às 22h, inclusive nos finais de semana e feriados. Qualquer pessoa pode utilizar o serviço – adultos, crianças e adolescentes – e é garantido o anonimato. As denúncias podem ser feitas também aos Conselhos Tutelares e Conselho Municipal de Defesa de Direitos da Criança e do Adolescente em sua cidade.

Beijos

@conversinhadmae