quarta-feira, 30 de julho de 2014

Vacina contra hepatite A passa a ser ofertada pelo SUS

A vacina conta a hepatite A passa a fazer parte do calendário básico de imunização das crianças. A dose agora será ofertada nos postos de saúde de todo país. O anúncio foi feito pelo Ministério da Saúde, que espera imunizar 95% do público-alvo que são as cerca de 3 milhões de crianças de 1 ano até 2 anos incompletos, nos próximos 12 meses.

Com essa novidade, o objetivo é prevenir e controlar a hepatite A e, assim, imunizar, gradativamente, toda a população. Pelo esquema vacinal do Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, será uma dose única da vacina. Depois será feito o monitoramento da situação epidemiológica da doença no país para definir se uma segunda dose da vacina será ou não incluída no calendário oficial. A hepatite A é uma doença infecciosa aguda que atinge o fígado.

Inicialmente, estados e municípios já receberam 1,2 milhão de doses. No entanto, a data para início da vacinação será definida por cada estado. De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina contra a hepatite A é segura e praticamente isenta de reações, mas pode provocar vermelhidão e inchaço no local da aplicação.

A doença
Esta é uma doença infecciosa causada pelo vírus da hepatite A. Habitualmente, é uma doença benigna e raramente apresenta uma forma grave (aguda e fulminante) que pode levar à hospitalização ou morte em 2% a 7% dos casos graves. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), todos os anos ocorrem cerca de 1,4 milhão de casos da doença no mundo. No Brasil, estima-se que ocorram por ano 130 novos casos a cada 100 mil habitantes.

A principal forma de contágio da doença é a fecal-oral, por contato entre as pessoas infectadas ou por meio de água e alimentos contaminados. O contágio também pode acontecer ao não se lavar as mãos adequadamente após ir ao banheiro e tocar outros objetos ou alimentos. A disseminação dessa doença está bastante relacionada às condições de saneamento básico, nível socioeconômico da população, grau de educação sanitária e condições de higiene da população.

O repouso é considerado como uma medida imediata devido aos sintomas e à condição física do paciente. É indicada uma dieta pobre em gordura e rica em carboidratos, com a restrição de ingestão de álcool. Esta restrição deve ser mantida por um período mínimo de seis meses e preferencialmente até um ano.

A melhor forma de prevenção da hepatite A é através da vacina específica contra o vírus HVA e a melhoria das condições de vida, adequação do saneamento básico e das medidas educacionais de higiene.

Por isso, se você tem por aí criança entre 12 meses e 23 meses e 29 dias de vida lembre de se informar sobre quando a sua unidade de saúde vai estar ofertando a vacina e não deixe ela sem imunizar.

Beijos

@conversinhademae (no IG)
@conversinhadmae (no Twitter)


Com informações do Ministério da Saúde

terça-feira, 29 de julho de 2014

Semana do Aleitamento Materno em Sergipe será aberta nesta sexta-feira



“Amamentar é... mais saúde para a vida inteira!”. Esse foi o tema escolhido para a Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM) este ano, idealizada pela Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (WABA). Em Sergipe, a programação será lançada na próxima sexta-feira, dia 1, durante café da manhã realizado no salão de eventos da Sociedade Médica de Sergipe (Somese), às 8 horas. Durante uma semana, diversas atividades foram programadas pelo Departamento de Aleitamento Materno da Sociedade Sergipana de Pediatria (Sosepe).

O objetivo é chamar a atenção de mães, pais e sociedade como um todo sobre a importância do aleitamento materno, não apenas durante os seis primeiros meses, mas também após esse período. “Isso porque nos primeiros seis meses de vida o bebê só precisa do leite do peito da mãe e esse leite continua importante para o bebê até dois anos ou mais”, ressaltou a pediatra Ana Jovina, coordenadora do Departamento de Aleitamento Materno da Sosepe.

Além da abertura, várias atividades serão realizadas durante a SMAM em Sergipe. Entre elas, a Hora do Mamaço, palestra, roda de amamentação, panfletagem e outras novidades. “O nosso objetivo é estar reforçando a importância do leite materno para o bebê, para a saúde da mãe, enfim, para todos. O leite humano possui os nutrientes necessários para o crescimento e desenvolvimento da criança, além de fortalecer a relação afetiva entre mãe e bebê, entre outros benefícios”, destacou a presidente da Sociedade Sergipana de Pediatria, Glória Tereza Lopes.
Hora do Mamaço
Dentro da programação da Semana Mundial do Aleitamento Materno em Sergipe, mais uma vez será realizado no Estado a Hora do Mamaço. Este ano, o evento, que é realizado em todo país, irá acontecer em duas cidades: Itabaiana e Aracaju. Este é o segundo ano que a Hora do Mamaço é realizado em Sergipe. A primeira edição, em 2013, aconteceu somente em Aracaju.

Este ano, a Hora do Mamaço acontece na sexta-feira, dia 1, às 9 horas, na praça Fausto Cardoso, em Itabaiana, e está sendo organizado pelo Banco de Leite Irmã Rafaela Pepel. Em Aracaju, o evento que busca estimular o aleitamento materno está sendo organizado pelo Hospital Santa Isabel e será realizado no calçadão da João Pessoa, das 9h às 12h, em frente as lojas Americanas.

A Hora do Mamaço é um evento simultâneo que acontece em diversas cidades brasileiras, um grande movimento de sensibilização nacional da importância do ato de amamentar, promovido pela organização não-governamental Aleitamento Materno Solidário (AMS Brasil). Esta é a 3ª edição e mais de 25 cidades brasileiras já estão engajadas com o objetivo de reunir mães e bebês em um grande movimento de amamentação pública e pacífica para a conscientização da sociedade do Ato de
Amamentar.

Neste ano, todas as cidades irão produzir fotos em estilo “selfie” que serão amplamente divulgadas nas redes sociais, com o objetivo de multiplicação deste valioso ato de amor para o máximo de pessoas possível. Durante o evento, também será incentivado o público a fazer a assinatura do Manifesto “Lei de Proteção à Mãe que Amamenta: em qualquer hora em qualquer lugar” para que este alcance a marca das 100 mil assinaturas para ser enviado ao Congresso Nacional. Até o momento, já foram coletadas pouco mais de 9,5 mil. O manifesto pode ser acessado através do endereço eletrônico

https://secure.avaaz.org/po/petition/Lei_de_Protecao_a_Mae_que_Amamenta_em_qualquer_hora_e_em_qualquer_lugar.

Vamos todos participar.

Beijos

@conversinhademae (no IG)
@conversinhadmae (no Twitter)

Site permite troca de brinquedos gratuitamente

Por que comprar um brinquedo novo se você pode trocar gratuitamente com uma outra criança? O Quintal de Trocas é um site focado exclusivamente na troca de brinquedos, jogos, livros e fantasias.

O objetivo do site é estimular o consumo compartilhado, além de resgatar coisas simples como escrever uma carta, entender a importância de cuidar melhor do brinquedo e ainda realizar novas amizades.

A atriz Carol Guedes criou o Quintal de Trocas porque que sentiu a necessidade de um espaço virtual para realizar o consumo compartilhado quando teve a oportunidade de participar de uma feira de trocas de brinquedos do Instituto Alana e viu a sua filha contagiada pela brincadeira.

Totalmente gratuito, permite escolher o item a ser trocado utilizando filtros por idade, tipo de brinquedo, marca, entre outros. Todos os itens são acompanhados por fotos e uma descrição detalhada do estado em que se encontram. No site há um mecanismo para a troca de mensagens entre os responsáveis pela troca.

O Quintal conta com os chamados "Pontos de Troca", que são instituições e empresas que possuem algum tipo de acesso ao público e que oferecem seus espaços como ponto de encontro para a troca real, combinada anteriormente pelo site.

Fica a dica. 

Beijos

@conversinhademae (no IG)
@conversinhadmae (no Twitter)

Fonte: Instituto Akatu

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Elka anuncia recall do brinquedo Táxi Maluco

A empresa Elka Plásticos Ltda. está fazendo recall do brinquedo “Táxi Maluco”, n° de lote 90776/11. De acordo com o comunicado, o pino em formato de boneco está se soltando com facilidade, o que gera partes pequenas e causa perigo às crianças, no caso de ingestão.

Todos os consumidores do brinquedo devem entrar em contato com a empresa e, de forma gratuita, substituir as unidades atingidas pelo recall. Até que a troca seja efetuada, a fabricante recomenda que o brinquedo seja retirado do uso da criança. O contato com a empresa pode ser feito pelo telefone (11) 2238 5500 ou pelo email sac@elka.com.br, de segunda a sexta-feira das 8h às 17h.

Vamos ficar atentos!

