terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Fim de semana nota 10


Tem horas que a gente precisa dar uma parada para recarregar as baterias, senão não aguenta e pifa. É, porque a nossa vida funciona de certa forma como uma máquina. Pois bem, eu estava assim, na semana passada. A carga lá em baixo, já dando sinal que precisava ser colocada na tomada para recarregar.

E, me diga, tem coisa melhor do que um tempo com a família para isso? N-Ã-O! Por isso aproveitamos – eu, Alex e Bia – o sábado e domingo e nos mandamos para o sítio de meu avô no interior. E, o melhor, foi quase a família toda: mãe, pai, irmã, sobrinha, tias, tios, primos, foi uma festa. Eitcha coisa boa!!!!

Foram momentos maravilhosos e o bom é que esses instantes fazem a gente se lembrar que as coisas que realmente importam na nossa vida estão tão perto, são tão simples e a gente mesmo é que complica, pensando que se chega à felicidade por um caminho mais longo e difícil.

O interessante é que essa mudança de ambiente e de clima nos faz tão bem que dá para os outros perceberem. Lá pelo final da tarde de sábado, minha filha Beatriz chegou e disse bem assim: “Mãe, você está tão calma, tão mansa!”. Tomei um susto e fiquei sem entender. E ela voltou a fazer a observação. Perguntei por que e ela disse: “Nem me deu carão ainda hoje”.

Pois é, porque o estresse e as raivas que a gente tem na rua acaba “despejando” em quem está em casa, que não tem nada a ver. Mais uma vez, minha filha de apenas quatro anos me passou uma lição. É difícil, às vezes a gente faz essas coisas sem perceber, mas vou procurar estar mais atenta a isso.

No mais, foi tudo maravilhoso. Dormimos até de barraca dentro de uma casa de taipa (pena que esquecemos de tirar foto). Foi muito divertido. Pena que na segunda tudo acabou e voltamos à rotina. Mas fica tudo guardado na memória e no coração.

Beijos

E aqui alguns cliques do fim de semana

Tia Nalva, que chegou de SP, com a priminha Mariana

Minha sobrinha Yasmin tranquila (milagre! rsrsrs)
segurando a cachorrinha

Bia com a priminha Mariana

Minha mãe linda, Nataíde (By Bia)


Meu avô materno, José Alves, nosso grande patriarca,
num momento de reflexão (By Bia)

Autofoto de Bia, feita no retorno para casa
A cara da felicidade

2 comentários: