quarta-feira, 29 de outubro de 2014

AVC infantil: doença requer atenção

Embora pareça estranho, mas as crianças também são vítimas de acidente vascular cerebral (AVC), muitas vezes, de maneira fatal. A doença é a que mais mata pessoas no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). No ano de 2008, foram quase 6 milhões de pessoas mortas por AVC no mundo. Nesse mesmo ano, apenas no estado de São Paulo, foram 266 registros de casos da doença em crianças, sendo que 26 delas foram a óbito, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Biblioteca infantil comemora 40 anos com atividades para a criançada

Nesta quarta-feira, 29, a Biblioteca Infantil Aglaé Fontes de Alencar (Biafa) realizará diversas atividades em comemoração aos seus 40 anos de existência. As atividades terão início às 9 horas, com uma contação de histórias muito especial, feita pela própria escritora Aglaé Fontes, que empresta o nome à Biblioteca Infantil.

No mundo das brincadeiras

A novidade no DVD aqui em casa é a nova e segunda aventura do Mundo Bita. No DVD “Bita e as Brincadeiras, a turminha traz músicas que falam sobre brincadeiras, algumas delas que normalmente nem fazem parte do cotidiano das crianças de hoje, como esconde-esconde e pipa. Mas acho que o legal é justamente isso: resgatar e chamar atenção para brincadeiras antigas, saudáveis e que acabam por envolver as crianças com outras crianças.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Hora de passar do berço para a caminha

Com Rebeca prestes a completar dois anos, tenho percebido que está chegando o momento de ela fazer a transição do berço para a caminha. Não. Ela ainda não caiu do berço, nem tentou de forma mais incisiva sair dele. Mas tenho sentido que está perto de essa mudança ser necessária. Por outro lado pensou que meu “sossego” terminará. Pois “espoletinha” como ela é vai bastar abrir o olho para sair do quarto dela para o meu. Mas, fazer o quê, faz parte do ofício de mãe, né?

sábado, 25 de outubro de 2014

Sarau do Terror na biblioteca


A Biblioteca Pública Epifânio Dória (BPED) realizará na próxima sexta-feira, 31, a partir das 17h30, o I Sarau do Terror. A ideia é celebrar o Dia das Bruxas e o Dia do Saci (ambos comemorados na mesma data) através de atividades que misturem leitura e diversão.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Dicas e atividades para fortalecer o relacionamento entre irmãos

Foto: Daniel Pink
Toda mãe concorda que ter filhos é maravilhoso! Mas se você é mãe de duas ou mais crianças, também sabe que os desafios da maternidade adquirem aspectos bem diferentes neste caso. Um deles é fortalecer o relacionamento entre os irmãos. Como fazer com que eles se entendam e briguem um pouco menos, por exemplo? Ou como conciliar o relacionamento de irmãos com idades muito diferentes?

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Modinha bem adocicada para a criançada

No começo do mês, teve um evento bem bacana aqui na cidade (até postei aqui no blog), o Picnic Shop, quando várias empresas de moda e decoração infantil estiveram reunidas no mesmo espaço. Uma das agradáveis surpresa foi a presença da grife baiana Adocica. Eles ainda não têm loja aqui em Aracaju, mas aproveitaram o Picnic Shop para apresentar a marca às mamães e papais sergipanos.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Leia para uma criança: recebi a coleção nova


Quando o carteiro passou hoje lá em casa, ele deixou a coleção nova de livrinhos infantis doada pelo Itaú. Todos os anos sempre participo e solicito a minha coleção. É grátis!! Esse ano foram dois livros: “Papai”, de Phelippe Corentin; e “Gato pra cá, rato pra lá”, de Sylvia Orthof.

Ainda do fim de semana: Fici leva cerca de 12 mil pessoas ao cinema em Aracaju

Retomando a rotina aqui no blog depois do começo de semana tumultuado... Ainda bem que aproveitamos o final de semana. E, claro, fomos acompanhar os últimos dias do Festival Internacional de Cinema Infantil (FICI) que aconteceu aqui na cidade. Bem legal, com cinema para a garotada. Aqui em Aracaju, a programação aconteceu do dia 10 ao dia 19 de outubro. Nessa 11ª edição do Festival aqui na capital sergipana, o Cinemark Jardins recebeu um público de cerca de 12 mil pessoas que foram prestigiar o evento que recebeu mais de 100 produções de qualidade ao público infanto-juvenil.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Dodói em dose dupla

Nesses quase dois anos como mãe de duas, pela primeira vez experimentamos aqui em casa o que é ficarem doentes as duas de vez. Gente, é coisa de louco! Os últimos dias não foram nada fáceis. Febre, dor de cabeça e vômito. Junte isso em dose dupla e a equação resulta em noites sem dormir, idas e vindas à urgência (pra completar a pediatra delas está de férias fora do país), remédios, muitos remédios, furadas, e ter que desdobrar a atenção para as duas por igual, ainda mais.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Crianças devem passar por adaptação gradual ao horário de verão

No próximo domingo, dia 19, começa o horário de verão nos Estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-oeste do Brasil. Os relógios deverão ser adiantados em uma hora, até o dia 22 de fevereiro do próximo ano. E, embora o horário de verão aconteça todos os anos, e sempre a mesma coisa: quase todo mundo reclama, é uma hora a menos de sono, o corpo sente, o enfado bate, etc e tal.

E para que a mudança no relógio seja sentida com o menor impacto possível pelo corpo, a psicóloga Carmen Alcântara, especialista em distúrbios do sono, sugere uma adaptação gradual. “Vale a pena fazer um preparo antes do início do horário de verão, principalmente em crianças até cinco anos”, observa.

A sugestão é que, dias antes, as crianças sejam colocadas para dormir 15 minutos mais cedo a cada dia, até chegar a uma hora a menos do horário habitual da criança dormir. O mesmo esquema deve ser adotado pela manhã, acordando a criança 15 minutos mais cedo. “Para crianças maiores de cinco anos, esse processo pode ser feito dois dias antes, levando a criança para cama meia hora mais cedo nas duas noites que antecedem a mudança do horário e acordando também, meia hora mais cedo dois dias antes”, complementa Carmen. Já os adultos, basta que no domingo durmam mais cedo para não se sentirem muito cansados na segunda-feira.

A manobra de adiantar os relógios para aproveitar melhor as horas de sol e, assim, economizar energia, pode atrapalhar a qualidade do sono no começo, mas não causa nenhum distúrbio do sono na criança, garante a psicóloga. “Mesmo que elas se ressintam nos primeiros dias e até na primeira semana (caso não tenha sido feito um preparo), o relógio biológico irá se adaptando gradativamente à mudança, desde que sejam mantidas as rotinas e ritmos da criança”.

Então, força pra quem está em regiões que terão o horário de verão. Não é o meu caso aqui no Nordeste.

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae


Fonte: Bruna Ramos - Portal EBC

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Eu que fiz: lembrancinha para as professoras

Dinheiro curto, hora de colocar a criatividade pra funcionar. Se bem que eu gosto mesmo de colocar a mão na massa, inclusive quando o assunto é presente. Essa semana postei aqui algumas opções de presente para o Dia do Professor que davam pra gente fazer em casa.

Pois bem, as de minha filha Beatriz eu mesmo fiz. Não foi um preseeeente, mas apenas uma lembrancinha, para a data não passar em branco. Fiz essas sacolinhas personalizadas com algumas trufas de chocolate dentro.
Para isso usei:

- Sacolas de papel kraft com alça

- Toalhinhas rendadas de papel

- Botões coloridos com motivo infantil

- Linha de crochê

- Etiquetas com o tema escolhido para a sacolinha (você mesmo pode fazer em casa e imprimir)

- Folhas de papel de seda

- Cola em bastão

- Miniperfurador de papel

Cole a etiqueta com o tema no círculo da toalhinha de renda e depois cole esta no centro da bolsa. Depois faça duas perfurações na sacola, por onde passará a linha de crochê. Com o botão com motivo infantil e a linha de crochê sua sacolinha será fechada. Dentro, coloquei folha de papel de seda amassada e cortada em tirinhas para acomodar as trufas de chocolate.

Ficaram simples, mas muito bonitinhas, não acham?

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)


Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Adolescência: como ajudar na chegada dessa nova fase

De repente, como se fosse do dia para a noite, você percebe que aquele bebezinho que dia desses você carregava no colo com tanto cuidado, como se fosse desmontar as pecinhas, cresceu. Cresceu tanto que você custa a acreditar que ele (já!) está entrando na adolescência. Minha pequena acabou de fazer 8 anos, mas sinto que esse momento vem se aproximando, e numa velocidade que, confesso, mais rápida do que eu esperava.

É cada vez mais comum vermos meninos e meninas passando por modificações físicas e emocionais que indicam que estão entrando na puberdade. Para muitos pais (principalmente), isso é um choque. Um misto de espanto e até certo desespero. No entanto, não há motivo para pânico. Pelo menos é o que orienta a pediatra, herbiatra e psiquiatra da infância e adolescência, Marília de Freitas Maakaroun.

Ela foi uma das palestrantes do 13º Congresso Brasileiro de Adolescência, realizado semana passada aqui em Aracaju. O Conversinha de Mãe bateu um papo com ela para tentar esclarecer algumas dúvidas e trazer algumas orientações aos pais sobre como agir nessa fase tão importante da vida quando nossas crianças estão entrando na adolescência, um período tão lindo a vida.

Segundo a médica, hoje temos crianças entrando na puberdade aos 8 anos e isso é absolutamente normal. No entanto, ela reconhece que para muitas mães isso ainda é um susto, embora seja um pouco mais natural que antigamente. “Mas para a criança em si entrar na puberdade aos 8 anos, quando na sala de aula no conjunto dos outros com que ele convive, a média da menarca, para as meninas, é 12 anos, isso é um choque, porque ele está vivendo um amadurecimento maior, vivendo uma perda de ritmo em relação aos seus colegas e o pensamento, a qualidade do pensamento muda”, disse.

Como o pensamento hipotético do adulto vai emergir mais cedo, o amadurecimento biológico também acontece mais cedo, essa criança, um novo adolescente, vai ter que procurar amigos em turmas mais avançadas. Fase que ocorre normalmente entre o 4º, 5º ano. Por isso, disse Marília Maakaroun, não se pode mais nem falar em adolescência cronologicamente, mas sim do estágio maturacional. “Essa análise maturacional pode nos levar a concluir que o adolescente entra na puberdade de 8 a 13 anos”, observou.
Marília Maakaroun: diálogo entre pais e filhos
é fundamental na chegada da adolescência
Como ajudar nessa fase
De acordo com a especialista, os pais têm um papel fundamental nessa fase. A ajuda deles é fundamental. A primeira atitude, com a chegada dessa fase, é não levar um susto. “Não é transformar um fenômeno natural em uma anomalia. Tem que ver que aquela criança está se modificando, está com necessidades diferentes, está desejando o que ela não desejava como criança e por outro lado está vivendo uma ambivalência muito grande entre crescer e não crescer, entre continuar criança ou se tornar adolescente”, disse.

Essa ambivalência, acrescentou Marília Maakaroun, acontece inclusive entre os desejos. Num momento esse novo adolescente quer ser dependente dos pais, mas tambémquer liberdade, autonomia. “Quer namorar, ter outras oportunidades, mas, de repente, também está brincando como uma criança”, contou a médica. Para ela, ao invés de reprimir e se assustar os pais precisam estar preparados para esse momento. “Nós temos que nos preparar para proteger de uma maneira muito especial, assim como a gente protege a infância, a adolescência”, orientou.