Beijos

@conversinhademae (no IG)
@conversinhadmae (no Twitter)

Fonte: Portal EBC

Livros, de graça, na praça!!!!

Já pensou estar passeando distraidamente pela praça e se deparar com uma espécie de máquina do tempo, recheadinha de livros em perfeito estado prontinhos para serem levados pra casa e te transportarem para o mundo da leitura? Pois bem. Isso agora é possível se você passar pelas praças Tobias Barreto e Camerino, aqui em Aracaju (SE). É o Cantinho da Leitura, uma iniciativa do projeto Lê Gibi. No local, alguns banquinhos e o depósito com os livros.

Segundo o idealizador do projeto, o cartunista sergipano André Correia, os livros são resultado de doações que vieram junto com gibis recebidos e que são levados para as escolas. E esse presente teve uma destinação nobre: são oferecidos gratuitamente na praça.

“É só passar na praça e sair com contos de Bram Stocker, novelas de Edgar Allan Poe, thrillers de Agatha Christie e até mesmo uma coleção ilustrada de romances de Machado de Assis, além de vários outros livros”, contou. Ele só faz um pedido a quem for pegar algum livro. “Deixe outro no lugar. Pode ser qualquer um. Do mesmo modo que se planta uma árvore no lugar de outra que foi derrubada”.

E quem, mesmo sem ir no Cantinho da Leitura, quiser fazer doação, basta entrar em contato com André, através do telefone 79 8843-1569.
 Lê Gibi
O projeto Lê Gibi uma ação que se propõe a distribuir gibis a garotos e garotas em comunidades carentes. Mas não é só levar as revistinhas. O projeto vai além. As ações têm caráter pedagógico, com atividades lúdicas e orientação aos pais ou responsáveis. “Não é só dar o Gibi. É mostrar para o pequeno que o que ele tem em mãos é um passatempo muito divertido e, dessa forma, insinuar um possível hábito de leitura”, explicou.
Quem tiver gibis que já foram lidos e podem ser doados, para que mais e mais crianças e adolescentes possam ser contagiados por essa magia das histórias em quadrinho pode passá-los adiante. Basta entrar em contato com André através da página do projeto no Facebook ou pelo telefone 79 8843-1569.

Bela iniciativa, não? Então vamos nos juntar?

Beijos

@conversinhademae (no IG)

@conversinhadmae (no Twitter)

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Amamentação: compartilhe sua experiência

O Ministério da Saúde está convidando mamães ou futuras mamães a contar sua história e tirar suas dúvidas sobre amamentação. O objetivo é que compartilhem experiências, dificuldades, dúvidas e prazeres durante a amamentação. O depoimento deve ser enviado para o endereço blog@saude.gov.br, junto com uma sua você e de seu bebê neste momento tão importante.

Quem já fez isso foi a vocalista da banda Aviões do Forró, que compartilhou a história dela e de sua filha Maria Esther, que nasceu em outubro do ano passado. “O aleitamento materno é de grande importância para a saúde e desenvolvimento do bebê. Para mim, além de prazeroso, é emocionante. Não há melhor sensação que depois de um final de semana cheio de trabalho abençoado, chegar em casa e me deparar com ela (Maria Esther) louca pra mamar”, relatou Solange.

O Blog da Saúde vai contar as experiências recebidas e dar dicas para as mães que estão vivendo esta fase, falando sobre cuidado com os seios anterior e após o nascimento, doação de leite materno, a importância da introdução da água e alimentos pastosos a partir do sexto mês de vida e outras indicações.

O leite materno ajuda na redução da mortalidade infantil e colabora para a defesa das crianças contra uma série de doenças. Amamentar é o momento de proximidade entre mãe e filho e pode ser também uma ação solidária com a doação de leite materno.

Beijos

@conversinhademae (no IG)
@conversinhadmae (no Twitter)

Fonte: Blog da Saúde
Foto: Arquivo pessoal

“Doe Cabelo, doe alegria” entrega primeiras perucas dia 28

As primeiras crianças e adolescentes assistidas pela Associação dos Voluntários a Serviço da Oncologia em Sergipe (Avosos) receberão na próxima segunda-feira, 28, às 14h30, perucas confeccionadas a partir do Projeto “Doe Cabelo, Doe Alegria”. Na ocasião, as pacientes participarão de sessão de fotos e parceiros serão homenageados.

