sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Praticidade ou saúde?

Primeiro queria pedir desculpas pelos dias que passei desaparecida daqui. É que, pra variar, a semana foi muito corrida, muito trabalho para fazer, saindo tarde do jornal e chegando em casa sem pique para escrever mais nada. Então, como prezo por trazer aqui para este espaço assuntos interessantes, preferi esperar um pouquinho e... aqui estou eu de novo.

Há alguns dias queria falar com vocês sobre uma coisa que estava me deixando com uma pulguinha atrás da orelha: os sucos de caixinha. Não sei se já comentei com vocês, mas minha filha Beatriz, 4 anos, nunca tomou refrigerante. A princípio, esta foi uma decisão nossa – minha e de meu marido – em não ofertar esse tipo de bebida a ela nos primeiros anos de vida, embora a gente tome, e muito! Depois, com o passar do tempo, mesmo vendo todos beberem, ela nunca se interessou. Sempre foi adepta dos sucos de fruta, água e água de coco.

Até mesmo na escola, quanto tem aniversário, ou mesmo em festinhas ela nunca pediu para experimentar e se você perguntar a ela se quer ela logo responde: “Não gosto refrigerante”. Pois bem, há dois anos, quando ela começou a estudar, por conta da praticidade, acabamos optando pelos sucos de caixinha para ela levar. São mais práticos, não tinha garrafinha térmica para ficar vazando na lancheira na volta da escola e tudo mais... Os sucos de caixinha também acabam sendo uma ótima opção para levar na bolsa numa saída rápida de casa.

Aditivos químicos e corantes presentes nas caixinhas
podem causar alergias nas crianças

Mas outro dia minha mãe comentou comigo que viu uma reportagem na televisão falando sobre alguns pontos negativos desse tipo de suco. Fiquei pensando muito sobre isso e resolvi procurar um especialista no assunto para trazer esse assunto aqui para o Conversinha de Mãe.

Foi a nutricionista Dorys Araújo que falou com a gente sobre os sucos de caixinha. Ela disse que a vida atual nos faz procurar atitudes mais práticas, mas lembra que não podemos deixar de lado a preocupação com a saúde. Segundo a especialista, hábitos saudáveis devem ser instituídos ainda na infância e, quanto menos ou mais tardiamente oferecemos tais produtos às crianças, menor será o tempo de exposição delas a determinadas substâncias que podem causar problemas à saúde.

Dorys disse que não restam dúvidas que os sucos naturais são mais saudáveis do que os de caixinha tetrapak e garrafinhas de plástico. Ela ressaltou que, apesar de práticos, eles contêm aditivos químicos, como corantes, aromatizantes, açúcares ou adoçantes, que trazem consequências a saúde das crianças, a exemplo de alergias e disfunções digestivas.

Observe sempre a composição, para ver se há conservantes

Entre estes corantes estão a tartrazina (INS102) e amaranto (INS123) e o conservante benzoato de sódio (INS211), que estão sendo apontados como causadores de reações alérgicas e estão ligados ao aumento de distúrbios de atenção e hiperatividade infantil. A nutricionista disse que os néctares são industrializados com altas concentrações de açúcares. (E eu que pensava que esses néctares eram mais ‘saudáveis’ que os outros. Aff...)  “O excesso de açúcar causa prisão de ventre, dificulta a digestão, além de favorecer a obesidade”, alertou Dorys Araújo.

Néctares: alta concentração de açúcar

A nutricionista disse que apenas o consumo de frutas pode proporcionar o aproveitamento dos nutrientes, tão importantes à fase de crescimento e desenvolvimento das crianças, uma vez que os processos de fabricação dos sucos proporcionam a eliminação de alguns nutrientes, a exemplo das fibras.
Ela disse que uma boa opção é oferecer sucos que não necessitam de adição de açúcar, como tangerina, laranja, maçã e uva. Já o suco de maracujá – um dos preferidos da garotada –, não tem jeito, requer um pouquinho de açúcar. “Menos mal, pois é natural”, ressaltou Dorys. Depois de tudo isso, decidi: os sucos naturais, feitos em casa vão voltar ao lanchinho diário de Bia na escola.

Nutricionista Dorys Araújo
E como ainda estamos no início do período escolar – minha filha vai iniciar as aulas no dia 7 – aproveitamos a participação da nutricionista Dorys Araújo e pedimos algumas dicas para ajudar no preparo saudável dos lanches para a criançada. Você pode usar as sugestões e elaborar um cardápio bem diferente e variado do lanche que as crianças levam para a escola. Vejam:

• Prepare polpas de frutas nas cubas de gelo, o que facilita colocar os cubos nas garrafas térmicas, mantendo assim a temperatura agradável da bebida; 
• O mesmo procedimento das cubas de gelo pode ser feito com cenoura, couve, espinafre ou beterraba, que enriquecem os sucos, tornando-os mais nutritivos;
• A água de coco também é uma excelente opção;
• Leite gelado com cacau em pó;
• Pão integral com queijo branco machucado no garfo, orégano e azeite de oliva, podendo acrescentar passas;
• Pão integral com geléia;
• Pão de centeio com frango desfiado misturado com iogurte natural e cenoura ralada;
• Salada de frutas sem açúcar;
• Frutas cortadinhas com cereal;
• Estimule também o consumo de água, que é a melhor fonte de hidratação para o nosso organismo.


Espero que tenham gostado das dicas dadas pela nutricionista Dorys Araújo. Se tiverem sugestão de temas para a gente abordar aqui no Conversinha de Mãe, é só entrar em contato conosco através do e-mail conversinhademae@gmail.com.

Beijos

@conversinhadmae

Nenhum comentário:

Postar um comentário