Outra coisa muito importante apontada pela médica é a necessidade da conversa, do diálogo entre pais e filhos. Marília lembrou que os tempos modernos têm feito com que cada vez mais a realidade de nossas casas seja filho para um lado, pai para outro, mãe para outro. “Não tem conversa. Tem um transtorno desafiador/opositor que faz com que os pais sempre estejam proibindo e os adolescentes sempre querendo concessão. E aí fica esse dilema: ‘quando eu quero você não me dá; quando você quer me obriga a fazer algo; quando eu quero você acha que eu sou criança; quando você quer diz que eu já sou grande”, disse.

A perplexidade dessa fase fica mesmo com o próprio adolescente. “Porque ele olha no espelho e não se reconhece. Ele se busca e não se vê. Na cabeça dele a imagem corporal que tem é de uma criança e aí se assusta quando percebe seu corpo modificado. E como a adolescência acontece sem o consentimento dele, como um evento biológico natural da vida, o adolescente ele não aceita as transformações, não aceita muitas vezes que tudo aquilo está acontecendo com ele e pensa que ele era muito feliz criança”, explicou Marília.

Daí a importância de os pais se aproximarem dele, mostrando como ele está crescendo, como está se desenvolvendo. “Dizer: ‘como você está bem, cada vez maior, como está bonito crescendo’, porque eles se veem mal, justamente na época mais linda”, declarou a pediatra.

Nessa fase, o adolescente pode reeditar algumas fases. Isso também é normal. Como não querer tomar banho, querer comer muito, de alguma forma chamar a atenção dos pais, mostrando que necessita de cuidados, mas cuidados diferentes do que recebeu deles quando era bebê. “Nesse momento que ele quer ser independente, quer autonomia, liberdade ele está mostrando que está necessitando também de cuidados. São cuidados que os pais têm que dar para o adulto que está nascendo. Por isso é preciso um diálogo permanente, porque o adolescente entende tudo, muito embora ele faça (e a gente pense) que não o que falamos entra por um ouvido e sai por outro. Ele pode até não responder, mas eles ouvem e entendem tudo”, afirmou Marília Maakaroun.

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Primeiro final de semana do Fici é sucesso em Aracaju

Com um público superior a 3500 pessoas, o primeiro final de semana do Festival Internacional de Cinema Infantil (Fici) em Aracaju superou a expectativa de público da produção do evento que contou com 42 sessões nos três dias iniciais do Festival. "Acredito que tivemos uma grande participação do público por diversos motivos, entre eles: a qualidade da programação e atividades apresentadas, com várias sessões especiais e exibições em 3D, oficinas gratuitas e o preço de meia entrada para todos", destaca a produtora local do Fici, Deyse Rocha.
Na sexta-feira, 10, as sessões 'Pequeno Jornalista', com a presença da repórter Priscila Andrade, e 'Novos Jovens', com a pedagoga Lilian Levy, levaram estudantes das escolas públicas ao cinema com importantes debates pós exibição dos filmes. 

Lilian, que desenvolveu uma discussão sociológica sobre o papel do jovem atual, como observador e moldador das transformações sociais, falou sobre a sessão. “É um momento muito gratificante. Creio que o festival acertou muito quando decidiu ter essa sessão e a resposta é a melhor possível, por que a garotada vai agradecendo. É muito interessante a gente observar como eles começam na brincadeira e aos pouquinhos vão colocando as dúvidas, conflitos e semelhanças. Sou muito feliz por fazer parte desse trabalho”, conta Lilian.
Criançada se divertiu na festa de abertura do Fici 2014
Festa de abertura
Na festa de abertura, que aconteceu no sábado, 11, além da exibição de nove filmes simultâneos, o dia contou com animadores,  artistas com pernas de pau e distribuição de combo- pipoca e refrigerante- além do hall de entrada decorado com balões e oficina de animação, para a alegria de garotada que participava das sessões.