A iniciativa da campanha surgiu através da ação da professora e advogada Soraya Salim em cortar o próprio cabelo para doar para pacientes com câncer com o intuito de confeccionar perucas. A partir deste ato surgiu o Projeto “Doe Cabelo, doe alegria” que se tornou um grande sucesso e, em pouco mais de três meses teve a doação de mais de 900 cortes.  Além disso, a campanha tem como objetivo aumentar a autoestima dessas pacientes que lutam contra a doença.

Neste primeiro momento, a instituição fará a entrega a dez pacientes que estão fazendo o tratamento quimioterápico e, posteriormente, outras crianças e adolescentes também serão beneficiadas.

A Avosos fica localizada na Rua Leonel Curvelo, 55. Bairro Suissa.

Beijos

@conversinhademae (no IG)
@conversinhadmae (no Twitter)

Fonte: Assessoria de Imprensa

52% dos pais admitem ceder às chantagens dos filhos quando assunto é consumo



“Todo mundo tem e só eu que não vou ter”… “Se você me der, eu prometo que faço isso”… “Meus amigos vão rir de mim se eu for o único que não tiver”… É difícil encontrar pais ou mães que não tenham cedido a pressões dos filhos como as listadas acima. E foi justamente o que constatou uma pesquisa do Portal Meu Bolso Feliz em parceria com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil): 52% das pessoas ouvidas afirmaram já ter comprado produtos para os filhos, mesmo sabendo que essa atitude iria comprometer o orçamento da própria família.

Os pais também foram questionados a respeito dos argumentos mais desafiadores ao lidar com a pressão dos filhos. Para 22% dos entrevistados, o mais difícil são as negociações do estilo “se você me der isso, eu prometo fazer aquilo”. Em segundo lugar vem a chantagem emocional, argumento mencionado por 16% da amostra. Nesse caso, os pais acabam cedendo para não se sentirem culpados, ou para não “ficar com dó” das crianças.

Para a psicóloga Maria Tereza Maldonado a criança, como qualquer ser humano, é dotada de desejos e ânsias e, desde muito cedo, aprende formas e mecanismos para satisfazer suas vontades. “Um bebê, por mais novinho que seja, já consegue entender que tem o poder de chamar a atenção dos pais e de todos em sua volta, quando começa a chorar, por exemplo. Sendo assim, a criança aprende no convívio com os pais quais são os argumentos e até as chantagens mais eficientes que vão fazer com o que o seu desejo seja realizado”, explica a psicóloga. Além disso, na avaliação da especialista, o atual bombardeio publicitário ao qual as crianças estão expostas colaboram para despertar novos desejos e ânsias pelo consumo.

O sentimento de culpa
Na avaliação dos especialistas ouvidos, o consumo como moeda de troca está solidificado, na maioria dos casos, em um sentimento de culpa dos pais. “A satisfação do desejo sentido pelos filhos pode representar, na verdade, uma compra de paz de espírito para os próprios pais. Comprando tudo aquilo que o filho pede, os pais tentam se livrar do peso causado pelas longas ausências em função do trabalho e da rotina corrida do dia a dia”, explica a psicóloga Tânia Zagury.

É tanto que, quando os pais foram perguntados sobre os produtos mais comprados para os filhos nos últimos três meses, os itens de eletrônicos (jogos, celulares e notebooks) aparecem em primeiríssimo lugar, seguidos das roupas, dos programas de passeio, dos calçados e dos brinquedos.

“Não me espanta o fato de que jogos, celulares e notebooks sejam os itens mais comprados pelos pais, porque são exatamente estes itens que deixam as crianças entretidas por mais tempo, inocentando os pais pela ausência de afeto e dedicação às crianças”, explica Maria Teresa.

O não positivo
O poeta Fernando Pessoa escreveu certa vez em seus versos: “Vida vivida é vida sofrida”. E realmente é fato: não existe como vivenciar uma experiência na Terra, sem passar por dificuldades e frustrações. Os especialistas do Meu Bolso Feliz são unânimes em afirmar que experiências de frustração na infância são imprescindíveis para que a criança desde cedo aprenda a lidar com situações difíceis e de desconforto.

“Aí entra o não positivo, que é simplesmente a maneira que os pais negam o pedido da criança — nas situações em que realizá-lo não é possível –, explicando o motivo por que aquele desejo está sendo negado”, orienta Maria Teresa.