“No sábado, só na festa de abertura, tivemos 1524 pessoas prestigiando as sessões simultâneas das nove salas do Cinemark Jardins. Isso é motivo de alegria para todos nós e esperamos muito mais. O festival, pensando na responsabilidade social e no fomentar o cenário local, agrega nos públicos, disponibilizando a festa de abertura totalmente gratuita, na 11ª edição do festival em Aracaju”, conta.
Para a professora Sandra Tavares, é sempre motivo de alegria levar as crianças para o festival. “Estou achando excelente, pois é um projeto muito interessante e didático. Além do passeio que as crianças fazem, tudo é uma festa. Trouxe meu filho e meus alunos e tudo está sendo bem divertido. Depois pretendemos fazer um trabalho em sala de aula sobre o filme que vamos assistir”, diz.

As amigas Lara da Guarda e Fernanda Ferreira ficaram bastante satisfeitas com as atrações da festa de abertura do Fici. “Viemos com a nossa tia e gostamos muito da programação. O filme foi excelente e já queremos vir outros dias, pois tem muitos filmes que nós queremos ver e se divertir”.

Pré-Estreia Brasil e Dublagem ao Vivo
Entre as atrações especiais do Fici, o terceiro dia do Festival trouxe a sessão "Pré-Estreia Brasil" com a animação brasileira “Até que a Sbornia nos Separe”, de Otto Guerra e Ennio Torresan Jr. Na ocasião, o público teve contato com a co-diretora de arte do filme, Pilar Prado, que após a exibição conversou com o público. Pilar relata que foi a primeira vez que fizeram um obra audiovisual para uns espectadores mais abragentes, incluindo o público infantil. 

 “Estou bastante feliz com a resposta que as crianças deram sobre isso. Foi um processo muito longo, pois ficamos seis anos produzindo o filme , bem como pela oportunidade de única de estar aqui, pois o filme ainda não foi lançado comercialmente. Eu acho legal a reflexão que o filme traz sobre identidade, cultura, mundo globalizado”, conta Pilar.

Para Deyse Rocha, a cidade só tem a ganhar com essas exibições. “É sempre importante, que a cada ano o Fici renove suas atividades e esse ano a Pré Estreia Brasil com o filme 'Até que a Sbornia nos Separe', com a presença da co-diretora de arte Pilar Prado. É um ganho enorme para o público sergipano, bem como para o mercado produtor nacional, que a cada ano o Fici disponibiliza um filme para estrear nacionalmente no festival", conta Deyse.

A Dublagem ao Vivo também foi atração do Fici durante o primeiro final de semana. Com a presença dos profissionais Ronaldo Júlio e Roberta Nogueira, que dublaram em tempo real todos os personagens dos filmes. "Isso aqui pode ser encarado como uma tradução simultânea, até porque tem o som original e a gente coloca as vozes em cima e acabamos fazendo todos os personagens do filme o que no geral é um dublador para cada e com isso a gente ganha uma agilidade vocal e contracenamos com nós mesmos. É um desafio para gente como dublador e as pessoas curtem esse processo”, explica Roberta.

A Tela na Sala de Aula
De 13 a 16 de outubro, também acontece o projeto “A Tela na Sala de Aula”. O projeto é voltado para estudantes da rede pública de ensino. Cada filme exibido neste projeto possui um caderno com orientações pedagógicas, seguidos de sugestões de atividades, criado a partir dos parâmetros curriculares do Ministério da Educação, onde os educadores podem trabalhá-los em sala de aula, dando continuidade ao projeto.