Para a psicóloga, o segundo passo é identificar a raiz do desejo da criança, ou seja, por que ela quer tanto determinado produto naquele momento e a todo custo. “Os pais vão perceber que, muitas vezes, o problema que a criança está enfrentando não tem nada a ver com o mundo material e aí podem até identificar um problema de autoestima e de insegurança do filho. Por isso a importância de praticar o não positivo”, revela a especialista.

Ela acrescenta ainda que dinheiro e gastos excessivos não curam esse tipo de insegurança do filho. “Muito pelo contrário. Ao darem este exemplo, os pais estão incentivando um tipo de ciclo vicioso, que na maioria das vezes resulta em descontrole financeiro e não resolve o problema da criança”, explica.

Mau exemplo para os filhos
A pesquisa do SPC mostra que os pais não estão, no geral, dando bom exemplo aos filhos. Entre os entrevistados que têm filhos, 76% já ficaram inadimplentes, e 53% compraram alguma coisa sem precisar nos últimos três meses. Além disso, 74% não reservam uma parte dos ganhos mensais para poupança e 37% está pagando atualmente cinco ou mais parcelas ao mesmo tempo, entre compras parceladas no cartão de crédito, crediário, cheque pré-datado e empréstimos.

Na avaliação de Tânia Zagury, pais que têm dificuldades de lidar com dinheiro dificilmente terão um pensamento crítico em relação a gastos excessivos dos filhos e conseguirão dar um bom exemplo. “Não me surpreendo com o fato apontado pela pesquisa de que a maioria dos pais avalie que seus filhos têm bom comportamento financeiro”, disse Tânia.

Com mais da metade dos pais admitindo ceder à pressão dos filhos, a psicóloga concluir que a tarefa de formar consumidores mais conscientes não é nada simples. Os pais não têm educação financeira, compram por impulso e sequer percebem que os filhos seguem o mesmo caminho”, indaga.

De maneira geral, os especialistas do Meu Bolso Feliz recomendam que os pais conversem direta e abertamente com as crianças sobre a atual situação financeira da família, seja ela positiva ou não. “O pai que esconde a realidade financeira e satisfaz todas as vontades dos filhos, cria filhos sem limites e que vão ter profundas decepções ao longo da vida para lidar com perdas e frustrações. Já aqueles que falam abertamente e dão bons exemplos, conseguem criar adultos que, além de preparados financeiramente, conseguem superar e até driblar as dificuldades impostas pela vida”, concluir Maria Teresa.

Preparado para o consumo consciente
Aprenda com nossos especialistas como ensinar os pais a driblarem a chantagem emocional, educar o filho e tentar prepará-lo para o consumo na vida adulta:

 1) Aprenda a dizer não, mas contextualize e explique o motivo da decisão, de modo que a criança se envolva com as finanças de casa e se convença da impossibilidade de realização daquele pedido.

2) Ao saber da importância educacional de dizer “não” e da forma como se está preparando o filho para as frustrações futuras, os pais automaticamente declaram a disposição de mudar uma conduta evitar cair na armadilha da culpa ou da pena, sentimentos comuns nas relações. Resista à tentação de presentear os filhos por culpa.

3) Toda conversa deve ser conduzida com respeito e carinho, mas não subestime a capacidade da criança. Com uma boa linguagem, elas são capazes de entender os mais diferentes tipos de problemas. Lembre-se que nesse processo você estará ensinando a lidar com uma coisa natural da vida: frustrações.

4) As crianças são dotadas desejos assim como os adultos, mas é importante que tenham claramente na cabeça a diferença entre querer e precisar.

5) Entenda o porquê de tanto desejo sobre determinado presente/objeto e converse com a criança. Muitas vezes o problema que a criança está enfrentando não tem nada a ver com o mundo material e sim emocional. Dessa forma, os pais podem se surpreender e identificar um problema de autoestima e de insegurança do filho.

6) Converse com as crianças sobre as datas significativas para presentes especiais como Natal e aniversário. Evite os presentes fora de hora. É importante que os pais ensinem os filhos a suportar esperas.

7) Ao ir às compras, faça uma lista e mostre para criança como que os gastos da família são planejados. Se possível, também inclua a criança nessa lista, mostrando que ela tem espaço, mas que tudo deve ser feito com controle e planejamento.

8) Não use a mesada como um mecanismo de moeda de troca, como chantagem ou como um instrumento para acirrar ainda mais o controle dos pais pelos filhos. A mesada é um instrumento que serve para ajudar o filho a planejar e controlar os próprios gastos e não uma moeda de troca para se obter boas notas ou bom comportamento.