Durante a semana, os professores, que comemoram o seu dia na próxima quarta-feira, 15, ganham uma homenagem em especial. Acostumados a levar ao cinema seus alunos, esses profissionais ganham acesso gratuito no dia 15. "O professor, comprovando vínculo, poderá participar do Fici com direito a um acompanhante. É o dia dele, como pai ou mãe, aproveitar o evento com os filhos assistindo ao longa brasileiro 'Uma professora muito maluquinha'", destaca Deyse Rocha.

O Fici Aracaju continua até o próximo final de semana com exibição de diversos filmes. No dia 17 de outubro, acontece “O Pequeno Cientista” nas sessões de 9h30 e 14h. O filme que será discutido é “A Marcha dos Pinguins”. 

Festival
Nacionalmente, o FICI completa 12 anos celebrando os números que fazem da mostra a principal do gênero no país. Do começo modesto, com apenas 15 filmes de nove países, sendo cinco do Brasil, o festival já soma hoje --- filmes exibidos e um público total superior a um milhão e meio de espectadores.

O Festival é realizado pela Copacabana Filmes e Produções. Em Sergipe, tem a produção local da AvBr Produções. Na edição de 2014, o Fici começou em setembro nas cidades de Rio de Janeiro e Niterói, seguindo para Aracaju e Salvador (10 a 19 de outubro),  Natal (31 de outubro a 9 de novembro) e São Paulo (6 a 16 de novembro).

Apoio
Através de Lei de Incentivo à Cultura, o Festival tem coprodução da AvBr Produções e Espaço Z e conta com o apoio local da Casa Curta-SE, TV Sergipe, Ativa Comunicação Mundial, Superlux, Shopping Jardins e Fundação Aperipê, patrocínio do BNDES, Petrobras, OI, Outback Steakhouse, Cinemark e Prefeitura e Governo do Rio de Janeiro. A produção e realização é da Copacabana Filmes e Produções.

Fonte: Assessoria de Imprensa
Fotos: Jouis

domingo, 12 de outubro de 2014

Opções de presentes Dia dos Professores

Passada a euforia do Dia das Crianças, essa semana temos outra data comemorativa. Estão lembrados? Pois é! É o Dia dos Professores. Dia de lembrar daquele (ou daquela, na maioria dos casos pelo menos de nossos filhinhos pequenos) que cuida de nossos bens mais preciosos durante boa parte do dia.

E a gente gosta de fazer um carinho para quem a gente gosta, não? Por isso, o Conversinha de Mãe traz hoje algumas opções de lembranças para quem não quer deixar a data passar em branco, mas não pode gastar muito dindim. Pois muitas vezes são várias professoras e aí a despesa pode fugir um pouquinho do orçamento se o presente for de valor mais elevado.

Mas, como o próprio nome já diz, uma lembrança já vai fazer o professor se sentir prestigiado. Eu mesmo gosto de dar presentes que eu tenha tido alguma participação. Acho que fica mais personalizado, sem contar que a pessoa que recebe sente o carinho especial, pois você dedicou tempo a prepará-lo.

Aqui algumas inspirações para que, se você ainda não comprou, possa ter alguma ideia.
Personalizar uma caneca e um caderno é uma boa opção
Este é do @atelierkarlamilani
Uma caixinha com brigadeiros preparados com as crianças
pode ficar uma delícia. Esse é do @ochadas5
 
Umas duas caixas de lápis de cor e uma lata de achocolatado
usada podem render um belo jarro para um arranjo de flores
Algumas letrinhas de plástico enfeitam um jarro para arranjo de flores
Uma almofadinha com mensagens carinhosas com certeza
vai agradar a professora. Essa é da @lojacachepot
Arrisque-se a fazer uns deliciosos cupcakes que ficarão
lindos numa embalagem assim para presentear

Alguns biscoitos caseiros num belo pote enfeitado
são uma boa opção de presente
Os meus aqui ainda estou preparando. Depois posto como ficaram.

Beijos

Siga-nos nas redes sociais:
@conversinhademae (no Instagram)
@conversinhadmae (no Twitter)


Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/conversinhademae