Beijos

@conversinhademae (no IG)
@conversinhadmae (no Twitter)


Fonte: Portal Meu Bolso Feliz

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Estantes infantis: livros bem arrumadinhos

Foto: Pinterest
Minha pequena está crescendo. Cada dia mais desenvolvida, agora uma das suas coisas favoritas é ler. Ah, dá gosto de ver. Pega um livrinho, senta e começa a ler, ao seu jeito. Engraçado é que tem uns livrinhos que a gente já leu as histórias umas dezenas de vezes e ela quando vai ler imita as vozes que o pai faz quando lê. É lindo!!!! Já tentei gravar algumas vezes pra mostrar o vídeo, mas não consigo. Quando ela vê, para de ler.

E para organizar os livrinhos dela que estão todos espalhados comecei a procurar uns modelos de estante de livros bem bonitinhos e que fique bem à altura dela. Achei uns bem legais. Vejam se não são uma graça.
 
Conhecimento em árvore. Foto: Pinterest

Nessa, os livros ficam bem pertinho a cama
Foto: Pinterest

Simples, mas graciosa. Foto: Pinterest

Também simples, mas dá pra acomodar vários livros
e compõe com a mesinha de leitura. Foto: Pinterest

Zigzag pros maiores e outro tipo de estante em formado de árvore. Foto: Pinterest

Dá pra viajar na leitura, né?. Foto: Pinterest

Outros modelos fáceis de fazer. Foto: Pinterest

Pros apaixonados pelos bombeiros. Bem diferente! Foto: Tokstoc

A tradicional estante em formato de casinha. Um encanto! Foto: Pinterest

Beijos

@conversinhademae (no IG)

@conversinhadmae (no Twitter)

quarta-feira, 23 de julho de 2014

A importância da suplementação da Vitamina A

A vitamina A tem diferentes funções no organismo humano, atuando, por exemplo, na visão e na produção de tecidos. Mas o corpo não produz essa vitamina que é absorvida por meio de alimentos como, fígado bovino, leite, verduras, frutas e legumes amarelos. Por isso, o Ministério da Saúde oferece suplementação de vitamina A para crianças de seis meses de idade a menores de cinco anos nas regiões que participam do programa Brasil Carinhoso do Governo Federal, conforme explicou a nutricionista da coordenação Geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Ana Maria Cavalcante.

"A suplementação é iniciada aos seis meses de idade e, a cada seis meses, ela volta à unidade básica de saúde para tomar outra cápsula de vitamina A. Então, de seis em seis meses ela está protegida e com aporte adequado de vitamina A. Dos seis meses aos 59 meses, ela tomaria aí nove cápsulas de vitamina A porque a cada seis meses ela deve retornar à unidade básica de saúde", explica a nutricionista da coordenação Geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Ana Maria Cavalcante.

Ainda de acordo com a nutricionista vinculada ao Ministério da Saúde, Ana Maria Cavalcante, a deficiência de vitamina A provoca sérios problemas à saúde da criança. "Podem desenvolver sinais clínicos de deficiência ocular, pessoas que têm uma deficiência instalada. Pode ocorrer, por exemplo, ressecamento da pele conjuntiva e da córnea ocular. Crianças suplementadas com vitamina A têm melhor resposta a doenças e, por isso, também tem dados que mostram que crianças que recebem suplementação de vitamina A têm menor risco de mortalidade, principalmente a mortalidade causada pela diarreia", afirma Cavalcante.

A servidora pública, Simone Costa, conta que o filho recebeu a vitamina A durante uma consulta de rotina. "A profissional de saúde me perguntou se eu gostaria que ele recebesse a vitamina A, eu aceitei e ele tomou a vitamina na unidade mesmo e ele tomou sem problema e não teve intercorrência alguma posterior", conta a servidora.

Em 2013, mais de três milhões e setecentas mil crianças foram suplementadas com vitamina A em mais de 2.500 municípios que integram o programa Brasil Carinhoso do Governo Federal. Este ano, a meta do Ministério da Saúde é atender seis milhões de crianças com essa suplementação.

Beijos

@conversinhademae (no IG)
@conversinhadmae (no Twitter)

Fonte: Rádio Saúde
Crédito: Mark Hunt/ Huntstock/ Corbis